sexta-feira, 27 de maio de 2011

Pressão Faz Governo Recolocar a Gávea no Projeto

O Governo do Estado do Rio de Janeiro acusou o golpe e recolocou a Estação Gávea nos planos da Linha 4, que será entregue até 15 de Dezembro de 2015. Confira a matéria no RJTV de 10 de Maio de 2011.



terça-feira, 24 de maio de 2011

Onde Seria a Estação Laranjeiras?

A preferência dos moradores de Laranjeiras é que a Estação Laranjeiras seja construída na Praça Ben Gurion, próxima à Rua General Glicério.

No entanto, porém, há quem defenda que ela seja construída no Cosme Velho perto do trem do Corcovado para que turistas façam uma rápida baldeação para visitar uma das principais atrações turísticas da cidade.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Movimento Metrô que o Rio Precisa

O Movimento Metrô que o Rio Precisa defende a construção de uma malha metroviária para o Rio de Janeiro. A saber:

Linha 1:
Conclusão do anel circular da Linha 1 com as estações: Uruguai (obras em andamento), Praça Nossa Senhora da Paz, Jardim de Alah, Antero de Quental e Gávea. Também defende a conclusão das obras da Estação Morro de São João, em Botafogo.

Linha 2:
Conclusão da Linha 2 sentido Centro com as estações Praça da Cruz Vermelha, Carioca e Praça XV. Expansão da Linha 2 em direção à Baixada Fluminense com as estações: Vila Rosali, Agostinho Porto, Coelho da Rocha e Belford Roxo.
Linha 4:
Construção das seguintes estações: Carioca, Laranjeiras, Largo dos Leões, Humaitá, Jardim Botânico, Gávea, São Conrado, Jardim Oceânico, Downtown, Città América, Barra Shopping, Nova Ipanema e Alvorada.

O movimento não esqueceu das outras linhas e bairros, mas como a prioridade do governo é levar o metrô à Barra da Tijuca por causa das Olimpíadas, tornou-se necessária a discussão do metrô na área metropolitana do Rio de Janeiro, até porque, não podemos deixar que a Linha 1 seja extendida eternamente até a Barra formando assim um "linhão". Também há de se levar em conta que a Linha 3 tem uma verba independente da Linha 4 e suas obras não começaram por suspeita de superfaturamento no orçamento.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Estrutura da Estação Botafogo

Ao lado, o projeto da Estação Botafogo. Repare que ela foi projetada para receber os trens vindos da Estação Morro de São João, que jamais foi construída.

sábado, 14 de maio de 2011

TCU Pode Aprovar a Linha 3

Para o jornal O Dia, o Senador Marcelo Crivella declarou que o Tribunal de Contas da União está próximo de aprovar as novas contas do Governo Estadual para construir o primeiro trecho da Linha 3 do metrô.

Diferente das últimas notícias publicadas aqui, o trecho 1 a ser construído seria o que o Governo Estadual queria inicialmente, com 14 estações ligando Niterói a São Gonçalo.

Há dois anos o Governo Federal transferiu para o Governo fluminense R$ 62,5 milhões para o início da obra.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Calamidade em Santa Tereza

O bonde de Santa Teresa remete os cariocas à nostalgia, encanta turistas e dá um ar de interior ao bairro de Santa Teresa. Está na moda andar de bonde, passa na novela, tiram fotos dele e gera repercussão internacional. Apesar disso, os governos do Rio não só não deram atenção aos bondes, como tentaram e tentam acabar com eles.

Uma das últimas agressões foi o governo estadual ter vendido - irregularmente - as máquinas de fazer peças dos bondinhos para o ferro-velho Balprensa, na Pavuna.

Antes porém, os governos Garotinho e Cabral conseguiram transformar oito dos catorze bondinhos históricos sobreviventes em VLTs. Estes VLTs, de péssima qualidade, custaram R$ 1 milhão cada e fazem um barulho de 105 decibéis. O dinheiro pago para cada VLT daria para ter consertado três bondinhos hitóricos, que fazem muito menos ruído.

Atualmente, o bairro tem apenas dois ou três VLTs funcionando e talvez dois bondinhos históricos. Os demais estão parados na garagem à espera de conserto.

Por causa das denúncias, a SETRANS não discute, nem negocia mais com A Associação de Moradores e Amigos de Santa Teresa (AMAST). Funcionários que operam os bondinhos, dizem que há dois dos históricos precisando de poucos reparos, cujo orçamento é de R$ 600 mil para voltarem a funcionar.

Em Fevereiro, o Governo Estadual foi condenado ao perder o recurso que havia apresentado contra a Ação Civil Pública ajuizada pela 3a Promotoria de Justiça do Meio Ambiente e Patrimônio Histório do Rio de Janeiro/AMAST. Perderam também em segunda instância. O Governo do Estado do Rio de Janeiro foi condenado por desrespeitar o seu dever de prestador de serviço de passageiros, por descumprimento do seu Plano Estadual de Transportes (PET). A sentenção determina a restauração de todo o sistema: bondes, via permanente (trilhos), a oficina da Rua Carlos Brant, a rede aérea, o gradil dos Arcos da Lapa, além das reformas da Estação Carioca e Estação Curvelo.

Pela péssima conservação dos trilhos - e os poucos bondes em funcionamento, o bonde já não faz todo o percurso que fazia há quinze anos pelo bairro. Os passageiros são obrigados a saltar bem antes de seus destinos finais.

sábado, 7 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Três Quilômetros da Discórdia

A distância da Estação Estácio para a planejada Estação Praça da Cruz Vermelha é de 1,9 quilômetros aproximadamente e a distância entre a Estação Praça da Cruz Vermelha e Estação Carioca é de 1,3 quilômetros.

Destes 3,2 quilômetros, apenas 100 metros foram construídos.

A conclusão da obra estaria pronta se por ano, desde 1985, apenas 100 metros fossem construídos.