terça-feira, 30 de março de 2010

Integração com Trens

Em qualquer grande cidade, os trens para o subúrbio complementam a malha metroviária. No Rio, cuja malha metroviária é ínfima, a malha ferroviária não poderia ser melhor.

São trens sujos, caindo aos pedaços, que não conseguem frear na plataforma das estações e dão marcha a ré, cheio de ambulantes, sem segurança, com baratas, pulgas e traças.

A malha ferroviária não sai do Grande Rio e não vai a cidades próximas, como Niterói, Petrópolis e Teresópolis.

As estações de Central, Del Castilho Maracanã, São Cristóvão, Tomás Coelho e Triagem fazem interseção com o metrô.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro tem muito o que aprender ainda com os trens RER (de Paris), o de Cercanías (Madrid), e tantos outros.

domingo, 28 de março de 2010

Verba da Linha 3 Foi Bloqueada

23/12/09, Brasília, DF - A Comissão Mista de Orçamento aprovou (segunda-feira, 21) o bloqueio de repasses federais para 24 obras em andamento no país. Entre elas está a linha 3 do metrô do Rio de Janeiro, RJ, no trecho Niterói/São Gonçalo. Sob responsabilidade do Ministério das Cidades, o repasse foi bloqueado pela Comissão por “sobrepreço; alterações indevidas de projetos e especificações; e falta de cobertura orçamentária por parte do governo fluminense”.

Igualmente sob responsabilidade do Ministério das Cidades, também consta da relação, sob alegação de “superfaturamento”, o contrato para a conclusão das obras do Complexo Viário Baquirivu, em Guarulhos, SP.

A relação traz ainda dois contratos sob responsabilidade do Ministério do Meio Ambiente, como as obras para prevenção de enchentes em Teresina, Piauí, apontadas “por sobrepreço e restrição à concorrência”

Petrobrás lidera - Dos 24 contratos considerados irregulares pelo TCU, quatro pertencem à Petrobras: a construção da refinaria Abreu e Lima (PE); a ampliação da refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar-PR); a construção do terminal de escoamento de Barra do Riacho (ES); e do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). As duas refinarias fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Entre os problemas apontados pelos técnicos do TCU para as obras da Petrobras estão: “sobrepreço, ausência das planilhas de custos, projetos básicos deficientes e cronogramas de desembolso incompatíveis com o ritmo da obra”.

As obras objeto do bloqueio de repasses federais compõem o chamado Anexo 6 da Proposta Orçamentária, onde estão relacionados os contratos que apresentam “indícios de irregularidades graves”, segundo fiscalização do Tribunal de Contas da União (TCU).

Os recursos só voltarão a ser liberados após a solução dos problemas apontados nos contratos pelo Tribunal. Uma obra pode ter mais de um contrato, sendo que o bloqueio do repasse de verbas federais limita-se ao contrato considerado irregular.

Fonte: Agência Câmara de Notícias/Relatório do Comitê de Avaliação das Informações sobre Obras e Serviços com Indícios de irregularidades graves.

Fonte: http://vejasp.imovelweb.com.br/web/editorial/ver_artigo.aspx?ArtigoId=6348

terça-feira, 23 de março de 2010

Detalhes da Linha 4 em Construção

Após 20 anos de promessas e 12 anos depois da licitação, começou a parte prática da construção da Linha 4 (Alvorada - Carioca).

A primeira parte do trajeto parece estar resolvida e será construída entre 2010 e 2016. Serão três estações, ligando a Estação Jardim Oceânico (Barra da Tijuca) até a Estação Gávea, passando pela Estação São Conrado. O projeto original previa duas estações em São Conrado, uma no Pepê e uma na Rocinha. Parece que agora a estação ficará entre ambos os extremos do bairro.

A linha cortará a Pedra da Gávea, passando pelo maciço da Tijuca. A Concessionária Rio-Barra, que detém o contrato de construção da Linha 4, já tem licença da prefeitura e do Instituto Estadual do Ambiente para o início das obras, o que inclui a autorização para instalar 168 pontos de sondagem para avaliar o solo que será escavado.

A primeira estação, Jardim Oceânico, ficará localizada no canteiro central da Avenida Armando Lombardi, em frente ao Shopping Barra Point. Da estação inicial, a nova linha seguirá subterrânea até atravessar a pista da Avenida Armando Lombardi, na altura da Igreja São Francisco de Paula, onde subirá em elevado até encontrar o Maciço da Tijuca. Para isso, será construída uma ponte metroviária, de 350 metros, sobre o Canal da Joatinga, a 15 m do nível do canal. O canteiro de obras que foi instalado num antigo terreno da Comlurb, vai servir de base de apoio a toda essa primeira etapa da construção. No local, foi instalado um estande onde os moradores poderão obter informações e esclarecer dúvidas.

