terça-feira, 29 de setembro de 2015

Próxima Obra: Linha 2

 O Governo do Estado do Rio de Janeiro, liderado por seu Secretário de Transportes Carlos Osório vem trabalhando com sua equipe de especialistas em transportes e engenheiros para tirar do papel a obra de conclusão da Linha 2 Centro.

Há alguns motivos que levaram o Governo do Rio de Janeiro a trabalhar neste projeto: o trânsito caótico da cidade; a quase que proibição de se ir de carro particular ao Centro; a disputa com a Prefeitura pelo trecho Estácio - Carioca; a dispensa de cerca de dez mil operários do metrô após o fim das obras da Linha 4; não há verbas
para a expansão para o Recreio, nem para as Linhas 3 e 5; maior segurança para os metroviários; e a melhoria no serviço e na rapidez do metrô para seus usuários.

A Linha 2 foi projetada nos anos 60 e deveria começar em Belford Roxo e seguir até São Gonçalo. Parte dela foi inaugurada nos 80 e posteriormente nos anos 90. Grande parte dela nunca saiu do papel. Seu primeiro projeto detalhado previa que após a Estação Estácio, ela deveria seguir para a Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Morro de Santo Antônio, Estação Carioca e Estação Praça XV até seguir para Niterói.


Nos anos 80, prevía-se que ela chegaria pelo menos até a Estação Carioca. Um tatuzão foi montado no buraco da Estação Estácio. Cerca de 80 metros foram escavados como teste. Sem repasses do estado que havia falido, a Camargo Corrêa desmontou o tatuzão e o levou para outro estado. No túnel da Estação Estácio, onde os trens fazem a curva para voltar em direção à Estação Pavuna, é possível ver o buraco.

Também nos anos 80, a Estação Carioca foi inaugurada. Ela é enorme! Ali era para ter sido construído um pequeno centro comercial (chamado de Cidade Subterrânea) e a plataforma da Linha 2, além das bilheterias, mezanino e a plataforma da Linha 1. Cerca de um terço da plataforma da Linha 2, no subterrâneo foi construído. Com o fim do dinheiro, a obra parou e abandonaram a plataforma. A escada de acesso foi escondida atrás de uma parede de alvenaria. A Cidade Subterrânea nunca foi feita, pois sem a circulação de passageiros entre as plataformas, não há demanda para os lojistas ali se instalarem.

Nos anos 90, o estado tentou retomar a obra, enquanto que levava o metrô até a Estação Pavuna na outra ponta. Há indícios não confirmados de que a parte inicial da estrutura da Estação Praça da Cruz Vermelha foi feita. Muitas máquinas trabalharam no solo da Avenida Chile por onde o túnel da Linha 2 passaria.

Nos anos 2000, a concessionária Metrô Rio acabou com o chafariz que ali funcionava. É verdade que a peça de arquiterura desperdiçava água. Seu objetivo era amenizar o calor esfriando o ar que vem da superfície e que deveria circular entre as duas plataformas e o centro comercial.

O Governador Sérgio Cabral criou o projeto da Linha 1A em 2008. A conclusão da Linha 2 voltou a ser discutida. Contra tudo e contra todos
os especialistas, engenheiros, sociedade civil, Clube de Engenharia, metroviários, etc, a Linha 1A saiu do papel.

Rapidamente se viu que a demanda pela Linha 2 não comportava nos trilhos da Linha 1. A primeira linha foi projetada para trafegar com seis carros e pegaria um grande número de passageiros na Estação Central. A segunda linha foi construída para que os trens trafegassem com oito carros sem passar na Estação Central e que seguisse até a Estação Carioca. A tal Linha 1A também colocou em risco metroviários pilotando as composições e funcionários trabalhando no
Centro de Manutenção.

Desde 2013, a concessionária vem solicitando ao Governo a construção do trecho final da Linha 2 Centro. São cerca de três quilômetros e meio entre a Estação Estácio e a Estação Praça XV. Trata-se de uma obra relativamente barata se comparada com as dezenas de quilômetros das demais expansões prometidas durante a campanha eleitoral do Governador Pezão.

Para a concessionária Metrô Rio, além de maior segurança e melhor prestação de serviço, ela ganharia muitos passageiros com o embarque de passageiros chegados das barcas na projetada Estação Praça XV.

Para o Governo Estadual, seria um alívio ao alocar parte de seus operários nesta obra. A Estação General Osório 2, a Estação Nossa Senhora da Paz, a Estação Jardim de Alah, a Estação Antero de Quental, a Estação São Conrado e a Estação Jardim Oceânico têm previsão de inauguração em meados de 2016, e a Estação Gávea no fim de 2017. Sem nova obra de metrô seriam dez mil desempregados!

