segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Extensões da Chamada Linha 5

Ao contrário dos que muitos pensam, a Linha 4 original, chamada de Linha 5 pelo atual Governador Pezão, não vai terminar na Estação Carioca. Na verdade, apenas a primeira parte da obra vai terminar lá. O projeto da Linha 5 prevê que ela seja estendida

O projeto conceitual da Linha 5 trabalhou com duas possibilidades de conclusão, lembrando que o primeiro trecho é composto de: Estação Jockey Club Brasileiro, Estação Jardim Botânico, Estação Humaitá, Estação Largo dos Leões, Estação Dona Marta, Estação Laranjeiras, Estação Santa Teresa e Estação Carioca.

1a Possibilidade: Porto do Rio de Janeiro
O metrô passaria pelos eixos da Avenida Passos e Rua Carmerino e sua estação terminal seria no largo em frente ao Hospital dos Servidores do Estado (HSE).

2a Possibilidade: Traçado Alternativo da Linha 4 original:
Neste caso, após a Estação Santa Teresa, o metrô seguiria para a Estação Praça da Cruz Vermelha e dali para a Estação Cidade do Samba, que seria a estação terminal.

No entanto, como espera-se que se finalize a Linha 2 com a construção do trecho Estação Estácio - Estação Catumbi - Estação Praça da Cruz Vermelha - Estação Carioca - Estação Praça XV, o mais provável é que o metrô ganhe o rumo do porto carioca.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

CM para a Linha 4

O estudo conceitual do Governo Estadual para a expansão da Linha 4 entre a Estação Gávea e a Estação Carioca também previu um Centro de Manutenção na Barra da Tijuca, na Avenida Ayrton Senna.

Com a ampliação do sistema e a possível chegada do metrô até a Estação Alvorada, o Centro de Manutenção da Linha 4 desafogaria os demais centros de manutenção.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Novo CM para a Linha 2

O atual Centro de Manutenção do metrô, desenhado originalmente para atender apenas a Linha 1 mas que atende hoje às Linhas 1, 1A e 2, e futuramente à 4, tem uma capacidade máxima para abrigar 77 composições.

No entanto, no estudo conceitual do estado, que considera a compra de 22 novas composições para a Linha 4 Gávea - Carioca, o metrô fluminense passará a ter 93 composições.

Até 2022, o metrô do Rio precisará de um novo centro de manutenção para atender a Linha 2 desafogando o atual centro de manutenção. Até porque, segundo o projeto do estado, o trecho Estácio - Praça da Cruz Vermelha - Carioca - Praça XV será construído após 2020.

No estudo publicado este ano, o Centro de Manutenção da Linha 2 ficaria próximo à Estação Maria da Graça e seus trilhos atenderiam 14 composições com até oito carros, como foi planejada a Linha 2 originalmente, ou 20 composições de seis vagões.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

O X da Linha 4


Na Estação Cantagalo, já se pode ver o perigoso X da Linha 4. O cruzamento em nível permitirá que uma composição siga para a Estação General Osório e outra para a Estação General Osório II.

Já é sabido que a partir de 2016, através da Linha 1A, a Linha 2 sairá da Estação Pavuna e irá direto para a Estação General Osório.

A operação da Linha 1/4 será dividida: os trens saindo da Estação Uruguai irão para a Estação Gávea ou para a Estação Jardim Oceânico sem passar pela Estação Gávea.

As imagens foram enviadas respectivamente por Ricardo Lafayette e Licínio Machado. Ambos são membros do Movimento Linha 4 que o Rio Precisa.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O Y da Linha 4

O túnel da Linha 4 entre a Zona Oeste e a Zona Sul está em fase de conclusão.

O túnel entre a Estação Jardim Oceânico e a Estação São Conrado já foi totalmente concluído. Ambas as estações estão semi-prontas. Neste trecho, apenas a ponte que ligará o túnel dentro do Morro do Focinho e a Estação Jardim Oceânica não está pronta. Sua construção começou em Fevereiro deste ano.

