sábado, 31 de julho de 2010

Estradas de Ferro de Passageiros no Brasil

Sem contar as "Maria-Fumaça" e alguns trens turísticos, há duas linhas de ferro abertas a passageiros no Brasil. Apenas duas.

Ambas são operadas pela Vale do Rio Doce, não são trens rápidos e pouca gente sabe de suas existências.

A primeira é chamada Estrada de Ferro de Carajás que liga Parauapebas (PA) a São Luís (MA), capital do Maranhão. O trêm pára em Marabá (PA), Açailândia (MA) e Santa Inês (MA). São 892km q o trem leva cerca de 16 horas para percorrer o trajeto. Os trens que nesta ferrovia circulam estão entre os maiores do mundo podendo ter três locomotivas e 330 vagões, a grande maioria utilizada para o transporte de minério e não de passageiros.

A maior linha é a Belo Horizonte (MG) - Vitória (ES), que iniciou as operações em 1904. O trem é lento e o trajeto dura 13 horas. Diversas cidades do interior de Espírito Santo e Minas Gerais são atendidas por esta ferrovia.
Antes de fazerem o trem bala, poderiam ampliar o número de ferrovias comuns para passageiros.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Linha 3 Cimentada

Conforme O Globo publicou em 20 de Julho, moradores de São Gonçalo e arredores estão cimentando a desativada linha de trem que seria utilizada para a Linha 3 do metrô. No local, praças, áreas de lazer e recriação e até churrasqueiras estão sendo construídas, já que não há ainda uma previsão de início das obras.

Entre Maio e Junho deste ano, o Governo de Estado, junto com a Prefeitura de São Gonçalo, retirou 200 metros cúbicos de lixo da antiga linha férrea de 21 quilômetros.
Triste realidade do metrô do Rio.

sábado, 24 de julho de 2010

Bairros São contra Expansão da Linha 1

A expansão da Linha 1 do metrô, apelidado de "Linhão" pelos críticos do Governador Sérgio Cabral pode custar sua reeleição. Os moradores de Ipanema, Leblon e Gávea são contrários às novas estações de metrô planejadas pelo governo.
A Linha 4 foi planejada para ir da Estação Carioca à Estação Alvorada. Um trecho desta linha foi licitado em 1998 e incluiria as seguintes paradas: Estação Botafogo (que precisa ser expandida), Estação Largo dos Leões, Estação Humaitá, Estação Jardim Botânico, Estação Praça Santos Dumont, Estação Rocinha, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico. Ficaram de fora da licitação a Estação Alvorada, a Estação Barra Shopping, a Estação Downtown, a Estação Laranjeiras e a Estação Carioca.

Em 2009, Sérgio Cabral decidiu tirar do papel sua promessa de campanha e construir a linha licitada. Só que, em vez de seguir o projeto original, ele resolveu fazer o seu "linhão". O consórcio vencedor da licitação de 1998 aceitou fazer a Estação Praça Nossa Senhora da Paz, Estação Jardim de Alah, Estação Leblon, Estação Gávea, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico. Apesar de ser a extensão da Linha 1, o governante decidiu chamá-la de Linha 4.

O projeto de Sérgio Cabral, que começou a destruir o nosso metrô com a construção da Linha 1A, em vez de completar a Linha 2, promete sepultar de vez o projeto da Linha 1 Circular e de uma linha alternativa para o Centro (o projeto original da Linha 4). O Ministério Público avalia se a substituição do projeto licitado é válido.

Além de engenheiros e especialistas em transporte urbano serem contra os desejos de Cabral, os moradores de Ipanema, Leblon e Gávea também o são e por essa, o governador não esperava. Segundo matéria publicada no Caderno Zona Sul do O Globo (de 01 de Julho de 2010), há vários motivos para os bairros não ganharem metrô (muitos deles inválidos): "já há muita gente no bairro"; "o metrô vai chegar de São Conrado superlotado", "é desnecessário", "as distâncias são curtas até a estação", "o bairro tem que ser residencial", "vai atrapalhar o comércio", etc.

Enquanto isso, Botafogo e Humaitá (foto) preparam abaixo-assinados para entregar ao governador. A Associação de Amigos de Botafogo (AMAB) já entregou uma com 20 mil pedindo a Estação Morro de São João. O Humaitá vai organizar um próprio pedindo a Estação Humaitá e a Estação Largo dos Leões.

Parece que a decisão inconseqüente do governador pode custar caro - quem sabe até as eleições. Ele conseguiu irritar moradores de grande parte da Zona Sul, sem contar o Sindicato dos Metroviários do Rio de Janeiro, também a favor da Linha 4 original.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Marketing no Metrô de Paris

A empresa sueca Ikea, de móveis de baixo custo, inovou no metrô de Paris. Em quatro estações do Centro, ela colocou seus móveis à disposição dos usuários do metrô.

