quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Metrô Desmente Cabral

Segundo o site do Metrô, ao clicar em "Novas Estações", a Estação General Osório só ficará pronta mesmo no início 2010. Ou seja, a data de 17 de Dezembro de 2009 é fictícia ou simbólica.

Provavelmente, os testes começarão a ser feitos nesta data. Ela só deverá ser aberta ao público mesmo uns 60 dias depois.

Quanto à Linha 1A, por mais que o governador queira que ela seja inaugurada ainda em 2009, o metrô confirma: inauguração em março de 2010.

10 comentários:

  1. Ainda assim, será precoce para inaugurar a linha 1A em função da quantidade de trens.

    Do ponto de vista da "realização", o governador já poderia apresentar a linha 1A na conta do mandato. Mas até as eleições, os usuários ainda não terão visto a linha funcionar plenamente.

    Ando de trem pela área e de ônibus também. Os comentários que eu venho ouvindo exprimem desconfiança sobre a boa funcionalidade da linha 1A.

    ResponderExcluir
  2. O certo seria acabar o ramal via Cruz Vermelha até a carioca, a nova linha 1A não foi projetada para o que está sendo feito e riscos de acidentes graves, principalmente em dia de chuva com carros cheios, será constante.

    Qual o site do Metrô mencionado no texto acima?

    ResponderExcluir
  3. O site do Metrô é http://www.metrorio.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Daniel, nada contra a Linha 1A, mas o certo mesmo seria fazer primeiro o restante da Linha 2. Ficaram faltando as Estações Praça da Cruz Vermelha, Carioca (2a plataforma) e Barcas.

    O site do Metrô é: http://www.metrorio.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gabriel, fiquei sabendo que em dezembro o governador vai inaugurar a Estação General Osório, junto da Linha 1A.

    Feita a cerimônia oficial, a Estação General Osório deverá começar a funcionar após o carnaval e a Linha 1A no final de março.

    ResponderExcluir
  6. Mas é a praxe... Infelizmente. Inauguram para testes, depois é que entram com os tais testes. A linha 1A funcionará deficitária até a primeira leva de trens chegar. E só deixará de ser de fato deficitária quando chegar toda a leva de trens necessários, mas com grande perda de lógica de serviço em relação ao projeto original.

    Só se fala nos problemas que podem acontecer o metrô, mas o trem terá um grave problema em São Cristóvão. A quantidade de pessoas preferindo baldear em São Cristóvão crescerá e nem a estação de trem nem a de metrô estão dimensionadas para isso. Os usuários dos ramais Saracuruna e Belford Roxo podem fugir do tumulto baldeando em Triagem, mas os usuários do ramal Deodoro terão que escolher entre São Cristóvão e Central.

    E seria tão mais simples se os usuários da linha 2 baldeassem em São Cristóvão, Triagem ou Pavuna dependendo de ramal ou destino e aqueles com destino à linha 1, principalmente Tijuca e mesmo a Zona Sul usassem a Central.

    ResponderExcluir
  7. O próximo governador terá que construir o restante da Linha 2.

    ResponderExcluir
  8. Não apenas isso. Linha 2, barcas, etc. E uma linha que ligue a zona oeste, não apenas pela zona sul, mas pela linha amarela.
    Aliás no projeto da linha amarela deveriam ter levado em conta uma linha de metrô de superfície passando ao lado.
    Pela zona sul, acho que a prioridade seriam as estações seguindo o trajeto botafogo - humaitá - gávea e adali pra são conrado e barra.
    até unir as duas pontas em jacarépaguá, formando um grande anel metroviário, que certamente solucionaria muitos dos problemas de trânsito da cidade.
    Uma linha de metrô para São Gonçalo e niteroi é fundamental também.
    Ainda assim deveria haver barcas para todo o lado na Baía. Novos portos (Magé, Itaboraí, Duque de Caxias, Ilha do Governador.) e com mais frequência.

    ônibus deveria ser apenas para circulação em pequenas áreas onde o custo de construção de estações não compensasse, como no caso da Urca, mas sempre ligando estas áreas a uma estação de trem, metrô ou barcas.
    Linhas de ônibus que percorrem vários bairros não deveriam existir. Copacabana, por exemplo, hoje em dia poderia ter apenas uma linha de ônibus circular que seria uma opção mais barata para quem deseja se deslocar dentro do bairro, passando pelo Leme e outros "pontos cegos" que não têm estação alguma.

    ResponderExcluir
  9. Concordo plenamente, Carlos. Todos estes bairros que você citou estão incluídos em projetos de futuras estações. Falta apenas tirar do papel e ter vontade política.

    ResponderExcluir