Neste primeiro momento, os engenheiros querem identificar as características do solo onde serão escavados os túneis no trecho entre o Jardim Oceânico e a Gávea. A estação em São Conrado deve ficar localizada na altura da Rua General Olímpio Mourão Filho, onde ficam um supermercado e um posto de gasolina.

A Secretaria Estadual de Transportes espera finalizar esta etapa de sondagem nos próximos três meses, para, logo a seguir, dar início às obras físicas e às escavações. Para esta primeira etapa, o governo do estado tem garantido R$ 100 milhões de recursos próprios.

Parque Nacional da Tijuca pede contrapartidas:
O diretor do Parque Nacional da Tijuca, Bernardo Issa, adiantou que envou à Secretaria de Transportes o relatório de aprovação do trecho Barra-Gávea. “Pedimos algumas contrapartidas, como a construção de muro na comunidade do Morro do Banco — que tem avançado na área protegida do parque —, medidas para conservação de espécies ameaçadas e melhorias nas áreas de controle de acesso da Pedra Bonita e da Pedra da Gávea, como construção de muro e guarita e pavimento das ruas”, detalhou Issa, que antecipa que vai haver uma estação na Praça Santos Dumont, na Gávea.

O trecho de Ipanema até a Gávea ainda não está aprovado. O atual Governador quer juntar a Linha 1 com a 4 e extender a única linha existente do metrô até agora até não poder mais. O projeto original do metrô prevê que as Linhas 1 e 4 se encontrem na Gávea. A Linha 1 segue para o Leblon e Ipanema num extremo e para a futura Estação Uruguai no outro. A Linha 4 vai para São Conrado de um lado; e para o Jardim Botânico no outro (veja imagem).

Fonte: http://www.odia.com.br

domingo, 21 de março de 2010

Linha 4 em Construção

No dia 20 de Março de 2010, foi instalado o canteiro de obras da futura Estação Jardim Oceânico. Há pelo menos 20 anos, os moradores da Barra da Tijuca aguardavam por isso. Nesse primeiro momento serão feitas as sonadagens e análise do solo e em cerca de 90 dias as escavações vão começar.

O canteiro de obras foi instalado na Avenida Armando Lombardi, em frente ao Shopping Barra Point. A estação será subterrânea e terá duas saídas, uma para cada lado da avenida. A localização dela mudou em relação ao que havia sido antes divulgado (o terreno onde ficava o Motel Maxims).

Do projeto original da Linha 4 (Carioca - Alvorada) apenas três estações serão construídas até 2016: Estação Jardim Oceânico, Estação São Conrado e Estação Gávea.

Para 2016 também está prevista a extensão da Linha 1 da Estação General Osório até a Estação Gávea, passando pela Estação Praça Nossa Senhora da Paz, Estação Jardim de Alah e Estação Leblon.

Fonte das imagens: http://www.g1.com.br










sábado, 20 de março de 2010

O Metrô do Rio É uma Vergonha

O Metrô do Rio já foi orgulho do Carioca. Falava-se que o metrô era pequenininho (ia de "lugar nenhum" para "nenhum lugar") mas por onde ele passava trazia conforto e segurança. Como em qualquer cidade do mundo, era mais rápido andar de metrô do que por cima de terra (seja por carro, ônibus, bicicleta ou a pé).

Mas o atual governo estadual conseguiu destruir isso. Acabou com nosso metrô, com nosso orgulho e a óbvia conseqüência é que tanto faz se você está acima ou abaixo da terra, você vai demorar a chegar, se chegar, para onde quer que seja. Serviços básicos, como ar-condicionado deixaram ser oferecidos.

Pior que a denúncia dos usuários são as desculpas esfarrapadas que não condizem com a verdade por parte da concessionária. A curto prazo, não há solução, pois a empresa administradora sequer admite o que todo mundo vê e sente quando anda de metrô no Rio.

A questão de segurança também está afetada. Ainda não tivemos morte na malha metroviária mas desmaios não são raros. O sistema está superlotado. A concessionária e o governo colocaram diversas linhas de ônibus que buscam pessoas em quase todos os bairros da cidade e as coloca na malha metroviária. Tudo isso em vez de construírem novas linhas e estações sob terra. A superlotação piora em dias chuvosos e piorou definitivamente com a inauguração da Linha 1A, que coloca passageiros das Linhas 1 e 2 numa mesma linha, causando pânico e confusão, regados a calor (o ar-condicionado deixou de funcionar há meses) e a já falada superlotação.