O sucesso foi absoluto!

Um percentual de toda a arrecadação do Metrô do Rio, publicidade, marketing e bilheteria deveria ser destinado a um fundo para a ampliação do metrô. Mas infelizmente, o Estado não exige isso da concessionária.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/1,,EMI127393-17180,00.html

domingo, 18 de julho de 2010

E a Estação Morro de São João?

Em 05 de Novembro de 2009, publicamos aqui que a Brascan, dona do Shopping Rio Sul, iria construir a tão sonhada Estação Morro de São João, em Botafogo. Esta estação era parte do projeto original da Linha 1 do Metrô.

Infelizmente, muito tempo se passou e nada aconteceu. O terreno continua abandonado (foto) e o tal corredor de acesso, ligando a futura estação ao Shopping, que a Brascan construiria continua apenas no papel. Lembro, que o metrô já passa pelo terreno em direção a Copacabana.

A AMAB (Associação de Amigos de Botafogo), que já entregara um abaixo assinado de 20 mil assinaturas ao Governo do Estado solicidanto a construção da Estação Morro de São João, não desistiu da luta. É desejo de Botafogo que a estação seja construída, seja para receber a Linha 1, a Linha 4 ou ambas.

Abaixo coloco o trecho referente ao metrô da ata da reunião da AMAB de 01 de Junho de 2010: "O metrô já não comporta os passageiros agora, e se tornará ainda pior com o acréscimo de mais estações ao longo da Linha 1 até a Barra, portanto, serão os passageiros comuns do dia a dia mais o trânsito dos moradores da Barra e adjacências e os torcedores vindos de toda parte do mundo. Será um verdadeiro caos. Regina falou ainda sobre a licitação das linhas de ônibus, que terá milhares de ações judiciais contra ela propostas pela Fetransporte e que por conta disso não sairá da justiça. A AMAB entende que mais cedo ou tarde terá que se posicionar quanto ao novo traçado alterado do Metrô".

Se não expandirem a Estação Botafogo para que ela receba uma plataforma da Linha 4, o Governo terá que construir uma grande Estação Morro de São João, que receba trens das Linhas 1 e 4 em duas plataformas.

Enquanto isso, conforme sugestão da ata da AMAB, que Botafogo se posicione e seja contra a alteração do traçado da Linha 4.

Veja aqui a matéria de 2009: http://metrodorio.blogspot.com/2009/11/brascan-promete-reformar-trecho-de.html)

Fonte da Foto: O Globo (Caderno Zona Sul de 01 de Julho de 2010).

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Os Novos Trens

Em 07 de Março de 2010, o jornal O Globo divulgou como serão os trens comprados da China, que começarão a chegar ao Rio de Janeiro em junho de 2011.

Segundo o Metrô Rio, todos os novos trens circularão na Linha 2, pois eles seus sistemas de ar-condicionado funcionam mesmo fora dos túneis.

A Linha 1 continuará com os trens de 1975.

domingo, 11 de julho de 2010

Antigo Canteiro de Obras de Botafogo Vai Virar Praça

Entre 1975 e 2008, uma parte da Praça Nelson Mandela foi usada como canteiro de obras do metrô do Rio de Janeiro. Como qualquer obra do metrô na região não tem previsão de começar, o terreno finalmente se transformará em praça, com jardins e brinquedos para as crianças.

É uma pena! Nada contra a praça, mas antes de virar praça, o espaço poderia ser utilizado pelo metrô para a construção da Estação Morro de São João e até mesmo para a expansão da atual Estação Botafogo, que deveria ganhar mais plataformas. O ideal seria transformar o terreno em praça após estas obras.

As obras para transformar o espaço em praça serão feitas pela CHL e começarão no fim de Julho, com previsão de término em Outubro.

Fonte da Foto: O Globo (Caderno Zona Sul de 01/07/2010).

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Próximas Estações

Em Construção:
Estação Cidade Nova (Linha 1A) - Obras de 2009 a 2010.
Estação Jardim Oceânico (Linha 4) - Obras de 2010 a 2016.

Planejada pelo Metrô Rio:
Estação Uruguai (Linha 1) - Obras de 2012 a 2014.

Planejadas pelo Governo Sérgio Cabral:
Estação Alcântara (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Antonina (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Barreto (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Gávea (Linhas 1 e 4) - Obras de 2011 a 2016.
Estação Guaxindiba (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Jardim Catarina (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Jansen de Mello (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Jardim de Alah (Linha 1) - Sem Previsão.
Estação Leblon (Linha 1) - Sem Previsão.
Estação Mauá (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Neves (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Parada 40 (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Paraíso (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Praça Araribóia (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Praça Nossa Senhora da Paz (Linha 1) - Sem Previsão.
Estação São Conrado (Linha 4) - Obras de 2010 a 2016.
Estação Trindade (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Vila Laje (Linha 3) - Sem Previsão.
Estação Zé Garoto (Linha 3) - Sem Previsão.