A primeira imagem mostra o túnel da Linha 4 já na Zona Sul. Ele fará uma bifurcação em Y. Os trens vindos da Estação São Conrado poderão seguir para a Estação Gávea ou diretamente para a Estação Antero de Quental, sem passar pela Estação Gávea. Este projeto é uma das maiores críticas à obra da Linha 4, pois não faz muito sentido este Y. No entanto, a concessionária pretende criar uma Linha 4A e uma Linha 4B dividindo seu fluxo de passageiros. É possível também que o túnel que não passará pela Gávea sirva como estacionamento de trens no futuro.

As obras hoje estão a 500 metros da Estação Gávea e a 1.000 metros da Estação Antero de Quental.

As obras entre a Estação General Osório e a Estação Gávea estão paradas. A Estação General Osório II está praticamente pronta. A Estação Praça Nossa Senhora da Paz, a Estação Jardim de Alah e a Estação Antero de Quental estão avançadas. A Estação Gávea é a mais atrasada de todas e não ficará pronta a tempo dos Jogos Olímpicos de 2016.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Necessária Investigação do Metrô de Macaé

Como assim uma cidade planeja, monta parte dos trilhos, parte das estações, compra duas composições e agora quer vender os trens para o estado construir o sistema de VLTs em outro município, com aprovação dos veradores locais? É preciso investigar!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Licitação da Linha 5

Segundo informações obtidas pelo blog, em cerca de 15 dias vai ocorrer a licitação da chamada Linha 5. A Linha 5 nada mais é que um trecho da Linha 4 original e segundo o estudo conceitual terá as seguintes paradas: Estação Jockey Club Brasileiro, Estação Jardim Botânico, Estação Humaitá, Estação Largo dos Leões, Estação Dona Marta, Estação Laranjeiras, Estação Santa Teresa e Estação Carioca.

Tampouco pode-se confundir com a Linha 5 Original que teria as seguintes paradas: Estação Cocotá, Estação Jardim Guanabara, Estação Aeroporto Internacional, Estação UFRJ, Estação Rodoviária Novo Rio, Estação Carioca e Estação Aeroporto Santos Dumont.

Para a licitação da Linha 5 (Gávea - Carioca), o Governo do Estado já conversou com sete consórcios construtores de três países que consistem de 21 empresas interessadas na obra.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Nova Licitação para o que Já Existe

No começo de Julho, a Secretaria Estadual de Transportes publicou, no Diário Oficial, o edital de licitação para escolher a empresa que vai elaborar o projeto para a expansão da rede do metrô para os próximos 30 anos. A ganhadora terá um ano para apresentar os estudos de uso do solo, demanda e viabilidade para implantação de novas linhas no sistema de transporte subterrâneo no Rio de Janeiro. O custo para fazer este levantamento está estimado em R$ 4,1 milhões. O dinheiro será financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A abertura dos envelopes da concorrência acontecerá em 19 de Agosto. Segundo o órgão, o Plano Diretor Metroviário da Região Metropolitana engloba os municípios de Itaboraí, Niterói, Rio Bonito, Rio de Janeiro, São Gonçalo, além de toda a Baixada Fluminense.

A idéia não é nova. O estado já tem planos diretores do metrô. O primeiro foi elaborado em 1968. Tivemos atualizações nas décadas de 70, 80 e 90. Infelizmente, nem o primeiro foi concluído e as Linhas 1 e 2 são muito menores do que seus projetos originais, quando o Rio tinha uma população bem menor do que tem hoje.

De todos os projetos lidos e analisados para o metrô do Rio de Janeiro, os projetos originais elaborados pela Rio Trilhos nos anos 80 ainda são os melhores. Este blog defende, conforme ilustrado no mapa acima:

Linhas Prioritárias:
1) Conclusão da Linha 1 Circular: As estações da "Linha 4" em construção deverão ser incorporadas pela Linha 1. São elas a Estação Praça Nossa Senhora da Paz, Estação Jardim de Alah, Estação Antero de Quental e Estação Gávea. A Estação Uruguai seria conectada à Estação Gávea. A Linha 1 também ganharia a Estação Morro de São João, que está semi-pronta.