Fora isso, o Centro ganhou com muitas reformas, o fim da Avenida Perimetral, a reforma de praças, a implementação do VLT e os novos museus. Só não ganhou mais metrô, nem novas linhas de barcas. Se está cada vez mais complicado de se dirigir ao Centro em veículo próprio e o trânsito para ônibus está caótico, é hora de investir no metrô. Com a demora da construção da Linha 2, a Prefeitura aproveitou e colocou linhas de ônibus exclusivas fazendo Estácio - Praça XV.


A conclusão da Linha 2 Centro possibilitará no futuro a conclusão da Linha 2 Norte com a Estação Vila Rosali, Estação Agostinho Porto, Estação Coelho da Rocha e Estação Belford Roxo.



O projeto final desta obra, o trajeto do metrô, as
estações, prazos, licitação, quem fará a obra, o planejamento detalhado,....nada disso ainda foi definido.

As Estações da Linha 2 Centro:
Estação Catumbi: Esta estação fazia parte do projeto original da Linha 2 e perdurou até o final dos anos 70 nos mapas da Rio Trilhos. Posteriormente, nas duas tentativas de se concluir a Linha 2, nos anos 80 e nos anos 90,
esta estação já havia sido retirada do projeto. Ela ganha força agora, pois no lugar do presídio que ali existia, agora há uma grande área residencial. Além disso, ela poderá servir para desafogar o acesso ao Sambódromo durante o Carnaval e outros eventos. Tem 25% de fazer parte do projeto.

Estação Praça da Cruz Vermelha: Se algo foi feito para a construção da Estação Praça da Cruz Vermelha não é possível confirmar. No lugar do terreno onde ficaria a estação subiu um prédio da Petrobrás. Será que é preciso deslocar a estação de lugar. Tem 80% de chances de fazer parte do projeto.

Estação Santo Antônio: Esta estação foi descartada logo nos anos 70 pela Rio Trilhos. Ela ficaria muito próxima da Estação Carioca. Só teria utilidade para interligar o metrô com o bondinho de Santa Teresa numa mesma estação. Seria mais fácil fazer uma saída do metrô para o bondinho por baixo de terra. Tem 1% de chances de fazer parte do projeto.

Estação Carioca: Cerca de um terço da obra foi feita. Ela é considerada fundamental e tem 100% de chances de fazer parte do projeto.

Estação Praça XV: Seria a nova estação terminal da Linha 2. É preciso que ela seja construída em profundidade suficiente para uma futura ligação por baixo da Baía de Guanabara com a Estação Praça Araribóia, em Niterói. Nunca foi feito um projeto detalhado da estação nem estudos do solo. Tem 90% de chances de fazer parte do projeto.

Ordem das Imagens:
Mapa das Linhas 1 e 2 dos anos 80, um dos mapas das Linhas 1 e 2 dos anos 60; o projeto da Estação Carioca; a plataforma da Linha 2 da Estação Carioca; o local de circulação de passageiros entre as plataformas na Estação Carioca; a Praça XV; mapa da Rio Trilhos mostrando o traçado após a Estação Estácio; mapa da Rio Trilhos mostrando a Estação Catumbi; mapa da Rio Trilhos mostrando a Estação Praça da Cruz Vermelha; e mapa da Rio Trilhos mostrando a chegada na Estação Carioca.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Mapa com as Novas Licitações

O jornal O Dia publicou um novo mapa do metrô do Rio de Janeiro caso as licitações da "Linha 5" (Linha 4 original) e da Linha 4 extendida até o Recreio saíssem do papel. 

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Visitamos a Estação Antero de Quental

Visita em 30 de Agosto de 2015 foi antes da Estação Antero de Quental receber o tatuzão.




terça-feira, 8 de setembro de 2015

Estação Jardim de Alah

As obras da Estação Jardim de Alah estão muito atrasadas de acordo com o cronograma original da Linha 4. As primeiras fotos mostram a solução de engenharia encontrada para a construção da estação. Chamado de breakthrough submerso, uma grande quantidade de água do canal do Jardim de Alah ficará sobre a estação. Isso exigirá da concessionária uma manutenção permanente da estrutura da estação.








terça-feira, 1 de setembro de 2015

Estação Antero de Quental Aguarda Tatuzão

Obras estão adiantadas mas para concluir a estação é preciso aguardar a chegada do tatuzão, prevista para outubro.