terça-feira, 15 de agosto de 2017

Maquinário Legal

De longe parece um ônibus escolar. Na verdade, trata-se de uma locomotiva do metrô para transportar carga pesada pelos trilhos do sistema.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Sinalização Automática Concluída na Linha 4

O Metrô Rio finalmente instalou o sistema de sinalização automática na Linha 4. As paradas agraciadas foram: Estação Jardim Oceânico, Estação São Conrado, Estação Antero de Quental, Estação Jardim de Alah, Estação Nossa Senhora da Paz e Estação General Osório.

A Estação Cantagalo da Linha 1 também ganhou o sistema.

Enquanto isso, a Linha 2 segue sem essa tecnologia. A Estação Uruguai da Linha 1 tampouco a tem.

O metrô precisou fechar mais cedo durante três sábados para testes no sistema.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Canteiro de Obras da Estação Morro de São João ainda Atrapalha

O terreno do metrô ainda existe. Fica bem próximo da praia de Botafogo e da Estação Botafogo. Ele fica nas esquinas das ruas Nelson Mandela e Álvaro Rodrigues. Este terreno impede que a rua Fernando Guimarães chegue à Nelson Mandela, o que poderia encurtar o caminho do pedestre em cerca de 300 metros.

É preciso estudar se há necessidade deste terreno para se concluir a Estação Morro de São João. Também é preciso ver se vão tirar esta estação do papel ou não.

Um centro comercial do tamanho do Rio Sul ao lado da torre de escritórios, da UFRJ e do Canecão, sem falar na área residencial do entorno, é óbvio que deveria ganhar sua estação de metrô.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Novas Linhas de Barcas

A prefeitura estuda a criação de três novas linhas de barcas na Baía de Guanabara.

Seriam elas:
Praça XV - Duque de Caxias
Praça XV - São Gonçalo
Praça XV ou Aeroporto Santos Dumont - Aeroporto Internacional do Galeão

terça-feira, 23 de maio de 2017

Fraudes na Linha 4 Passam de R$ 3 bilhões

Segundo matéria do jornal O Globo, já repercutida em diversos meios de comunicação, uma ação civil pública foi promovida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro contra 30 réus.

Foram indiciados Júlio Lopes (ex-Secretário Estadual de Transportes e agora Deputado Federal), Sérgio Cabral (Governador), Pezão (Vice-Governador da época e atual Governador), Carlos Osório (ex-Secretário Estadual de Transportes e agora Deputado Estadual), Heitor Lopes de Sousa Júnior (ex-presidente da Rio Trilhos), Luiz Carlos Velloso (ex-Secretário Estadual de Turismo) e mais 24 pessoas. A Odebrecht e outras empreitas também foram indiciadas.

Alguns dos crimes, que totalizaram um prejuízo de R$ 3,17 bilhões aos cofres públicos:
1 - Utilizar o contrato licitatório de 1998, em vez de realizar uma nova licitação.
2 - Alterações contratuais sem licitação.
3 - Aditivos irregulares para subcontratações e superfaturamentos.
4 - Mudança no traçado permitiu a antecipação de pagamentos. A verba pública empregada na obra subiu de 43% (previstos para 1998) para 89% (anos 10).
5 - Antecipação irregular para compra do tatuzão, alterando o método de escavação.
6 - 675% de aumento dos aportes dos recursos aumentando o custo erário em cerca de 8 vezes.

A Justiça pode pedir a devolução deste dinheirão todo, além da suspensão dos direitos das empresas por até 10 anos.

Como são R$ 3,17 bi desviados do total de R$ 10 bi, o metrô poderia ter ganho cerca de um terço a mais de quilômetros (pelo menos cinco) e estações (pelo menos duas).

