sábado, 30 de abril de 2011

Vereadores Defendem Cariocas

O absurdo de Linha 4 que o governo fluminense está construindo chamou a atenção de dois vereadores: Andrea Gouvea Vieira (autora do artigo em anexo) e Carlos Caiado se juntaram às associações de moradores.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Carta Entregue ao Comitê Olímpico

A
Sr. Jacques Rogge
Presidente do Comitê Olimpico Internacional

Sra. Nawal El Moutawakel
Presidente da Comissão Coordenação dos Jogos Olímpícos de 2016 no Rio de Janeiro

Membros da Diretoria Executiva do COI
Château de Vidy
Lausanne Switzerland


Rio de Janeiro, 27 de abril de 2011

Prezados Senhores,

Em razão de uma ameaça que pesa sobre o legado dos próximos Jogos Olímpicos para a população do Rio de Janeiro, nós, abaixo-assinados, membros de associações comunitárias, parlamentares e cidadãos em geral, pedimos sua especial atenção para o seguinte:

Os Jogos Olímpicos são uma extraordinária conquista da razão humana, perfeito símbolo do congraçamento entre os povos. Há centenas de anos, sua realização enche de orgulho e esperança as cidades escolhidas para receber as competições.

No que diz respeito ao orgulho, o Rio de Janeiro, une-se, sem dúvida, a todas as demais metrópoles que sediaram os Jogos e a fecunda união entre povos que eles promovem. Quanto ao outro aspecto, o da esperança de melhorias, infelizmente não podemos dizer o mesmo. Em particular, no essencial setor de transporte público, chave para a expansão do desenvolvimento social e econômico e para a própria integração da cidade.

Senhor Presidente, senhores membros do Comitê, entendemos que as soluções adotadas pelo Governo para atender às recomendações do Comitê Olímpico quanto aos deslocamentos para os locais de competições, nem de longe levam em conta o que, com muita propriedade, se chamou de Legado Olímpico. Ou seja, aqueles benefícios que ficam para a população depois que os atletas voltam a seus países.

E, o que é pior, essas "soluções" são apresentadas como se fossem exigências do Comitê Olímpico Internacional, levando, automaticamente, à ideia de que se o Governo não faz o que deveria é por responsabilidade do cronograma dos Jogos!
Referimo-nos, em especial, à extensão da nossa modesta rede de metrô (pouco mais de 40km) em direção ao bairro da Barra da Tijuca, onde haverá a maioria das competições. Pela expansão ora em andamento, decidida sem a necessária consulta à população e ignorando projetos aprovados anteriormente, será implantado um traçado totalmente diferente, em nome da urgência em atender “prazos olímpicos”. Por exemplo, uma importante estação foi suprimida do projeto sem maiores explicações ou estudos.

Como consequência, centenas de milhares de pessoas deixarão de ser atendidas. São multidões, que não só terão extremamente dificultado seu acesso às provas como continuarão, depois delas, submetidas a um caótico sistema de transporte público, sem outra perspectiva de melhoria tão estimulante quanto a que foi oferecida no momento da escolha do Rio de Janeiro para os Jogos de 2016.
Em resumo: por culpa do Governo, mancha-se, junto a grande parte da população da cidade, a imagem de que os Jogos Olímpicos são, mais que um orgulho para quem os acolhe, um símbolo de mudanças inovadoras.

É doloroso, Senhor Presidente, senhores membros, levar ao conhecimento do COI questões que deveriam ser resolvidas aqui mesmo, em âmbito interno. Porém, sentimo-nos forçados a fazê-lo, pela irresignação de assistirmos à alteração das regras no meio do jogo. Temos certeza de estar perfeitamente sintonizados com o espírito olímpico e confiamos em que a presente manifestação terá, do Comitê Olímpico Internacional, a devida acolhida.

Estamos prontos a apresentar ao COI ampla documentação que comprova os fatos acima expostos.