Planejadas pelo Plano Original do Metrô:
Estação Morro de São João (Linha 1) - Obras de 2010 a 2011.
Estação Praça da Cruz Vermelha (Linha 2) - Sem Previsão.
Estação Praça XV (Linhas 2 e 3) - Sem Previsão.

Carta da Ouvidoria da Barra ao Governo do Estado

Reproduzo abaixo na íntegra carta enviada no último dia 24 de Junho pela Ouvidoria da Barra ao Governo do Estado sobre a construção da Linha 4. A carta foi redigida e enviada após o debate entre Metrô Rio, Rio Trilhos, Governo de Estado e diversas associações de moradores. É consenso geral que a Linha 4 seja construída por Centro, Laranjeiras, Botafogo, Humaitá, Jardim Botânico, Gávea, São Conrado e Barra da Tijuca, como é o projeto original.

Senhor Governador SÉRGIO CABRAL FILHO,
Membros, Assinantes, Visitantes da
Ouvidoria da Barra e Moradores em geral,

Inicialmente queremos agradecer seu empenho pelo início das obras da tão sonhada LINHA 4 do METRÔ. Agradecemos também o cumprimento da promessa que nos foi efetuada com relação ao início das obras pela Barra da Tijuca.

A promessa de serem ouvidas as comunidades dos bairros envolvidos muito nos agradou da mesma forma que desejamos lhe transmitir nossa posição com relação ao traçado proposto pela Secretaria de Estado de Transportes, para seu total e pleno conhecimento:

Dia 22 estivemos reunidos com as associações de moradores da Gávea, Ipanema, Leblon e também Copacabana para ouvirmos esclarecimentos do Governo do Estado sobre o METRÔ LINHA 4.

VAMOS AOS FATOS REAIS COM NOSSAS S.M.J. PLAUSÍVEIS COLOCAÇÕES:
• A linha 4 do metrô foi licitada em 1998 e previa a ligação do Jardim Oceânico com o Morro de São João (junto ao Shopping RIO SUL - Botafogo).
• O custo desse trajeto seria, em valores atualizados, de aproximadamente R$ 2.8 BILHÕES que seriam assumidos pelo consórcio vencedor, respectivamente, 55% e 45% pelo Governo do Estado que representam em números atuais, aproximadamente R$ 1,5 BILHÕES para a Consórcio e R$ 1,3 BILHÕES para o Governo do Estado.
• Observa-se que o custo, incluindo-se todas as obras, trilhos, estações e equipamentos de sinalização e vagões, pelo projeto original, representaria o custo aproximado de R$ 175 MILHÕES POR QUILÔMETRO ! ! !
• Hoje, com a intenção de modificar o traçado da Gávea para a Zona Sul, obrigará aos usuários da Barra a percorrer 15 estações para chegar à Estação Carioca.
• Essa alteração de traçado (por sinal ainda não totalmente definido) atingirá o montante de R$ 5 BILHÕES DE REAIS, conforme afirmado na reunião pelo representante do Governo, isso sem contatar prováveis problemas com as estruturas de sustentação dos prédios existentes no traçado da Gávea para a Zona Sul em função das perfurações ocorrem em terreno totalmente arenoso que é muito mais dispendioso.
• Particularmente, duvido que não ultrapasse os R$ 6 BILHÕES ! ! ! Esse trajeto proposto pela Secretaria de Estado de Transportes representará um custo por QUILOMETRO, de aproximadamente R$ 400 MILHÕES !!!
• Acontece que o traçado da Gávea para Zona Sul não atenderá às necessidades dos moradores da Barra, Recreio, Jacarepaguá e adjacências que como já afirmei, percorrerão 15 estações para chegar ao centro do Rio (Estação Carioca) além da necessária BALDEAÇÂO na Gávea pois as bitolas das LINHAS 1 e 2 são diferenciadas.
• Ratificando nossa colocação, o representante do Governo do Estado confirmou que 85% dos moradores oriundos da Barra e Recreio se destinam ao centro da cidade. Alegou ainda, erroneamente, que a demanda de passageiros da Barra era de 100 mil passageiros quando só os condomínios da Barra e Recreio, que possuem transporte comunitário, têm juntos, mais de 100 mil usuários e com o crescimento de inúmeras unidades residenciais, tanto na área da Barra como Recreio e Jacarepaguá suplantará em muito a demanda altamente crescente nos próximos 4 anos .
• Outro agravante que vai tornar ainda mais caótico a saída e entrada da Barra é a intenção de construírem um TERMINAL RODOVIÁRIO no Jardim Oceânico no antigo MOTEL MAXIM que representaria uma despesa adicional de desapropriação acima de R$ 20 MILHÕES DE REAIS.
O que queremos, que representa um custo menor e atende satisfatoriamente as necessidades dos moradores de nossa região e dos bairros envolvidos é o seguinte traçado:







