terça-feira, 30 de agosto de 2016

Estação Jardim de Alah Pronta

A Estação Jardim de Alah foi entregue pelo consórcio Rio-Barra à concessionária Metrô Rio no dia 25 de Julho de 2016.





terça-feira, 23 de agosto de 2016

Como Seria Sua Vida com a Linha 3?

O especialista em transportes, Atílio Flegner, estudou e recentemente publicou as distâncias e o tempo gasto pelo passageiro entre as estações da Linha 3.

Da Estação Guaxindiba até a Estação Carioca, nada de engarrafamentos, calor, chuva, frio, vento e duas horas e meia de deslocamento. O trajeto seria feito em pouco mais de trinta minutos.

É bom sempre deixar claro para o leitor, que pelo projeto original do metrô fluminense, a Linha 2 começaria em Belford Roxo e terminaria em São Gonçalo. O conceito de Linha 3 surgiu em no Governo Rosinha Garotinho. A Estação Praça Araribóia receberia trens vindos de Icaraí (Linha 7). Posteriormente, a Linha 3 ganhou no papel uma nova extensão entre São Gonçalo e Visconde de Itaboraí.

Independente do número da linha, como seria sua vida se a Linha 3 estivesse em funcionamento?

terça-feira, 16 de agosto de 2016

O Metrô Precisa Expandir

As seis estações em construção do metrô serão inauguradas em Agosto, antes dos Jogos Olímpicos. São elas: Estação General Osório II, Estação Nossa Senhora da Paz, Estação Jardim de Alah, Estação Antero de Quental, Estação São Conrado e Estação Jardim Oceânico.

Mas o metrô não pode parar aí. A nova malha metroviária, que nada mais é do que uma expansão da Linha 1, é muito pequena para atender ao Grande Rio. Novas obras precisam dar continuidade à expansão do metrô na metrópole.

Linha 2: O Centro da cidade passou por muitas obras nos últimos anos por causa dos Jogos Olímpicos e Jogos Paralímpicos. O trânsito de veículos mudou, as linhas de ônibus sofreram diversas alterações e os bondes voltaram à paisagem carioca. Neste contexto, em Novembro de 2015, o Governo anunciou a contratação de um projeto técnico detalhado junto ao Metrô Rio por R$ 25 milhões para a conclusão do trecho Centro da Linha 2. Este trecho é importantíssimo para desafogar toda a rede metroviária da cidade. A Estação Estácio e a Estação Carioca estão prontas. A Estação Cruz Vermelha já teve as fundações feitas. Um pequeno pedaço de túnel entre a Estação Estácio e a Estação Praça da Cruz Vermelha também foi feito. Faltariam construir do zero a Estação Catumbi e a Estação Praça XV. A finalização deste trecho permitiria a expansão do metrô para Belford Roxo no trecho norte e para Niterói, São Gonçalo e Itaboraí na outra direção. O método recomendado para esta escavação no Centro é do cut & cover.

Linha 1: Para desafogar o metrô, uma vez que a Estação Gávea seja inaugurada, é preciso fazer urgentemente a ligação com a Estação Uruguai por baixo do maciço da Tijuca. O método recomendado para esta obra é da utilização de explosivos. Trata-se de uma obra simples e não é necessário construir nenhuma estação intermediária.  Para concluir a Linha 1 também é necessário construir a Estação Morro de São João, que está semi-pronta entre a Estação Botafogo e a Estação Cardeal Arco Verde.

Linha 4: O Estado do Rio adquiriu um tatuzão caríssimo. É preciso colocá-lo para funcionar. Seria ótimo colocá-lo na Estação Jardim Oceânico e colocá-lo para escavar até a Estação Alvorada. Ali, o metrô seguiria em linha reta e num terreno de solo homogênio. O trânsito pouco seria afetado. Os canteiros de obras das estações poderiam se localizar nos estacionamentos dos centros comerciais, que ganhariam uma entrada para o metrô. Afinal, estão previstas a Estação Downtown, Estação Città América, Estação Parque das Rosas, Estação Barra Shopping, Estação Nova Ipanema e Estação Alvorada.

Linha 3: O trecho em elevado entre a Estação Praça Araribóia e a Estação Guaxindiba é relativamente barato. Pode-se acrescentar a estre trecho a expansão até Itaboraí. O traçado do metrô ficaria pronto neste eixo para a futura ligação com a Estação Praça XV. Na verdade, a linha entre Belford Roxo e Itaboraí é uma só. Trata-se da Linha 2, que precisa ser concluída.

Linha 5: Prometida para 2007, até hoje a Linha 5 não saiu do papel. Nem um estudo detalhado foi feito. Trata-se de uma linha importantíssima que conectaria a população a diferentes modais e facilitaria a mobilidade em áreas de difícil acesso. Ela começaria na Estação Cocotá e passaria pela Estação Jardim Guanabara, Estação Aeroporto Internacional (conexão com a Linha 6), Estação UFRJ Campus Fundão, Estação Rodoviária Novo Rio, Estação Carioca (conexão com as Linhas 1 e 2) e terminaria na Estação Aeroporto Santos Dumont.

Linha 6: A Linha 6 foi substituída (temporariamente esperamos) pelo sistema de ônibus BRT. O ex-Secretário Estadual de Transportes, Carlos Osório, chegou a discutir o traçado com moradores da região do final de 2015 até Março de 2016. A linha começaria na Estação Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (conexão com a Linha 5) e iria até a Estação Alvorada, na Barra da Tijuca, passando pela Estação Irajá (conexão com a Linha 2) e diversos centros comerciais como Madureira Shopping, Casa Shopping e o Via Parque.

Méier: Apesar do bairro contar com uma estação de trem, os moradores do Méier e arredores revindicam o metrô no bairro. Deveria ser feito para beneficiar diversos bairros da Grande Tijuca. Só não pode é interromper a Linha 1 Circular.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Estação Antero de Quental Pronta

Estação foi entregue no dia 15 de Julho pelo consórcio Rio-Barra à concessionária Metrô Rio.





quinta-feira, 4 de agosto de 2016

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Fotos Históricas da Companhia do Metropolitano

Entre 1979 e 1998, a Companhia do Metropolitano era a responsável pela operação do metrô do Rio de Janeiro.

O metrô fluminense era um dos mais modernos do mundo. Dois motivos davam a ele este título: a largura das portas e a largura dos carros, permitindo que mais gente entrasse em cada composição e que as pessoas entrassem e saíssem rapidamente dos carros.

Vejam algumas fotos históricas abaixo:

Os trens do metrô operando com suas cores originais.

O antigo Centro de Controle Operacional do Metrô.

Uma composição do pré-metrô, que operava na Linha 2 e 
que hoje está apodrecendo no pátio do CM.

Trem do metrô no Centro de Manutenção.

Segurança do Metrô em 1979.

Diagrama comparando o trem do metrô com o trem do pré-metrô.

Estação Cinelândia em 1980.

O interior de um carro original do metrô fluminense.

Funcionário da Limpeza do Metrô.

Trens no Centro de Manutenção.

A integração com os ônibus do Metrô em Botafogo.