segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Grades Na Linha 2

As estações da Linha 2 ganharam em suas extremidades grades. Este espaço era para ser utilizado por composições de 8 carros.

Desde a inauguração da Linha 1A, a Linha 2 deixou de usar 8 carros para se adaptar à Linha 1 que permite apenas trens com 6 carros.

Quando a Linha 2 voltar a ser independente, ela poderá utilizar trens de 8 carros.

44 comentários:

  1. Respostas
    1. Meu medo é fazerem as estações do tamanho das linhas 1 e 4

      Excluir
    2. O projeto da Linha 2 até a Estação Carioca era para 8 carros.

      Excluir
    3. Isso sim mas Cabral/Pezão não parecem se preocupar com os projetos antigos.

      Hoje passou no Bom Dia Rio uma matéria sobre mobilidade urbana e sobre o novo plano diretor e entrevistaram a secretária e ela só falou do que o Pezão fala...metrô em Jacarepaguá e Ilha nem pensar.

      Excluir
    4. Gabriel, não há dinheiro para tanto!

      Excluir
    5. Eu sei que não há dinheiro e que nem tem como fazer isso tudo de uma vez mas não faria mal isso constar no plano diretor, mesmo que pra ser feito daqui 20, 30 anos.

      Excluir
    6. Sobre a linha 2, o que foi divulgado até agora é ter 3 estações entre Estacio e Praça XV, ou seja, no catumbi parece que não terá mais estação.

      Excluir
    7. Mas as linhas 5 e 6 fazem parte do plano diretor.

      Excluir
    8. A Estação Catumbi fazia parte do projeto original mas foi substituída pela Estação Praça XV nos anos 80.

      Excluir
    9. Quero acreditar que ainda façam mesmo...Eu sei que pra fazer a linha 6 é necessário que a linha 2 seja finalizada e a linha 4 chegue a Alvorada mas espero ainda viver pra andar nela.

      Excluir
    10. Pior...acabo de saber que a linha 6 realmente consta nesse PDTU apesar de não ter sido divulgada mas totalmente modificada indo pela Freguesia, Engenho de Dentro e Fundão....vou ter que ficar com esse BRT mesmo até o dia que resolverem desenhar uma linha que passe por Praça Seca e Taquara.

      Excluir
    11. Pois é. Os moradores da Zona Oeste deveriam protestar.

      Excluir
    12. Para fazer a Linha 6 não precisa da conclusão da Linha 2.

      Excluir
    13. Pois é né.... Galera da linha 4 protestou e o governo já sinaliza com a possibilidade de expandí-la pros 2 lados principalmente pro centro agora aqui todos se calaram e aceitaram passivamente a linha 6 ser trocada pelo BRT.

      O que eu imagino é que a linha 6 jogaria mais passageiros pra já entupida linha 2 que opera abaixo das capacidades por conta da linha 1A, não me parece muito prudente fazer isso sem a conclusão e od trens de 8 vagões.

      Excluir
  2. Na boa, dinheiro é o que não falta, (a quantidade de imposto que pagamos + a alta tarifa do Metro - roubalheira) x melhoria real é a fórmula secreta pra se fazer. O difícil é o Governo querer usar tal fórmula!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wesley, que o dinheiro é mal aplicado não há dúvida. Mas o Sérgio Cabral raspou todo o dinheiro do estado.

      Excluir
    2. Miguel, entendo o ponto do Wesley, e acho que pode ser ponto de partida para uma discussão maior, sobre a roubalheira dos cofres estaduais. Impostos altos+royalties de petróleo+publicidade no metrô+aluguel de espaços comerciais deveriam ser = a melhorias no sistema, que nunca vemos.

      Excluir
    3. Flávio: a concessionária vive do lucro das passagens + propaganda em todo o sistema + aluguel de lojas nas estações. É diferente da verba do estado para ampliação do sistema.

      Excluir
  3. "Desde a inauguração da Linha 1A, a Linha 2 deixou de usar 8 carros para se adaptar à Linha 1 que permite apenas trens com 6 carros."

    Não tem vergonha não?
    A Linha 2 NUNCA usou composições de 8 carros, aliás nem mesmo de 6, praticamente todas as viagens (pra não dizer todas, por que isso eu não posso afirmar categoricamente) eram feitas em composições de 4 ou 5 carros, já que o metrô não tinha frota suficiente pra colocar composições de 6 carros em ambas as linhas, e mesmo se tivesse, só faria aumentar o gargalo no Estácio.

    Tudo bem que a Linha 1A não resolveu os problemas do sistema de metrô (embora tenha sido melhor do que deixar a baldeação na Estácio), mas custava colocar informações verídicas no seu argumento?
    Porque esse blog aqui é um dos melhores acervos de informações sobre o Metrô Rio e é uma pena ver sua imagem se manchar por distorcerem informações a fim de endossar seus argumentos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitor, a Linha 2 usou durante muito tempo e durante um bom trecho dela as composições do pré-metrô. Depois, quando veio o metrô definitivo usavam 6 carros.