Respeitosamente,

AMA Jardim Botânico
AMA Leblon
Associação Comercial do Leblon
Comunidade do Alto Leblon
AMA Botafogo
AMA Alto Gávea
AMA Urca
Sociedade de Amigos de Copacabana
AMA Parque Lúcio Costa
Conselho Distrital de Saúde da AP-4
ANIMA Leblon
Caos Carioca
Cláudio Janowitzer
AMA Selva de Pedra
AM Ilha da Gigóia
AM Urca
AMA Gávea
AMIpanema
Quadrilátero Charme de Ipanema

terça-feira, 26 de abril de 2011

AMA Leblon Protesta contra Linha 4 de Cabral

Todas as associações de moradores estão contra o projeto do estado.

Vejam o anexo!

sábado, 23 de abril de 2011

Distâncias entre cada Estação da Linha 1

Veja a distância aproximada entre cada estação:

General Osório <---> Cantagalo: 900 metros.
Cantagalo <---> Siqueira Campos: 1.100 metros.
Siqueira Campos - Cardeal Arco Verde: 750 metros.
Cardeal Arco Verde <---> Botafogo: 1.500 metros.
Botafogo <---> Flamengo: 1.400 metros.
Flamengo <---> Largo do Marchado: 750 metros.
Largo do Machado <---> Catete: 500 metros.
Catete <---> Glória: 650 metros.
Glória <---> Cinelândia: 1.100 metros.
Cinelândia <---> Carioca: 400 metros.
Carioca <---> Uruguaiana: 600 metros.
Uruguaiana <---> Presidente Vargas: 500 metros.
Presidente Vargas <---> Central: 600 metros.
Central <---> Praça XI: 1.000 metros.
Praça XI <---> Estácio: 800 metros.
Estácio <---> Afonso Pena: 1.300 metros.
Afonso Pena <---> São Francisco Xavier: 700 metros.
São Francisco Xavier <---> Saes Peña: 1.000 metros.

Fonte: www.caoscarioca.com.br

terça-feira, 19 de abril de 2011

O Que Foi Feito Depois da Estação Estácio?

Ninguém sabe ao certo até onde foram as obras de conclusão da Linha 2 após a Estação Estácio. Tais obras foram interrompidas nos anos 80, retomadas e depois interrompidas novamente nos anos 90.

A Estação Carioca está pronta e sua plataforma está construída a 40 metros de profundidade. Há apenas alguns metros sob a Avenida Chile, em direção à Estação Praça da Cruz Vermelha.

Na outra ponta, o túnel entre Estação Estácio e Estação Praça da Cruz Vermelha tem cerca de 100 metros escavados. Diz a lenda que o "Tatuzão" da Camargo Corrêa foi largado ali para não ter que arcar com os custos de sua retirada.

A Estação Praça da Cruz Vermelha não seria necessariamente sob a praça de mesmo nome. Ela poderia ter sido construída num terreno, onde até dois anos atrás não havia nada. Ele fica na Avenida Henrique Valadares e agora está sendo ocupado por três torres da Petrobrás. Segundo estudos da época, sob este solo, há um afloramento rochoso, que facilitaria a construção da estação no subsolo. Mas nada ali foi construído.

sábado, 16 de abril de 2011

Situação do Metrô de Salvador

Segundo reportagem da TV Record, talvez o Metrô de Salvador seja inaugurado este com 6 quilômetros!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Gávea Fora dos Planos de Cabral

Quando há uma notícia nova sobre o metrô do Rio de Janeiro, normalmente ela é ruim. Em qualquer área: expansão, Linha 1, 2, 3, 4, preço do bilhete...desta vez é a Estação Gávea, que foi preterida pelo governo estadual.

Inicialmente, a dúvida de especialistas e moradores é que se Estação Gávea seria construída logo com duas plataformas (para as linhas 1 e 4) ou não. Depois, a dúvida mudou: a estação seria na PUC ou na Praça Santos Dumont. E agora a última pergunta: vai ter estação na Gávea?

