sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Custos da Ampliação do Metrô

Segundo Plano Diretor Metroviário publicado em Dezembro de 2017. Os valores incluem a compra de novo material rodante.

Estácio - Praça XV: R$ 4,3 bilhões, com 4 novas estações.
Praça XV - Arariboia: R$ 3,9 bilhões, com 12 novas estações.
Gávea - Carioca: R$ 6,3 bilhões, com 8 novas estações.
Alvorada - Recreio: R$ 9,0 bilhões, com 9 novas estações.
Arariboia - Região Oceânica: R$ 7,9 bilhões, com 3 novas estações.
Arariboia - Alcântara: R$ 6,5 bilhões, com 12 novas estações.
Deodoro - Presidente Vargas: R$ 20,0 bilhões, com 18 novas estações.
Alvorada - Cocotá: R$ 8,8 bilhões, com 20 novas estações.
Jardim Oceânico - Alvorada: R$ 4,4 bilhões, com 5 novas estações.
Uruguai - Del Castilho: R$ 6,2 bilhões, com 7 novas estações.
Gávea - Uruguai: R$ 3,2 bilhões, com 1 nova estação.

domingo, 4 de novembro de 2018

Hora de Cobrar de Wilson Witzel

E então? Quando começa? Qual o cronograma? Por onde começa?

Propostas de Wilson Witzel:
Linha 1 e Linha 4: fechamento do anel após a conclusão da Estação Gávea.
Linha 2: terminhar o trecho Centro com a conclusão da Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.
Linha 3: Construir o trecho entre São Gonçalo e Niterói.
Linha 6: Estudar a viabilidade do trecho entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Wilson Witzel Deseja Investir em Metrô; Paes em Ônibus

Que Wilson Witzel vença para ampliarmos nossa rede metroviária.

Propostas de Wilson Witzel:
Linha 1 e Linha 4: fechamento do anel após a conclusão da Estação Gávea.
Linha 2: terminhar o trecho Centro com a conclusão da Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.
Linha 3: Construir o trecho entre São Gonçalo e Niterói.
Linha 6: Estudar a viabilidade do trecho entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão.

Propostas de Eduardo Paes:
Linha 1 e Linha 4: conclusão da Estação Gávea.
Linha 6: substituir o corredor de ônibus entre a Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão.
Ônibus: expandir os corredores de ônibus pela cidade.
VLT: expandir o VLT para a Zona Sul.


terça-feira, 2 de outubro de 2018

Candidatos Chegaram a Debater a Linha 6

Todos sabem que construir os BRTs entre a Zona Oeste e a Ilha do Governador foi um erro.

O próprio Eduardo Paes (MDB), autor dos corredores de ônibus, Anthony Garotinho (PRP) e Tarcísio Motta (PSOL) falam em substituir gradualmente tal sistema pelo metroviário.

O candidato do PRP fala em unir as áreas da Alvorada, Penha e Ilha do Governador sem precisar detalhes. Eduardo Paes promete unir a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional passando pela Freguesia e o Méier.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Lei 8074/18 Autoriza Expansão Metroviária

De autoria dos deputados André Ceciliano (PT), presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Luiz Martins (PDT) e da ex-deputada Rosangela Gomes, a lei 8074/18 autoriza o Estado do Rio de Janeiro a realizar um estudo de viabilidade técnica para a expansão do metrô na Baixada Fluminense e também a ligação entre a Estação Jardim Oceânico e o terminal da Alvorada.

O estudo de viabilidade de extensão da Linha 4 deverá ser divulgado na imprensa oficial e nos jornais de grande circulação 30 dias após sua realização.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Propostas dos Candidatos para o Metrô do Rio de Janeiro

Anthony Garotinho (PRP): Concluir a Linha 2 na direção norte: Estação Belford Roxo - Estação Coelho da Rocha - Estação Agostinho Porto - Estação Vila Rosali - Estação Pavuna.

Eduardo Paes (DEM): Concluir as obras da Estação Gávea (Linha 1 e Linha 4).