Pode ser pior? No Rio pode! A sujeira impera no metrô. Com a malha superlotada, não há como fazer uma boa gestão de limpeza dos trilhos, dos vagões, das plataformas, das estações, no sistema de ar-condicionado, etc. Um dos exemplos grotescos são os fungos (verdadeiros cogumelos) nascendo na tubulação de ar-condicionado. Mal-cheiro na estação terminal da Tijuca foi relatado.

Falando de segurança e manutenção, já aconteceram três casos graves: Um vagão se desprendeu do restante do trem na Linha 2; um trem descarrilhou no centro de manutenção do metrô, impedindo que trens circulassem pela malha; e no dia 18 de Março um trêm da Linha 1A foi por engano para a Linha 1, em vez de seguir pela Linha 2.

Finalmente, no dia 01 de Março, foi a vez de chuva entrar no metrô através de um rombo no teto. Deve ter sido inédito no mundo. Mas para a concessionária tudo é normal e não há deficiências na manutenção do metrô.

E sempre que há um problema de maior gravidade na malha metroviária, a solução é simples: fechar as estações (veja a segunda foto).

Você ainda se aventura no metrô do Rio de Janeiro?

sexta-feira, 19 de março de 2010

Finalmente Tem Metrô Trabalhando na Barra da Tijuca

Amanhã, engenheiros do metrô do Rio de Janeiro vão perfurar o solo da Barra da Tijuca no local onde ficará a Estação Jardim Oceânico. Será um estudo minucioso do solo para que os especialistas tracem um projeto adequado para o local.



Chegando na Estação Jardim Oceânico, vindo da Estação General Osório, o metrô ganhará 13,5 quilômetros de extensão, 6 estações e 34 minutos de viagem.

O canteiro de obras ficará na Avenida Armando Lombardi, em frente ao Shopping Barra Point.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Convite de Júlio Lopes

O Governador do Estado do Rio de Janeiro
Sérgio Cabral
o Vice - Governador do Estado do Rio de Janeiro
Luiz Fernando de Souza Pezão
o Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro
Eduardo Paes
o Secretário de Estado de Transportes
Julio Lopes

e o Presidente da Concessionária Rio Barra
Julio Teixeira
convidam para a cerimônia de
"Lançamento das Obras de Implantação da Linha 4 do Metrô -Barra / Zona Sul "
o evento será realizado às 10 horas do dia 20 de março de 2010, sábado, na Avenida Armando Lombardi nº 30 - Barra da Tijuca.

Será disponibilizado estacionamento pago no Shopping Barra Point, na Avenida Armando Lombardi, 350, a partir das 8h30.

Estação Cidade Nova Fica para Junho

As obras da futura Estação Cidade Nova estão em andamento. Mas seu ritmo foi diminuído, pois a concessionária Metrô Rio optou por fazer um desenho super arrojado e futurístico para esta estação. Um escritório de arquitetura paulistano foi contratado e esta estação ficará fora do padrão das demais da malha metroviária. O custo da construção da Estação Cidade Nova gira em torno de R$ 50 milhões. As obras podem ser vistas na foto ao lado (fonte Jornal O Globo, de 03/03/2010).

Além do design arrojado, a Estação Cidade Nova terá um viaduto que ligará a estação ao prédio da Prefeitura do Rio de Janeiro (o popular "Piranhão"). Sobre este viaduto, que corta a Avenida Presidente Vargas, diversos quiosques e lojas deverão ser instalados. Outro objetivo desta empreitada megalomaníaca é uma tentativa de revitalização da área, que está abandonada.

As imagens ao lado e abaixo mostram como ficará a futura Estação Cidade Nova. Prevista para ser inaugurada em 22 de Março de 2010, sua inauguração chegou a ser noticiada para Fevereiro de 2010 e até para Dezembro de 2009, quando foi inaugurada a Linha 1A. Apesar da nova linha ter sido inaugurada, misturando a Linha 1 com a 2 e confundindo o passageiro, a Estação Cidade Nova tinha ficado mesmo para Março.

Mas no início deste mês, com tantos problemas enfrentados pelo metrô (superlotação, manutenção precária, sujeira, denúncias de abuso contra passageiro e piora considerável no serviço), a concessionária preferiu dar prioridade à tentativa de resolução destes problemas e diminuiu o ritmo da obra da futura estação, além de apostar em seu novo design. Assim sendo, a Estação Cidade Nova tem nova previsão de ser aberta ao público: Junho de 2010.

terça-feira, 16 de março de 2010

Obras da Estação Uruguai

Respondendo a todos os curiosos: o Metrô Rio, responsável pela obra, diz que as obras da Estação Uruguai levarão dois anos e começarão em 2012. Seu compromisso de inauguração antes da Copa do Mundo de 2014 está mantido.