Bizarro!

https://oglobo.globo.com/brasil/mp-rj-cobra-3-bi-por-fraudes-na-linha-4-do-metro-acusa-cabral-julio-lopes-empresas-da-lava-jato-21287285#ixzz4g1uVFQQu

terça-feira, 16 de maio de 2017

Média de passageiros da linha 4 do metrô é 46% abaixo da esperada

Os resultados deste estudo divulgados pelo Metrô Rio e publicados em O Globo não é de se espantar. Há dois erros grosseiros no sistema de transporte de nossa cidade.

1) A Linha 4 foi construída como extensão da Linha 1: Todos os estudos apontavam para uma Linha 4 independente, até o ex-Governador Sérgio Cabral assumir o poder. Hoje, já se sabe que a escolha do traçado foi fruto de corrupção para favorecer empresas que haviam ganho antigas licitações para a expansão metroviária. A Linha 4 deveria ter sido construída de forma independente. É por isso, que os ônibus de integração com o metrô vivem lotados interligando as estações previstas na Linha 4, como Gávea, Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras.

2) O custo da integração dos modais: Dentro de uma mesma cidade é inadimissível que a integração do metrô com o BRT ou ônibus comum seja cobrada uma nova tarifa. O fenômeno faz com que muitas pessoas deixem de utilizar o metrô, já que ele pertence ao estado. Um BRT + metrô custa R$ 7,00, em vez dos R$ 3,80 de um BRT+ônibus ou ônibus+ônibus.

 Leia mais: http://oglobo.globo.com/oglobo-21214768#ixzz4eS9wcdGQ

terça-feira, 9 de maio de 2017

Os Projetos Originais da Rio Barra

Encontramos dois mapas que mostram o projeto de expansão do metrô à Barra da Tijuca de 1998.

O primeiro mapa mostra a alternativa saindo da Estação Santo Antônio (do projeto original da Linha 2 dos anos 60 e posteriormente descartada), Estação Laranjeiras, Estação Humaitá II (cadê a I?), Estação Gávea, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico. Já havia a previsão de outra expansão até o Terminal Alvorada, através da Estação Canal de Marapendi, Estação Nova Ipanema e Estação Alvorada.

A outra alternativa foi a que acabou sendo licitada. A Linha 4 sairia da Estação Morro de São João (que faz parte do projeto da Linha 1), Estação Humaitá I (cadê a II?), Estação Gávea, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico.

Infelizmente, nenhum dos dois projetos, nem a Linha 4 que saiu do papel prevê baldeações, que permitam o passageiro a trocar de linha. Este blog considera que da Linha 4, apenas a Estação Jardim Oceânico e a Estação São Conrado saíram do papel. As demais inauguradas em 2016 pertencem à Linha 1, que futuramente deverá ser circular.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Vende-se a Alma para a Expansão do Metrô

Sem recursos financeiros, o Governador Pezão veio com uma ideia criativa para a expansão do metrô fluminense. Ignorando as obras inacabadas da Estação Gávea (Linha 1 e Linha 4), Estação Morro de São João (Linha 1) e Estação Carioca (Linha 2), o político desejar vender CEPACs a empresários.

Explica-se: As CEPACs (Certificados de Potencial Adicional de Construção) permitiriam que as construtoras aumentassem em até um andar e meio o gabarito de suas edificações. Ou seja, centros comerciais, lojas, prédios, condomínios, poderiam ficar mais altos.

A idéia, publicada pelo jornal O Globo em 28 de Março de 2017, seria colocar todo o dinheiro da venda das CEPACs num fundo e financiar a expansão da Linha 4 metroviária. Todas as CEPACs seria para os bairros do Recreio, Vargem Grande e Vargem Pequena e financiariam a chegada do metrô até o Recreio, através da Avenida das Américas e do terminal Alvorada.

O projeto ainda não apresentado incluiria quatro estações entre a Estação Jardim Oceânico e a Estação Alvorada, e outras 19 até o final do Recreio.

Não há nenhuma preocupação com a circulação de ar, impacto viário ou de meio-ambiente na transformações destes bairros.