Índio da Costa (PSD): ----

Márcia Tiburi (PT): ----

Pedro Fernandes (PDT): ----

Romário (PODEMOS): Concluir as obras da Estação Gávea (Linha 1 e Linha 4).

Tarcísio Motta (PSOL): Concluir a Linha 2 na direção centro: Estação Estácio - Estação Catumbi - Estação Praça da Cruz Vermelha - Estação Carioca - Estação Praça XV.

Wilson Witzsel (PSC): ----

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Por uma Nova Licitação

Como pode a concessionária não investir nenhum centavo e ainda ser a única favorecida com tantos investimentos, sobretudo na Linha 4? Onde estão os documentos de precificação das passagens? Onde estão os projetos de expansão? Quanto custa manter fechadas as estações Carioca 2, Morro de São João e Estácio? Por que há tanto mistério no metrô fluminense?

Veja o link abaixo:

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2018/08/03/mp-pede-nova-licitacao-do-metro-do-rio-por-monopolio-sobrepreco-e-sumico-de-documentos.ghtml

terça-feira, 6 de março de 2018

Metrô Rio Lucrou Acima do Permitido por Lei

Segundo reportagem do O Globo, a concessionária Metrô Rio lucrou R$ 236 milhões acima do permitido pelo contrato de concessão.

O Estado propôs que a prestadora do serviço de transportes metroviários assumisse a ampliação da Linha 2 em vez de devolver esta quantia ao Governo. A concessionária recusou e entrou na justiça para ficar com a grana.

Fonte: O Globo, 26 de fevereiro de 2018.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Expansão de 1979 a 1989

A Companhia do Metropolitano de São Paulo guarda outro tesouro em seus arquivos. Com as obras do metrô fluminense em andamento, já se dando conta dos atrasos nas Linhas 1 e 2, previu-se a expansão do sistema para os próximos dez anos.

A Linha 2 seria construída entre Niterói e São Gonçalo (ficaria faltando apenas a ligação com a capital do estado), a Linha 1 adentraria à Zona Sul e a Linha 6 (na época Linha 3) seria construída.

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Mapas dos Anos 70 Mostram como Deveria Ser o Metrô Fluminense

A Companhia do Metropolitano de São Paulo guarda em seus arquivos dois mapas (um deles datado de 1976) que mostram como deveria ser o metrô fluminense.

É bom lembrar que as Linhas 1 e 2 tinham previsão de serem inauguradas em 1979 e, na seqüência, até 1989, seriam inauguradas três linhas de pré-metrô e a Linha 3 (atual Linha 6).

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Nove Perguntas Sem Resposta

Afinal, por que falta tanta transparência?

1 - Quem paga e quanto custa a manutenção do tatuzão?
2 - Quem paga e quanto custa o buraco da Estação Gávea?
3 - Qual o custo da água utilizada para inundar os buracos da Estação Gávea?
4 - Quem paga e quanto custa o mínimo de manutenção na plataforma da Linha 2 na Estação Carioca?
5 - Quem paga e quanto custa o mínimo de manutenção da Estação Morro de São João?
6 - Se a Estação Gávea foi inundada por segurança, a plataforma da Linha 2 na Estação Carioca e a Estação Morro de São João são seguras mesmo não tendo sido inundadas?
7 - Quem paga e quanto custa o depósito de aduelas no Centro da cidade? Quanto tempo elas podem ficar expostas a sol e chuva?
8 - Nos anos 80, a Camargo Correia fez um túnel após a Estação Estácio para testar seu tatuzão. Ela escavou 80 metros. Que fim levou este túnel? Ele foi inundado? Ou os imóveis no entorno ainda correm risco de desabamento?
9 - O que a justiça está fazendo para recuperar os R$ 3,17 bilhões desviados da Linha 4?

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Deu Água no Metrô da Gávea

Reportagem do O Globo de 15 de janeiro de 2018 diz que Estado decidiu inundar a Estação Gávea para evitar possíveis deslocamentos do solo.

É mais uma confirmação que o Estado não sonha tão cedo em retomar as obras, devido à falta de caixa.