Em 2012, os trilhos do antigo "rabicho da Tijuca" serão recuperados.

Em 2013, o antigo estacionamento da Rua Uruguai começará a ser transformado em Estação.

Em 2013 e 2014, serão feitas recuperações nas estruturas, escavações para o que faltar e os testes finais do metrô até a inauguração da Estação Uruguai.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Obras da Estação Jardim Oceânico Começarão dia 20

A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro vai começar a sair do papel no próximo dia 20. Uma grande festa está marcada na Barra da Tijuca, no terreno que abrigará a futura Estação Jardim Oceânico.

Apenas um pequeno trecho da Linha 4 será construído por enquanto: Estação Jardim Oceânico à Estação PUC, via Estação São Conrado. Do projeto original, a Estação Rocinha foi retirada. A Linha 4 projetada é bem mais longa e liga a futura Estação Alvorada (na Barra da Tijuca) à Estação Carioca (no Centro). O custo deste pequeno trecho é de R$ 3 bilhões.

Outro trecho da Linha 4 foi licitado em 1997. Da Estação PUC, o metrô passaria pela Estação Praça Santos Dumont, Estação Jardim Botânico, Estação Maria Angélica, Estação Humaitá, Estação Largo dos Leões e Estação Botafogo. Para este trecho o atual governador pretende substituir as obras pela expansão da Linha 1 através da Estação Praça Nossa Senhora da Paz, Estação Jardim de Alah, Estação Leblon e Estação PUC. Por causa deste impasse, esta obra não tem previsão de começar.

O risco de trocar o trecho até Botafogo pelo trecho por Ipanema é que a Linha 4 passaria a funcionar como uma extensão sem fim da Linha 1, que já está saturada de pessoas. O Metrô do Rio precisa dividir seu público entre outras linhas. Além disso, os bairros de Botafogo, Humaitá e Jardim Botânico estão constantemente engarrafados. Precisam mais do metrô que o restante de Ipanema e Leblon.

Neste momento, apenas uma outra estação está sendo construída: Estação Cidade Nova, que está prevista para ser inaugurada em Junho. Ela faz parte da Linha 1A.

Já a Estação Uruguai, da Linha 1, terá suas obras iniciadas em 2012 e será concluída para a Copa do Mundo, em 2014.

terça-feira, 9 de março de 2010

As Primeiras Viagens

A primeira foto mostra o Presidente Geisel na viagem inaugural do Metrô do Rio de Janeiro.

No dia seguinte, o sistema foi aberto ao público, que lotou as estações para conhecer a novidade.








quinta-feira, 4 de março de 2010

Obras da Linha 4 Podem Começar dia 20

Segundo Sérgio Cabral, as obras da Estação Jardim Oceânico começariam em maio. Esta semana porém, o colunista Ancelmo Gois escreveu que no dia 20 de Março, a Associação de Amigos da Barra da Tijua promoverá uma festa para marcar o início das obras na Barra da Tijuca. Será?

Ainda faltam sete anos para a realização dos Jogos Olímpicos. Se tudo der certo, será usada no novo traçado uma tecnologia semelhante à empregada na construção do túnel sob o Canal da Mancha, entre a França e a Inglaterra. Uma perfuradora gigante, conhecida como Tunnel Boring Machine, escava a terra e, ao mesmo tempo, reveste o túnel com anéis de concreto. Depois que a obra é iniciada, a máquina simplesmente não consegue dar marcha a ré. Ela precisa sair em algum lugar. Toda a cidade espera que esse ponto seja a Barra da Tijuca. "Nosso papel é incentivar um acordo", afirma Regis Fichtner. "Só posso dizer que as conversas estão avançadas." O Rio torce.

Em outra matéria publicada no O Globo, em 01 de Março de 2010, a concessionária Metrô Rio prevê que a inauguração da Estação Cidade Nova, prevista para este mês, só acontecerá em Junho.

terça-feira, 2 de março de 2010

Praça Cruz Vermelha Ganhará Importância

O Governo do Estado do Rio de Janeiro cedeu ao INCA 15 mil metros quadrados de área nos arredores da Praça Cruz Vermelha. A rede hospitalar dali, que já é muito boa, ficará ainda melhor. Veja o projeto do redesenho do local (matéria publicada no O Globo em 05 de Dezembro de 2009).

Governador, que tal cumprir a promessa e construir a Estação Praça Cruz Vermelha? Esta estação deveria ter sido inaugurada em 1979 e em nada atrapalha a Linha 1, Linha 1A e o metrô para a Barra!