Há uma grande oportunidade de legalizar a corrupção, afinal "o que é preciso fazer para que meu prédio tenha dois, três, quatro andares a mais do que a lei atual permite?"

Atualização: Em nova matéria no O Globo de 29 de Março de 2017, falou-se que em vez de seguir para o Recreio, que as CEPACs a serem vendidas seriam as de Jacarepaguá e a Linha 4 do metrô de Pezão seguiria pelo traçado original da Linha 6, indo para dentro da Zona Oeste.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Concessionária Promete Sinalização Automática na Linha 4 Até Dezembro

Segundo matéria do jornal O Globo publicada online em 28 de Março de 2017, o diretor de operações da Metrô Rio, Daniel Habib, prometeu a automatização da sinalização da Linha 4 até Dezembro deste ano.

A promessa significa quase um ano de atraso em relação ao cronograma original. Pior, a automatização da sinalização na Linha 2 e nas estações finais da Linha 1 tampouco foram implementadas.

http://oglobo.globo.com/rio/linha-4-do-metro-ainda-nao-conta-com-sistema-de-piloto-automatico-21118979

terça-feira, 18 de abril de 2017

Metrô Até o Recreio Ganha Força

Segundo o blog de Jorge Bastos Moreno, do O Globo Online, o Governador Pezão e o Prefeito Crivella têm interesse em levar a Linha 4 do metrô até o Recreio.

Sem recursos financeiros, a ideia é que a obra seja bancada por empresários da Barra da Tijuca e do Recreio. Em troca, a prefeitura permitiria aumentar em até um andar e meio o gabarito de construção nestes bairros.

O projeto deverá ser costurado até Junho e as obras se iniciariam este ano.

Curioso é que a Estação Gávea continua com suas obras paradas.

http://blogs.oglobo.globo.com/blog-do-moreno/post/exclusivo-pezao-e-crivella-querem-estender-metro-ate-o-recreio-ainda-este-ano.html

terça-feira, 11 de abril de 2017

Fim da Baldeação

A linha em tripa foi concluída no sábado, 25 de Março com o fim da baldeação na Estação General Osório. Agora, pode-se ir da Estação Uruguai ou da Estação Pavuna diretamente à Estação Jardim Oceânico. As Linhas 1, 2 e 4 se transformaram numa só.

Isso não sai na mídia:
* O túnel da Estação Cantagalo para a Estação General Osório 2 já estava pronto desde Agosto.

* Como já dissemos várias vezes aqui, a Estação General Osório 1 foi construída no local errado. Que a Lava Jato continue investigando suas razões.

* O túnel entre a Estação Cantagalo e a Estação General Osório 2 só não foi inaugurado antes porque iam instalar a sinalização automática na Linha 4.

* Não instalaram a sinalização atuomática na Linha 4 mas decidiram abrir o túnel ao usuário de qualquer maneira.

* Talvez tenham feito isso agora para amenizar um pouco as críticas que o Governo vem recebendo pela falta de recursos para concluir a Estação Gávea e pelo desvio de verbas da obra da Linha 4.

* Repito: que a Lava Jato continue investigando!

terça-feira, 4 de abril de 2017

Corrupção na Linha 4

A mudança no traçado, a necessidade da compra do tatuzão, entre outras lambanças nunca foram explicadas tecnicamente. Suas respostas começam a aparecer.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/pf-e-mpf-cumprem-mandados-em-mais-um-desdobramento-da-operacao-lava-jato-no-rj.ghtml

terça-feira, 28 de março de 2017

Prefeitura Não Ajudará na Estação Gávea

O prefeito eleito Marcello Crivella prometeu "garantir junto ao Estado que a Estação do metrô da Gávea esteja em operação até o final de 2017". A promessa consta em seu programa de governo e foi registrada no TRE.