Matéria online: https://oglobo.globo.com/rio/estado-decide-inundar-buraco-onde-era-construida-ultima-estacao-da-linha-4-22287744

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Estação Gávea Liberada para Obras

Segundo o jornal O Globo, na tarde de 09 de janeiro de 2018, o Tribunal de Contas do Estado liberou o repasse de verbas que a Estação Gávea seja concluída. A decisão segue uma proibição que o próprio TCE impôs ao Governo Estadual, que até hoje deve salários aos servidores e outros pagamentos a centenas de fornecedores.

A Estação Gávea é a mais importante das que foram construídas para so Jogos Olímpicos, pois ela permitirá no futuro que as Linhas 1 e 4 sejam independentes. A Linha 1 deve seguir depois da Estação Gávea por debaixo do maciço da Tijuca, alcançar a Estação Muda e posteriormente a Estação Uruguai. Já pela Linha 4 será possível fazer a ligação para a Estação Praça Santos Dumont e seguir viagem para a Estação Jardim Botânico, Estação Humaitá, Estação Largo dos Leões, Estação Botafogo, Estação Laranjeiras e Estação Carioca.

Fonte:
https://oglobo.globo.com/rio/tce-libera-obras-da-estacao-gavea-da-linha-4-do-metro-22270952

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Sem Plano de Mobilidade

Enquanto assistimos pela televisão ou lendo notícias pela internet, as expansões dos metrôs de Santiago, Londres e outros, o Rio de Janeiro continua estagnado. As linhas desenhadas pela primeira vez na década de 20 pouco avançaram. O plano definitivo dos anos 60 tampouco. O projeto construído nos anos 70 que pretendia terminar a Linha 1 em 1979 e as demais linhas nos anos 80 tampouco. Tudo isso é fruto de corrupção, falta de planejamento  e uma administração para lá de amadora. Quem sofre é o povo!

A falta de notícias do blog é porque simplesmente não há notícias. Os buracos da Estação Morro de São João, Estação Gávea e Estação Carioca 2 continuam abertos, aguardando algo acontecer.

Os projetos avançados das Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Praça XV, toda a extensão entre Niterói e São Gonçalo, as estações da Linha 4 original e até as estações da Linha 5 (projeto do Pan 2007) continuam na gaveta.


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Inaugurada a Segunda Linha de VLT

Enquanto o tradicional bonde estadual de Santa Teresa continua aquém do trajeto que deveria ter, a prefeitura inaugura a segunda linha do bonde moderno.

E as expansões do metrô? Tudo parado e o povo engarrafado!

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Podemos Ter Este Metrô em 4 Anos

Se os investimentos necessários fossem feitos, a malha metroviária poderia ser maior. Há obras simples paradas nas gavetas dos políticos.

Tempo estimado para conclusão de cada trecho, se todos os equipamentos funcionarem como se deve.

* Linha 1: Estação Morro de São João: cerca de 6 meses de obras.

* Linha 1: concluir a Estação Gávea, construir a Estação Muda e fechar o anel entre a Zona Sul e a Zona Norte: cerca de 18 meses de obras.

* Linha 2: conclusão do trecho Estação Estácio - Estação Catumbi - Estação Praça da Cruz Vermelha - Estação Carioca - Estação Praça XV: - cerca de 24 meses de obras.

* Linha 4: expansão até a Estação Alvorada: cerca de 36 meses de obras.

Considerando o prazo de licitação e atrasos normais de obras, a estimativa desta construção seria de 4 a 5 anos.

sábado, 2 de setembro de 2017

Pezão Pede Retomada das Obras da Linha 4

Apesar da suspeita de superfaturamento na ordem de R$ 3 bilhões e da prioridade ser o pagamento dos salários atrasados dos servidores estaduais, o Governador Pezão pediu para o Tribunal de Contas Estadual liberar a continuação das obras da Linha 4.

Falta construir o túnel entre Leblon e Gávea, além da Estação Gávea.

