sábado, 29 de setembro de 2012

Entendendo a Estação Carioca - Parte I

A Estação Carioca foi projetada nos anos 60 e construída nos anos 70 para receber duas linhas de metrô. O tamanho da cidade e da população na época, previa que o Rio precisava de apenas duas linhas.

A Estação Carioca, que fica bem no Centro do Rio de Janeiro, seria o centro do sistema nervoso do metrô carioca. Ela foi planejada para receber as duas linhas de metrô da cidade e assim foi construída.

A Estação Carioca entrou em operação em 1981. Ela só recebia trens da Linha 1 mas foi aberta ao público assim.  Grande parte do metrô em funcionamento hoje foi construído até 1984 mas a Linha 2, na direção Centro, não passou da Estação Estácio, que foi inaugurada em 1980.

Nos anos 90, a Linha 2 foi ampliada na direção Zona Norte até a Estação Pavuna. No entanto, apesar de algumas obras terem sido feitas sob a Avenida Chile, de terem preparado a fundação da Estação Praça da Cruz Vermelha e de terem escavado cerca de 80 metros de túnel entre a Estação Estácio e a futura Estação Catumbi, a Linha 2 jamais foi concluída na direção Centro.

Durante muitos anos, a Estação Estácio era a única estação de baldeação entre as Linhas 1 e 2. A Estação Estácio é uma estação pequena, que não foi construída para receber o enorme público que ela estava recebendo. Em 2009, o Governo Estadual optou por construir a Linha 1, que passou a colocar trens da Linha 1 na Linha 2 vice-versa.

Por que é importante recomeçar a obra de conclusão da Linha 2? Para desafogar a Estação Estácio, para facilitar o acesso do público ao Sambódromo pela Estação Catumbi, para facilitar o acesso do público à rede hospitalar localizada na Praça Cruz Vermelha, para facilitar o transporte dos boêmios de e para a Lapa (se beber, não dirija!) e para levar o público direto à Estação Carioca com mais conforto.

E mais! Com o crescimento da cidade nos últimos 50 anos, especialistas e usuários do sistema metroviário defendem a extensão da Linha 2 não apenas até a Estação Carioca, mas até a Estação Praça XV para a conexão com o sistema de Barcas (para Paquetá, Ilha do Governador e Niterói).

Especialistas também defendem que a Estação Carioca seja ainda maior, recebeno trens da Linha 3 (vindos de Niterói), da Linha 4 (vindos da Barra da Tijuca) e da Linha 5 (vindos da Ilha do Governador).

Hoje, nada mudou na Estação Carioca desde sua inauguração. A plataforma da Linha 1 está em operação e a plataforma da Linha 2, que fica abaixo da utilizada pelo público, segue fechada, escondida do público. Ao esperar o trem na plataforma e olhar o mapa disponível (foto), é impossível não sonhar com a conclusão da Linha 2. O mapa deste post coloca em verde o trecho construído da Linha 2 na Carioca, o trecho em preto do que falta construir e o trecho em azul de uma possível extensão para conectar o público às barcas.

6 comentários:

  1. Mas não são 3 níveis ? Nível da linha 1, nível da linha 2 (mostrado na imagem postada) e o nível que seria o destino final da linha 4 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A linha 4 ficaria no mesmo nível da linha 1!
      A linha 2 à um nível abaixo da linha 1 e 4. Faltaria o estudo de nível da provável chegada da linha 5.

      Excluir
    2. Bené: A Estação Carioca tem dois níveis (andares) e duas plataformas. Está em uso o primeiro andar com plataforma para a Linha 1. Está em desuso o segundo andar com plataforma para a Linha 2. Para as Linhas 3, 4 e 5 na Carioca será preciso construir novas plataformas, em paralelo ou em novos andares subterrâneos.

      Excluir
    3. Pedro: Exato! Já que o atual governo colocou na mesma linha, a Linha 1 e a Linha 4, nada mais justo que chamar a plataforma em uso de Linha 1 e 4 - e na verdade até 2 se não concluírem a Linha 2.

      Excluir
  2. E aí Miguel, vai sair a Parte II do artigo?

    ResponderExcluir