• O Terminal Alvorada comportaria, os ônibus de integração oriundos de Jacarepaguá, Recreio e Baixada, além da futura LINHA 6 que prevê a ligação da Barra com o Aeroporto TOM JOBIM, passando por Jacarepaguá, Madureira e Penha e que sequer foi elaborado o edital de licitação.
• No nosso modesto ponto de vista, s.m.j. torna-se prioritária a execução das LINHAS RADIAIS que é o caso do traçado por nós pleiteado, acima descrito.

No trecho por nós sugerido algumas relevantes colocações:
1. A Estação Nova Ipanema seria para atender não só os moradores do Condomínio Nova Ipanema, e frequentadores do Barrashopping bem como os inúmeros condomínios densamente povoados do Parque das Rosas e Centro Empresarial dentre outros, enquanto a estação Marapendi se destinaria a atender moradores da ABM, AMAPLUC e usuários do Downtown, Cittá América e Bon Marché além dos grandes condomínios das imediações.
2. Com os prováveis R$ 5 BILHÕES que o Governo do Estado quer investir no traçado atualmente proposto, daria para atender à demanda de nossa região com sobras e sem provocar o desconforto aos moradores da Zona Sul que certamente pegariam os vagões completamente lotados nos horários de rush quando podem, comodamente, utilizar vagões de final de linha, vazios, na estação General Ozório.
3. Conforme afirmativa do representante do Governo do Estado, na reunião realizada, 85%(oitenta e cinco por cento) dos usuários oriundos da Barra da Tijuca se destinam ao Centro da Cidade.
4. Àqueles que quiserem vir da Zona Sul à Barra, ou vice-versa, que sejam atendidos por microônibus do sistema de integração. Afinal de contas, a Gávea não fica tão distante de Ipanema para justificar um investimento tão alto de perfuração na areia.
Confiantes na sua intenção de ouvir os anseios; como afirmamos anteriormente; contamos com bom senso e coerência de V.Excia, no sentido de atender nossa modesta sugestão que; com certeza; atenderia os desejos latentes da grande maioria da população dos bairros envolvidos.

Paulo Bittencourt
Ouvidoria da Barra

domingo, 4 de julho de 2010

Que Atraso: Ipanema não Quer mais Metrô

O Quadrilátero Charme de Ipanema, o Projeto de Segurança de Ipanema, a Associação de Moradores de Ipanema e empresários do bairro são contra a expansão do metrô no bairro. Querem no máximo a Estação Jardim de Alah, mas são totalmente contra a Estação Praça Nossa Senhora da Paz.

Tal opinião é totalmente retrô, contra o progresso da cidade e as melhorias no transporte da mesma. A cada 15 ou 20 minutos a pé, há metrô em qualquer grande cidade. Andar da Praça Nossa Senhora da Paz até a Praça General Osório ou o Jardim de Alah leva mais ou menos este tempo para um jovem e muito mais que este tempo para idosos e pessoas com dificuldades de locomoção.

A preocupações dos moradores do bairro se dá em relação à preservação da Praça Nossa Senhora da Paz, que não será tocada. Apenas uma saída do metrô está prevista para a praça e mesmo assim, esta será fora do jardim, que é cercado por uma grade. A outra saída da estação está prevista para a Rua Maria Quitéria. Isso já vem sendo discutido desde o final de 2008, quando a Estação General Osório começou a tomar forma.

Ipanema também acha que os moradores andam de carro e que não precisam do transporte. E quem não mora mas apenas trabalha no bairro? E quem quer ir ao bairro passear?

Os comerciantes do bairro alegam finalmente que o metrô diminuirá o comércio de rua. Tal argumento é absurdo. O metrô não acabou com o comércio de bairros mais populosos como Copacabana e Centro.

Talvez o Governador encontre menos resistência em construir mais estações da Linha 4, em vez de levar a Linha 1 até a Gávea. Botafogo, Humaitá e Jardim Botânico precisam do metrô!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Começaram as Obras na Barra

Com pelo menos 12 anos de atraso, as obras do metrô para a Barra da Tijuca começaram no último sábado. As escavações começaram pela futura Estação Jardim Oceânico.

De lá, o metrô seguirá em direção à Zona Sul. A Estação São Conrado está garantida.

Como vimos nos posts anteriores, não sabemos onde será e se haverá estação na Gávea, nem se o metrô seguirá por Leblon e Ipanema ou pelo projeto original e correto por Jardim Botânico e Humaitá.