Fonte: https://oglobo.globo.com/rio/em-meio-crise-pezao-pede-tce-para-retomar-obra-da-linha-4-21777494

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Maquinário Legal

De longe parece um ônibus escolar. Na verdade, trata-se de uma locomotiva do metrô para transportar carga pesada pelos trilhos do sistema.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Sinalização Automática Concluída na Linha 4

O Metrô Rio finalmente instalou o sistema de sinalização automática na Linha 4. As paradas agraciadas foram: Estação Jardim Oceânico, Estação São Conrado, Estação Antero de Quental, Estação Jardim de Alah, Estação Nossa Senhora da Paz e Estação General Osório.

A Estação Cantagalo da Linha 1 também ganhou o sistema.

Enquanto isso, a Linha 2 segue sem essa tecnologia. A Estação Uruguai da Linha 1 tampouco a tem.

O metrô precisou fechar mais cedo durante três sábados para testes no sistema.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Canteiro de Obras da Estação Morro de São João ainda Atrapalha

O terreno do metrô ainda existe. Fica bem próximo da praia de Botafogo e da Estação Botafogo. Ele fica nas esquinas das ruas Nelson Mandela e Álvaro Rodrigues. Este terreno impede que a rua Fernando Guimarães chegue à Nelson Mandela, o que poderia encurtar o caminho do pedestre em cerca de 300 metros.

É preciso estudar se há necessidade deste terreno para se concluir a Estação Morro de São João. Também é preciso ver se vão tirar esta estação do papel ou não.

Um centro comercial do tamanho do Rio Sul ao lado da torre de escritórios, da UFRJ e do Canecão, sem falar na área residencial do entorno, é óbvio que deveria ganhar sua estação de metrô.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Novas Linhas de Barcas

A prefeitura estuda a criação de três novas linhas de barcas na Baía de Guanabara.

Seriam elas:
Praça XV - Duque de Caxias
Praça XV - São Gonçalo
Praça XV ou Aeroporto Santos Dumont - Aeroporto Internacional do Galeão

terça-feira, 23 de maio de 2017

Fraudes na Linha 4 Passam de R$ 3 bilhões

Segundo matéria do jornal O Globo, já repercutida em diversos meios de comunicação, uma ação civil pública foi promovida pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro contra 30 réus.

Foram indiciados Júlio Lopes (ex-Secretário Estadual de Transportes e agora Deputado Federal), Sérgio Cabral (Governador), Pezão (Vice-Governador da época e atual Governador), Carlos Osório (ex-Secretário Estadual de Transportes e agora Deputado Estadual), Heitor Lopes de Sousa Júnior (ex-presidente da Rio Trilhos), Luiz Carlos Velloso (ex-Secretário Estadual de Turismo) e mais 24 pessoas. A Odebrecht e outras empreitas também foram indiciadas.

Alguns dos crimes, que totalizaram um prejuízo de R$ 3,17 bilhões aos cofres públicos:
1 - Utilizar o contrato licitatório de 1998, em vez de realizar uma nova licitação.
2 - Alterações contratuais sem licitação.
3 - Aditivos irregulares para subcontratações e superfaturamentos.
4 - Mudança no traçado permitiu a antecipação de pagamentos. A verba pública empregada na obra subiu de 43% (previstos para 1998) para 89% (anos 10).
5 - Antecipação irregular para compra do tatuzão, alterando o método de escavação.
6 - 675% de aumento dos aportes dos recursos aumentando o custo erário em cerca de 8 vezes.

A Justiça pode pedir a devolução deste dinheirão todo, além da suspensão dos direitos das empresas por até 10 anos.

Como são R$ 3,17 bi desviados do total de R$ 10 bi, o metrô poderia ter ganho cerca de um terço a mais de quilômetros (pelo menos cinco) e estações (pelo menos duas).

Bizarro!

https://oglobo.globo.com/brasil/mp-rj-cobra-3-bi-por-fraudes-na-linha-4-do-metro-acusa-cabral-julio-lopes-empresas-da-lava-jato-21287285#ixzz4g1uVFQQu

terça-feira, 16 de maio de 2017

Média de passageiros da linha 4 do metrô é 46% abaixo da esperada

Os resultados deste estudo divulgados pelo Metrô Rio e publicados em O Globo não é de se espantar. Há dois erros grosseiros no sistema de transporte de nossa cidade.