Apesar de ter criado uma comissão para avaliar o andamento das obras de metrô (que andamento?) o vice-prefeito, Fernando Mac Dowell já declarou que a prefeitura não tem como colaborar financeiramente com as obras.

terça-feira, 21 de março de 2017

Tatuzão Parado Custa R$ 3 Milhões por Mês

Uma obra de metrô não é barata. Pelo menos, quando estiver pronta, a população usufrui de seu excelente serviço.

Uma obra de metrô parada tampouco é barata. No caso específico da Linha 4, ela tem custos de se manter e proteger buracos abertos da Estação Gávea, de fazer a manutenção diária no tatuzão, de pagar funcionários empregados pelo consórcio construtor, iluminação, manutenção e vigilância das aduelas prontas no Centro, entre outros. Isso sem contar, com o risco de possíveis furtos de equipamentos.

Pior é saber que a Estação Gávea não é a única nesta situação. É bom lembrar que o Rio tem a Estação Morro de São João e a Estação Carioca 2 com 80% de suas estruturas prontas.

Em 05 de Março de 2017, o Globo publicou a matéria "Verba Que Vai para o Buraco". Ela foi escrita por Guilherme Ramalho. Segundo a reportagem, listamos os custos abaixo:

* Custo Total das Obras paradas há dois anos: R$ 34,2 milhões.

Sendo que:
* Custo Total da manutenção do Tatuzão: R$ 29,2 milhões.
* Custo Total dos Canteiros de Obras: R$ 5 milhões.
* Custo Mensal da manutenção do Tatuzão: R$ 2,9 milhões.
* Custo Mensal dos Canteiros de Obras: R$ 222.968,57.

Lembrando que:
* Custo da Compra do Tatuzão em 2011: R$ 100 milhões.
* TCE Encontrou Sobrepreços na obra da Linha 4 na ordem de: R$ 2,3 bilhões.
* Custo Estimado da Linha 4: R$ 5 bilhões.
* Custo Total da Linha 4: R$ 9,7 bilhões.
* Verba que falta para a conclusão da Estação Gávea: R$ 500 milhões.

É bom lembrar ao leitor também que a Linha 4, incluindo a Estação Gávea, tinha a previsão inicial de ser inaugurada em Janeiro de 2016. Ela foi inaugurada somente em Agosto de 2016 sem a Estação Gávea.



terça-feira, 14 de março de 2017

Quanto Custa o Metrô Parado e a Máquina Estatal?

As obras paradas do metrô têm um custo. Custo de manutenção dos buracos abertos, custo de manutenção do tatuzão parado, custo de vigilância dos buracos e equipamentos largados, custo de energia elétrica, salários de funcionários, risco das aduelas prontas apodrecerem, risco de furtos de equipamentos, etc, etc.

A situação descrita acima não é exclusiva da Estação Gávea. Ela também se refere à Estação Carioca 2, Estação Morro de São João e até ao que foi escavado entre a Estação Estácio e a Estação Carioca 2.

Para piorar, o Estado que se encontra inadimplente com seus servidores e com muitos fornecedores, gasta por mês uma quantia que poderia ser economizada com empresas públicas já fechadas, que resistem a desaparecerem.


terça-feira, 7 de março de 2017

Novos Ônibus

Ainda para compensar a não construção da Linha 4 original, os ônibus do Metrô de Superfície continuam a circular em dus linhas.

A primeira circula entre a Estação Antero de Quental e o terminal rodoviário da Gávea e será desativada assim que a Estação Gávea for concluída.

A segunda tem o trajeto entre a Estação Botafogo e a o terminal rodoviário da Gávea e será desativada quando a Linha 4 original for concluída com a Estação Gávea, Estação Jockey Club Brasileiro, Estação Jardim Botânico, Estação Humaitá, Estação Dona Marta e a ampliação da Estação Botafogo (ou Estação Morro de São João).

O problema dos novos ônibus, além da pintura que parece uma caixa de remédios, é a falta de cobrador. O motorista assumiu a função de cobrar os passageiros.