2) Conclusão da Linha 2 Centro: Ligação entre Estácio e Barcas com a construção da Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.

3) Conclusão da Linha 4 Original: Com as mudanças na Linha 1, a Linha 4 teria apenas a Estação Gávea, a Estação São Conrado e a Estação Jardim Oceânico. Em sua ponta Oeste, ela ganharia a Estação Shopping Downtown, Estação Città América, Estação Barra Shopping, Estação Nova Ipanema e Estação Alvorada. Em sua ponta sul, ela ganharia a Estação Jockey Club Brasileiro, Estação Jardim Botânico, Estação Humaitá, Estação Dona Marta, Estação Botafogo, Estação Laranjeiras e Estação Carioca.

Outras Linhas:
1) Conclusão Linha 2 Baixada: A Estação Pavuna deixaria de ser terminal. Seriam construídas a Estação Vila Rosali, Estação Agostinho Porto, Estação Coelho da Rocha e Estação Belford Roxo.

2) Linha 2A: Estação Trevo das Margaridas, Estação Avenida Brasil e Estação Colégio.

3) Linha 3: Sob a Baía de Guanabara, o Rio de Janeiro seria interligado a Niterói. A Linha 3 também passaria por São Gonçalo e Itaboraí. As Estações seriam: Carioca, Praça Araribóia, Jansen de Mello, Barreto, Neves, Vila Laje, Paraíso, Parada Quarenta, Zé Garoto, Mauá, Antonina, Nova Cidade, Alcântara, Jardim Catarina, Guaxindiba, Itambi e Visconde de Itaboraí.

4) Linha 5: Estação Cocotá, Estação Jardim Guanabara, Estação Aeroporto Internacional do Galeão, Estação UFRJ, Estação Rodoviária Novo Rio, Estação Carioca e Estação Aeroporto Santos Dumont.

5) Linha 6: Estação Aeroporto Internacional do Galeão, Estação Penha, Estação Vila da Penha, Estação Irajá, Estação Madureira Shopping, Estação Campinho, Estação Taquara, Estação Jacarepaguá, Estação Cidade de Deus, Estação Casa Shopping, Estação Shopping Via Parque, Estação Hospital Lourenço Jorge e Estação Alvorada.

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Votar em Quem?

Após pesquisa na internet, eis as principais promessas dos candidatos ao Governo do Estado em relação ao metrô.

É importante ressaltar que o PMDB destruiu o plano básico de extensão do metrô e pelas promessas de Pezão vai continuar a fazê-lo. Aliás, são muitas promessas para um estado falido. Quem dera fosse verdade!

Transformar os trens em metrô de superfície, como Crivella promete, não vai mudar nada para a população. Pior: vai gastar-se muito dinheiro trocando os trilhos que têm bitolas diferentes e comprando centenas de novas composições. Tudo isso, para que?

As propostas de Garotinho, Dayse Oliveira, Lindbergh e Ney Nunes são bastante razoáveis.

A grande verdade é que o metrô do Rio de Janeiro precisa urgentemente concluir os cerca de 3 quilômetros entre a Estação Estácio e a Estação Praça XV, passando pela Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha e Estação Carioca. Essa é a grande obra prioritária de quem quiser fazer um bem para o metrô. Ele vai desafogar as Linhas 1, 2 e 4 que estão abarrotadas de gente por causa da Linha 1A e vai facilitar a futura ligação metroviária com Niterói.

Resumo das propostas para o metrô fluminense:

Anthony Garotinho (PR): Levar o metrô até a Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo.

Dayse Oliveira (PSTU): Estatização do metrô.

Lindbergh Farias (PT): Estender a Linha 4 da Estação Jardim Oceânico até a Estação Alvorada.

Luiz Fernando Pezão (PMDB): Estender a Linha 1 entre a Estação Uruguai e o Méier; estender a Linha 4 da Estação Jardim Oceânico ao Recreio; construir a Linha 4 original, agora chamada de Linha 5 entre a Estação Gávea e a Estação Carioca; estender a Linha 2 entre a Estação Estácio e a Estação Praça XV.