Segundo o video abaixo não.



Veja a reportagem da Linha 4 que foi ao ar no RJTV em 02 de Março de 2011.

sábado, 9 de abril de 2011

Projeto da Linha 3 Perdeu 10 Quilômetros e 6 Estações

Quando Sérgio Cabral assumiu pela primeira vez o governo estadual, ele prometeu construir o primeiro trecho da Linha 3 do metrô. Este trecho ligaria a cidade de São Gonçalo à Niterói (foto) e teria 14 estações: Estação Praça Araribóia, Estação Jansen de Mello, Estação Barreto, Estação Neves, Estação Vila Laje, Paraíso, Estação Parada 40, Estação Zé Garoto, Estação Mauá, Estação Antonina, Estação Trindade, Estação Alcântara, Estação Jardim Catarina e Estação Guaxindiba.

Inicialmente, o governo federal transferiu R$ 62,5 milhões para o estado. Mas o Tribunal de Contas da União suspeitou de superfaturamento na obra e impediu sua execução e transferência de mais fundos da União para o estado.

No início deste ano, Sérgio Cabral chegou a desconversar o "probleminha com o TCU" e divulgou nota informando que a Linha 3 seria substituída por uma linha de monotrilho (http://metrodorio.blogspot.com/2011/02/cabral-quer-mesmo-acabar-com-o-metro-do.html).

Agora, surgiu uma nova notícia: o projeto da Linha 3 voltou a ser de metrô mas terá 6 estações a menos do que o governo prometera. Em vez de 23 quilômetros, serão apenas 13 de trilhos. As paradas do novo projeto: Estação Praça Araribóia, Estação Jansen de Mello, Estação Barreto, Estação Neves, Estação Vila Laje, Estação Paraíso, Estação Parada 40 e Estação Zé Garoto. Em outras palavras, ficaram de fora a Estação Mauá, Estação Antonina, Estação Trindade, Estação Alcântara, Estação Jardim Catarina e Estação Guaxindiba.

Este projeto está orçado em R$ 900 milhões e o metrô será todo ele por superfície. Ele resolveria um impasse com a Prefeitura de Niterói, que não queria um viaduto na região do Caminho Niemeyer.

O Tribunal de Contas da União vai reanalisar o projeto modificado da Linha 3.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

terça-feira, 5 de abril de 2011

Estação Uruguai em Obras

Foi realmente dada a largada para a Estação Uruguai. Prevista para ser inaugurada em 1979, suas obras recomeçaram em Janeiro deste ano.

A previsão é que a Estação Uruguai fique pronta em 2013.

A primeira foto mostra operários do metrô já trabalhando num dos futuros acessos da estação. Ela era um estacionamento desde os anos 80, como mostra a foto abaixo.

Se o cronograma de obras for mantido, a Estação Uruguai já estará em pleno funcionamento para a Copa do Mundo de 2014.

A Estação Uruguai é a última obrigação da concessionária Metrô Rio em termos de investimentos na malha metroviária. Depois de inaugurada, todo novo investimento ficará por conta do estado.

domingo, 3 de abril de 2011

MP Questionará Obras do Metrô

Após reunião com os vereadores Carlo Caiado (DEM) e Andrea Gouvêa Vieira (PSDB), o Ministério Público estadual decidiu reabrir um inquérito que questiona o novo projeto da Linha 4 do MetrôRio.

O MP exige do governo do estado a apresentação de documentos que justifiquem a decisão de fazer a Linha 4 uma extensão da Linha 1 e ainda suprimir a Estação Gávea do projeto.