1) A Linha 4 foi construída como extensão da Linha 1: Todos os estudos apontavam para uma Linha 4 independente, até o ex-Governador Sérgio Cabral assumir o poder. Hoje, já se sabe que a escolha do traçado foi fruto de corrupção para favorecer empresas que haviam ganho antigas licitações para a expansão metroviária. A Linha 4 deveria ter sido construída de forma independente. É por isso, que os ônibus de integração com o metrô vivem lotados interligando as estações previstas na Linha 4, como Gávea, Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras.

2) O custo da integração dos modais: Dentro de uma mesma cidade é inadimissível que a integração do metrô com o BRT ou ônibus comum seja cobrada uma nova tarifa. O fenômeno faz com que muitas pessoas deixem de utilizar o metrô, já que ele pertence ao estado. Um BRT + metrô custa R$ 7,00, em vez dos R$ 3,80 de um BRT+ônibus ou ônibus+ônibus.

 Leia mais: http://oglobo.globo.com/oglobo-21214768#ixzz4eS9wcdGQ

terça-feira, 9 de maio de 2017

Os Projetos Originais da Rio Barra

Encontramos dois mapas que mostram o projeto de expansão do metrô à Barra da Tijuca de 1998.

O primeiro mapa mostra a alternativa saindo da Estação Santo Antônio (do projeto original da Linha 2 dos anos 60 e posteriormente descartada), Estação Laranjeiras, Estação Humaitá II (cadê a I?), Estação Gávea, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico. Já havia a previsão de outra expansão até o Terminal Alvorada, através da Estação Canal de Marapendi, Estação Nova Ipanema e Estação Alvorada.

A outra alternativa foi a que acabou sendo licitada. A Linha 4 sairia da Estação Morro de São João (que faz parte do projeto da Linha 1), Estação Humaitá I (cadê a II?), Estação Gávea, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico.

Infelizmente, nenhum dos dois projetos, nem a Linha 4 que saiu do papel prevê baldeações, que permitam o passageiro a trocar de linha. Este blog considera que da Linha 4, apenas a Estação Jardim Oceânico e a Estação São Conrado saíram do papel. As demais inauguradas em 2016 pertencem à Linha 1, que futuramente deverá ser circular.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Vende-se a Alma para a Expansão do Metrô

Sem recursos financeiros, o Governador Pezão veio com uma ideia criativa para a expansão do metrô fluminense. Ignorando as obras inacabadas da Estação Gávea (Linha 1 e Linha 4), Estação Morro de São João (Linha 1) e Estação Carioca (Linha 2), o político desejar vender CEPACs a empresários.

Explica-se: As CEPACs (Certificados de Potencial Adicional de Construção) permitiriam que as construtoras aumentassem em até um andar e meio o gabarito de suas edificações. Ou seja, centros comerciais, lojas, prédios, condomínios, poderiam ficar mais altos.

A idéia, publicada pelo jornal O Globo em 28 de Março de 2017, seria colocar todo o dinheiro da venda das CEPACs num fundo e financiar a expansão da Linha 4 metroviária. Todas as CEPACs seria para os bairros do Recreio, Vargem Grande e Vargem Pequena e financiariam a chegada do metrô até o Recreio, através da Avenida das Américas e do terminal Alvorada.

O projeto ainda não apresentado incluiria quatro estações entre a Estação Jardim Oceânico e a Estação Alvorada, e outras 19 até o final do Recreio.

Não há nenhuma preocupação com a circulação de ar, impacto viário ou de meio-ambiente na transformações destes bairros.

Há uma grande oportunidade de legalizar a corrupção, afinal "o que é preciso fazer para que meu prédio tenha dois, três, quatro andares a mais do que a lei atual permite?"

Atualização: Em nova matéria no O Globo de 29 de Março de 2017, falou-se que em vez de seguir para o Recreio, que as CEPACs a serem vendidas seriam as de Jacarepaguá e a Linha 4 do metrô de Pezão seguiria pelo traçado original da Linha 6, indo para dentro da Zona Oeste.