Marcelo Crivella (PRB): Deseja transformar o sistema ferroviário em metrô de superfície.

Ney Nunes (PCB): Estatização do metrô e levá-lo do Rio de Janeiro a Niterói e São Gonçalo.

Tarcísio Motta (PSOL): Expansão do metrô entre a Zona Norte e Jacarepaguá; entre o Rio de Janeiro e Itaboraí; e fazer a ligação Gávea - Uruguai, tornando a Linha 1 circular.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Entramos na Estação Nossa Senhora da Paz

A convite do Consórcio Linha 4 Sul entramos no domingo 31 de Agosto na Estação Nossa Senhora da Paz. A estação encontra-se praticamente pronta. De obra mesmo, falta construir o mezanino, que só poderá ser construído após a passagem do tatuzão (possivelmente no final de Outubro). Falta também o acabamento, como pinturas, bilheterias, sala de controle, escadas rolantes, colocação dos trilhos etc.








segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Comparação Entre Rio e Xangai (China)

Estudo feito por Francisco Dias compara os sistemas metroviários das duas metrópoles numa escala de 5 km. Vejam o resultado:

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Metrô de Xangai (China)

Do Brasil, falamos de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Recife (PE), Salvador (BA), São Paulo (SP) e Teresina (PI).

Nas Américas, falamos de Buenos Aires (Argentina), Chicago (Estados Unidos), Cidade do México (México), Cidade do Panamá (Panamá), Nova Iorque (Estados Unidos), Santo Domingo (República Dominicana) e Vancouver (Canadá).

Da Europa, falamos do de Copenhague (Dinamarca), Estocolmo (Suécia), Frankfurt (Alemanha), Lisboa (Portugal), Madrid (Espanha), Milão (Itália), Moscou (Rússia), Paris (França), Sevilla (Espanha), Sochi (Rússia) e Viena (Áustria)

Da Ásia, falamos de Doha (Qatar), Dubai (Emirados Árabes), Mecca (Arábia Saudita), Nova Déli (Índia), Pyongyang (Coréia do Norte), Tashkent (Uzbequistão) e Tóquio (Japão).

Da África, falamos de Argel (Argélia) e Cairo (Egito).

Chegou a hora de falarmos do metrô de Xangai (China), que é tão popular nas redes sociais. Ele foi inaugurado somente em 28 de Maio de 1993, catorze anos após o metrô fluminense. Vinte e um anos mais tarde, em quanto o Rio praticamente nada construiu, a grande cidade chinesa construiu um total de 538 quilômetros de trilhos, espalhados por 14 linhas.

Mas quem disse que parou em Xangai? As obras continuam a todo vapor. Em 2020, espera-se que esta cidade tenha 22 linhas operando em 877 quilômetros de trilhos. Outras cinco expansões já estão previstas para começarem a partir de 2020. Incrível, não?

A foto é do mapa de 2020.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Diagramas Originais da Estação Carioca

Vejam como era para se dar o cruzamento de linhas de acordo com o projeto executivo da Companhia do Metropolitana, publicado nos anos 70:




quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Metrô de Argel (Argélia)

Do Brasil, falamos de Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Curitiba (PR), Recife (PE), Salvador (BA), São Paulo (SP) e Teresina (PI).

Nas Américas, falamos de Buenos Aires (Argentina), Chicago (Estados Unidos), Cidade do México (México), Cidade do Panamá (Panamá), Nova Iorque (Estados Unidos), Santo Domingo (República Dominicana) e Vancouver (Canadá).

Da Europa, falamos do de Copenhague (Dinamarca), Estocolmo (Suécia), Frankfurt (Alemanha), Lisboa (Portugal), Madrid (Espanha), Milão (Itália), Moscou (Rússia), Paris (França), Sevilla (Espanha), Sochi (Rússia) e Viena (Áustria)

Da Ásia, falamos de Doha (Qatar), Dubai (Emirados Árabes), Mecca (Arábia Saudita), Nova Déli (Índia), Pyongyang (Coréia do Norte), Tashkent (Uzbequistão) e Tóquio (Japão).

Da África, falamos do Cairo (Egito).