Especialistas dizem que, se as atuais intenções forem mantidas, o metrô terá uma linha única, o chamado linhão, e continuará superlotado.

sábado, 2 de abril de 2011

Comentários da Reunião entre Cariocas e Estado

Jogos Olímpicos x Metrô que o Rio Precisa:

Ficou claro que o projeto do governo estadual é levar o metrô para a Barra da Tijuca a qualquer custo. Pouco importa o que vai acontecer depois dos Jogos. O importante é que em 2016, ele terá chegado à Estação Jardim Oceânico, que já é Barra. Pouco importa de onde ele virá, parando aonde. Também não faz diferença dizer que o Jardim Oceânico fica longe à beça do complexo esportivo que será montado onde hoje é o Autódromo.

Centro de Manutenção:
O Estado vai usar o atual centro de manutenção também para os trens da Linha 4. Ou seja, é necessário construir um novo túnel entre Ipanema e Copacabana, caso seja necessária a reparação de um trem da linha 4. Isso também quer dizer que a bitola será a mesma da Pavuna à Barra, podendo um trem percorrer todo o linhão sem precisar voltar.

Túnel Barra - São Conrado:
Trezentos metros já foram escavados, além do túnel de serviço.

Estação Jardim de Alah:
Será inteira do lado do Leblon.

Gávea Fora:
A Gávea não vai ganhar estação de metrô. Devido ao solo, que é muito mole, será muito cara e demorada construir a estação do bairro antes de 2016. Por isso, vão deixar a promessa para outro governador.

Ligação com o resto da Barra:
Da Estação Jardim Oceânico até a Alvorada, o carioca poderá utilizar os ônibus do metrô e BRTs. O Jardim Oceânico ganhará uma rodoviária para atender à demanda.

Ampliação da Estação General Osório:
Estudos indicam que os túneis da Linha 1 estão muito próximos às fundações dos prédios em Ipanema. Assim, terão que construir uma plataforma subterrânea para os trens da Linha 4. O metrô em Ipanema não funcionará durante o período desta ampliação. De Copacabana para a Barra ou vice-versa, a baldeação será obrigatória. Veja mapa acima.

Perguntas sem Resposta:
1) Quanto custa o quilômetro metroviário?
2) Como ele vai chegar à Estação General Osório e se conectar com a Linha 1?
3) Por que não fazer a chegada na Estação Jardim Oceânico por baixo do canal e não por cima?
4) Por que Júlio Lopes e Sérgio Cabral fugiram da reunião?

Curiosidade:
O Estado construiu a Linha 1A em vez de concluir a Linha 2 prometendo o fim da baldeação na Estação Estácio. Agora, pouco depois, resolve criar a baldeação em General Osório.

É Pedir Muito?

Pelo fim da ditadura!

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Governo Divulgou Localização das Estações

É verdade que até agora apenas as obras dos túneis entre Barra da Tijuca e São Conrado estão sendo feitas. Mas o governo divulgou a localização exata das estações que pretende construir.

A Estação Jardim Oceânico já tinha sido revelada. Hoje é possível ver seu canteiro de obras, em terreno próximo ao Shopping Barra Point. Ela terá dois acessos, um de cada lado da Avenida Armando Lombardi.

A Estação São Conrado será perto da Gávea e também terá dois acessos, ambos próximos da Rocinha.

A Estação Gávea será na PUC e provavelmente terá um acesso apenas. Mas isso não foi confirmado. Há especulações forte de que a Gávea não ganhará uma estação.

A Estação Leblon será mesmo na Praça Antero de Quental e terá dois acessos: pela Rua Bartolomeu Mitre e pela Rua General Urquiza.

A Estação Jardim de Alah terá acessos pela Avenida Borges de Medeiros, em frente ao Shopping Leblon, ao lado do canal; e na esquina Ataulfo de Paiva com Afrânio de Melo Franco.

A Estação Praça Nossa Senhora da Paz terá acessos pela Rua Barão da Torre e pela Rua Visconde de Pirajá.

No entanto, os moradores da Barra da Tijuca pedem que o Governo Estadual expanda a Linha 4 até a Estação Alvorada com duas estações intermediárias para atender o público dos shoppings Downtown, Città América, Barra Shopping e New York City Center.