sábado, 20 de março de 2010

O Metrô do Rio É uma Vergonha

O Metrô do Rio já foi orgulho do Carioca. Falava-se que o metrô era pequenininho (ia de "lugar nenhum" para "nenhum lugar") mas por onde ele passava trazia conforto e segurança. Como em qualquer cidade do mundo, era mais rápido andar de metrô do que por cima de terra (seja por carro, ônibus, bicicleta ou a pé).

Mas o atual governo estadual conseguiu destruir isso. Acabou com nosso metrô, com nosso orgulho e a óbvia conseqüência é que tanto faz se você está acima ou abaixo da terra, você vai demorar a chegar, se chegar, para onde quer que seja. Serviços básicos, como ar-condicionado deixaram ser oferecidos.

Pior que a denúncia dos usuários são as desculpas esfarrapadas que não condizem com a verdade por parte da concessionária. A curto prazo, não há solução, pois a empresa administradora sequer admite o que todo mundo vê e sente quando anda de metrô no Rio.

A questão de segurança também está afetada. Ainda não tivemos morte na malha metroviária mas desmaios não são raros. O sistema está superlotado. A concessionária e o governo colocaram diversas linhas de ônibus que buscam pessoas em quase todos os bairros da cidade e as coloca na malha metroviária. Tudo isso em vez de construírem novas linhas e estações sob terra. A superlotação piora em dias chuvosos e piorou definitivamente com a inauguração da Linha 1A, que coloca passageiros das Linhas 1 e 2 numa mesma linha, causando pânico e confusão, regados a calor (o ar-condicionado deixou de funcionar há meses) e a já falada superlotação.

Pode ser pior? No Rio pode! A sujeira impera no metrô. Com a malha superlotada, não há como fazer uma boa gestão de limpeza dos trilhos, dos vagões, das plataformas, das estações, no sistema de ar-condicionado, etc. Um dos exemplos grotescos são os fungos (verdadeiros cogumelos) nascendo na tubulação de ar-condicionado. Mal-cheiro na estação terminal da Tijuca foi relatado.

Falando de segurança e manutenção, já aconteceram três casos graves: Um vagão se desprendeu do restante do trem na Linha 2; um trem descarrilhou no centro de manutenção do metrô, impedindo que trens circulassem pela malha; e no dia 18 de Março um trêm da Linha 1A foi por engano para a Linha 1, em vez de seguir pela Linha 2.

Finalmente, no dia 01 de Março, foi a vez de chuva entrar no metrô através de um rombo no teto. Deve ter sido inédito no mundo. Mas para a concessionária tudo é normal e não há deficiências na manutenção do metrô.

E sempre que há um problema de maior gravidade na malha metroviária, a solução é simples: fechar as estações (veja a segunda foto).

Você ainda se aventura no metrô do Rio de Janeiro?

4 comentários:

  1. Dia 19, devido a um engarrafamento no Centro, demorei 1hora e meia pra sair da Rio Branco para ir pra rua de tras... trajeto que normalmente se leva 10 minutos ou 15 no maximo...
    Os onibus vazios, um transito gigante, parecia evacuação da cidade.

    O que me restou? Pegar o Metro maravilhoso.
    Cinelandia era um mar de gente.
    Desci pra plataforma e o trem ja estava parando, entrar no vagao ja foi super dificil, minha mochila acabou ficando até presa na porta, só deu pra soltar na proxima estacao. Eu olhava para os lados, nao conseguia nem ver a rua, só via braços para o alto, e estava tão cheio que estava apertado de machucar mesmo.
    Desci em Sao Cristovao... la estava super cheio, pq ninguem mais conseguia entrar nas composições que passavam... la e em todas as outras estações...

    Ou seja caos total...
    Esse é o Metro Maravilhoso da Cidade Maravilhosa.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Rodrigo. Sempre que eu posso, evito o metrô. Simplesmente não dá....

    ResponderExcluir
  3. Tenho preferido os ônibus ao metrô. Os ônibus ainda me ajudam a manter o perfume de gente limpa. Em dez minutos de metrô, viro um gambá, de tanto que se sua ali.

    ResponderExcluir
  4. haha Pedro, infelizmente essa é a nossa realidade.

    ResponderExcluir