Chegou a hora de falarmos do metrô da linda Argel, capital da Argélia. Trata-se de um tímido sistema metroviário, totalmente integrado aos bondes e aos trens suburbanos de maiores distâncias. Atualmente são apenas dez estações em dez quilômetros de trilhos. Outras quatro estão em construção.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O Traçado da Linha 4 Original

Pesquisamos em arquivos históricos e em jornais da época, o traçado original da Linha 4. O Consórcio Rio Barra previa que a Linha 4 começasse no Centro na chamada Estação Santo Antônio e fizesse o seguinte trajeto: Estação Santo Antônio - Estação Riachuelo - Estação Laranjeiras - Estação São Clemente - Estação Morro de São João - Estação Humaitá I - Estação Humaitá II - Estação Gávea - Estação São Conrado - Estação Jardim Oceânico - Estação Canal de Marependi - Estação Nova Ipanema - Estação Alvorada.

Curioso como este trajeto é bem parecido ao estudo publicado recentemente sobre a expansão da Linha 4. O que o Consórcio Rio Barra ganhou foi a construção da Linha 1 circular no Leblon e em Ipanema.

O que foi licitado em 1998 foi apenas uma parte deste trajeto que não teria todas as estações, pois o estado não tinha dinheiro suficiente. O trajeto seria Estação Morro de São João - Estação Dona Marta - Estação Humaitá - Estação Gávea - Estação São Conrado - Estação Jardim Oceânico.






quinta-feira, 31 de julho de 2014

Estudo de Viabilidade do Metrô do Rio de Janeiro - Parte 2

Decidimos publicar mais algumas imagens do livro "Estudo de Viabilidade do Metrô do Rio de Janeiro", publicado em 1968.

Não sei porque os investimentos para as Linhas 1, 3 e 4 se discutem e se realizam mas a Linha 2, que é fundamental para todo o sistema continua parada no tempo: ela não foi concluída em seu eixo central, nem eu sem seu eixo suburbano; tampouco dispõe de sinalização automática, ou de centro de manutenção.

Novamente, nosso agradecimento a Atílio Flegner pelas imagens.







segunda-feira, 28 de julho de 2014

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Estudo de Viabilidade do Metrô do Rio de Janeiro

Publicado em 1968, o Estudo de Viabilidade do Metrô do Rio de Janeiro está disponível na Biblioteca Nacional.

Nele, são apresentados diversos estudos que confirmam a viabilidade do metrô fluminense. A Linha 1 começaria na Estação Praça Nossa Senhora da Paz, cortaria a Zona Sul, Centro, Zona Norte e terminaria na Zona Oeste. A Linha 2, começaria na Estação Belford Roxo e terminaria na Estação Guaxindiba.

Como o crescimento da cidade do Rio de Janeiro e o desenvolvimento de diversos bairros e municípios vizinhos, hoje defende-se uma Linha 1 circular entre a Estação Uruguai e a Estação Gávea; a construção da Linha 4 para a Zona Oeste; a Linha 5 entre o Aeroporto Internacional e o Centro; a Linha 6 entre a Ilha do Governador e a Zona Oeste; a Linha 7 em Icaraí; e uma Linha 8 ligando a Estação Uruguai ao Méier.

Gostaríamos de agradecer a Atilio Flegner pela colaboração.
 






terça-feira, 22 de julho de 2014

Moradores de Ipanema e Leblon com Medo

Os moradores de Ipanema e Leblon estão morrendo de medo com as obras da Linha 4 na Zona Sul. Foi por isso que três associações de moradores do Leblon organizaram um encontro entre especialistas e moradores para discutir o problema das obras e o risco de desabamento dos prédios. Confira o video do evento:


segunda-feira, 21 de julho de 2014

Metrô Chega Amanhã, Finalmente, a Ipanema

Em 20 de Dezembro de 2009, O Globo publicava que no dia seguinte a Estação General Osório seria inaugurada. A estação de Ipanema fazia parte da Linha Prioritária prevista para ser inaugurada em 1979. Foram trinta anos de espera e ainda construíram a mesma em local errado.