      Sobre a sua informação de que usavam 4 ou 5 carros, eu não posso afirmar. Mas provavelmente, com carros avariados e após a expansão para Copacabana e Ipanema isso tenha sido verdade.

      Sobre composições com 8 carros, a informação que eu tenho é que eles não eram usados no dia-a-dia mas eram usados quando haviam grandes eventos no Maracanã ou no Sambódromo (Estação Estácio).

      Tais grandes, tema do post, é algo novo, dos últimos anos, pois sempre pensou-se em utilizar composições de 8 carros no dia-a-dia da Linha 2.

      Excluir
    2. Olha, eu duvido muito que você tenha andado de metrô nos anos anteriores à implantação da Linha 1A. E se você quiser falar em frota disponível para colocar trens de 8 vagões, basta olhar a quantidade de vagões apodrecendo no tempo, logo após descer o trem da linha 2 cruzar por cima a Francisco Bicalho.

      Quem deveria ter vergonha de vir aqui defender essa operação patética do sistema, defender essa obra porca e imunda que criou a linha 1A, ao invés de terminarem direito a linha 2, é você Vitor.

      Excluir
    3. Até andei em trens de 5 vagões na linha 2 por volta de 2003 e não sei se chegou a andar com 8 alguma vez mas fato é que a linha 2 foi projetada pra 8 vagões e essa porcaria de linha 1A impede isso. Sobre o gargalo do Estácio, a expansão até a Praça XV.

      Excluir
    4. Miguel, pré-metrô são apenas 28 carros. Dividindo por 8 teríamos 3 composições de 8 carros e 1 de 4 carros. Qual seria o intervalo no trecho operado pelo pré-metrô? (Não sou dessa época).
      Já Mafersa e Alston, são 182 carros.
      Uso há mais de 10 anos a Linha 2, muito mais do que a Linha 1, e lembro-me muito bem de que utilizavam a maior parte do tempo composições de 5 carros, e as vezes composições de 4 carros.
      Pra colocar composições de 8 carros, teríamos que aumentar o headway, o que seria péssimo e tornaria o sistema ainda mais pendular.
      E se aumentassem a frota pra diminuir o headway, teríamos um gargalo ainda mais grave no Estácio, de manhã.
      A Linha 2 foi projetada para 8 carros, mais só poderá ser operada com 8 carros e intervalos baixos quando tivermos a ligação Estácio-Carioca. E mesmo assim, se não fizerem uma linha transversal Zona Norte-Zona Sul, que atenda a Linha 2 e a Supervia, a Linha 1A terá de ser mantida em Y com a Linha 2, pra dividir o fluxo com destino à Zona Sul e dessa forma minimizar o gargalo que se formaria no Largo da Carioca.
      Flávio, a primeira questão que você levantou já foi respondida acima. Esses vagões que você se refere são os 28 do pré-metrô, que só pra reformar alguns ia-se gastar mais dinheiro do que pra comprar novos.
      E eu não defendi a Linha 1A, só corrigi uma informação dada erroneamente: a de que ANTES da Linha 1A a Linha 2 usava composições de 8 carros. Ou vai me dizer que é verdade?

      Gabriel, a Linha 1A não impede a Linha 2 de receber 8 carros, basta operá-los até o Estácio. A Linha 1A não impede a construção da Estácio-Carioca, e vice versa.

      Excluir
    5. Gabriel, o metrô já estava sucateado em 2003. Desde sua privatização cinco anos antes.

      Excluir
    6. Flávio, além da Linha 1A, os trens chineses também não têm potência suficiente para carregar 8 carros.

      Excluir
    7. Vitor, andei de pré-metrô mas confesso que tampouco tenho os detalhes. Se são 28 carros no total como vc diz, o sistema era bem lento.

      Quando a Linha 2 começou a operar nos anos 80, tudo era novo e não estava sucateado. Provavelmente a Linha 2 andou com 8 carros, até porque eram poucas estações e quando fizeram as novas, elas foram supridas com o pré-metrô.

      Já nos anos 90, sem dinheiro, o metrô estava arrasado, com trens velhos e muitos problemas. Não duvido que vc tenha andado em composições de 4 ou 5 carros.

      A Linha 1A impede o intervalo ideal de trens nas Linha 1, 2 e 4. Ela é nociva para todo o sistema. A linha 2 com 8 carros não depende da Linha 1A. Aliás, toda a Linha 2 foi construída sem sequer se cogitar sobre essa ligação de trens da Linha 2 nos trilhos da Linha 1.

      Excluir
    8. Miguel, eu lembro muito pouco de quando era público.... Era melhor?

      Excluir
    9. Ah...entendi. Não lembro de praticamente nada desse tempo.

      Excluir
  4. Miguel, não foi nos anos 90 que eu andei de metrô de 5 carros, foi nos anos 2000, até imediatamente antes de fazerem a Linha 1A. Entre a inauguração da Linha 1A e a compra dos trens chineses parece que tem um vácuo na minha mente, já que eu não me lembro se já usavam 6 carros...
    A Linha 1A não impede o intervalo ideal. O que impede é a falta da ligação Estácio-Carioca. Com essa ligação, seria possível praticarmos intervalos de 2 minutos no trecho São Cristóvão-Pavuna sem a desativação da Linha 1A, já que poderíamos ter intercalados composições da 1A e da 2. Apenas no trecho Estácio-Carioca o intervalo seria de em torno de 4 minutos, mas como é uma área de interesse e a Linha 1A também atende à Carioca, não teríamos problemas de superlotação.
    Repito, só vamos poder desativar a Linha 1A quando tivermos uma linha Zona Norte-Zona Sul que integre as demais linhas do sistema ferroviário e não passe pelo Centro. Enquanto isso, mesmo após a inauguração da Linha 2 completa, teremos de conviver com a nefasta ligação.
    Agora, o que pode - e urge - ser feito pelo sistema é a modernização do sistema de sinalização e comunicação, fato que você já abordou aqui no blog. Assim, apesar de os atuais intervalos serem próximos dos mínimos praticáveis - com CBTC poderiam ser reduzidos de 2 min para 1,5 min entre Central e Botafogo e de 4,5 mim para 3 mim nas "pontas" - teríamos ao menos intervalos mais regulares e um sistema mais confiável, mesmo com o cruzamento antes da Central.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como seria essa linha zona norte-zona sul? Fechando o anel, criando uma nova linha ou as duas coisas?

      Excluir
    2. Vitor, me desculpe mas a Linha 1A impede que haja menos espaçamento entre trens na Linha 1, pois os trens da Linha 1 têm que esperar os da Linha 2 entrarem no sistema da Linha 1 através da Linha 1A.

      Os trens do metrô foram comprados no final dos anos 70. Em 90, já tinham 20 anos de uso. Em 2000, 30. A coisa foi piorando...

      Excluir
    3. Gabriel, a se fecharem o anel da Linha 1 já teremos uma linha circular Norte - Centro - Sul.

      Excluir
    4. Gabriel, o ideal seria um traçado paralelo ao Rebouças ou ao Santa Bárbara, saindo de São Cristóvão ou da Central, e cruzando as outras linhas do sistema. Isso poderia ter sido feito com a Linha 4, ao invés de levá-la para a Carioca, levá-la para a Central, passando pela Cruz Vermelha, mas o GERJ prefere a ideia de concentrar todas as baldeações no ponto mais movimentado do sistema.
      Miguel, a Linha 1A impede que haja o espaçamento mínimo na Linha 1, mas não impede um headway baixo. Com incrementos no sistema de comunicação e sinalização, como CBTC, poderíamos reduzir os intervalos nas pontas do sistema pra 3 minutos, o que é bastante razoável pra demanda atual, e é melhor do que uma nova baldeação forçada no sistema (em vez do Estácio, entraria a Carioca).
      E sobre os carros do metrô, dos anos 70 são os Mafersa, nos anos 90 foram comprados os Alston. E o certo é reformá-los, já que eles funcionam muito bem, como vem sendo feito com os antigos carros do metrô paulistano.
      Sobre o fechamento do anel: da Zona Norte só atenderia à Tijuca. Pra quem vem da Linha 2 ou da Supervia e quer acessar os principais pontos da Zona Sul (Ipanema, Copa, Humaitá, Botafogo) não vai servir, já que seria basicamente uma "viagem negativa" de quase 10 km pra acessar esses pontos. Se é pra cavar em rocha, o ideal no momento seria usar a "Linha 5" conectando a Linha 2 na Cruz Vermelha e Linha 1 e Supervia na Central, e criar de alguma forma uma conexão dela com a Linha 1 em Botafogo (nem que seja por meio de um sistema de esteiras rolantes).
      O Anel só vai ser útil depois de termos uma linha de integração como esta, aí a gente pode pensar em criar uma linha circular.

      Excluir
    5. Também defendo que a Linha 4 chegue na Carioca. Nada impede uma futura expansão em direção à área portuária.

      A Linha 1A impede o planejamento do headway previsto para as Linhas 1 e 2.

      O fechamento do anel da Linha 1 reduziria o número de passageiros no metrô e encurtaria o trajeto para muita gente.

      Excluir
  5. http://m.oglobo.globo.com/rio/pezao-quero-um-projeto-de-parcerias-publico-privadas-14945147

    Já leu isso Miguel? Insisto que não votei e nem confio nele mas ainda não tinha visto ele falar tanto da finalização da linha 2? Será que a concecionaria assume mesmo isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que ele está jogando palavras ao vento.

      Excluir
  6. Pode ser mas em uma coisa ele tem razão, poderia ser uma obra interessante pra concessionária assumir já que é um trecho pequeno e com muita demanda. Resta ver se vão mesmo propor isso e se eles vão aceitar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel, a concessionária foi obrigada a construir a ligação Estácio - Carioca para renovar o contrato e optou pela tal Linha 1A com aval do Governo. Ela já bancou esta obra e duvido que faça a "mesma" obra novamente.

      Excluir
    2. Outros governadores se não fizeram muito m pelo metrô tbm não atrapalharam como o Cabral fez....é fogo.

      Excluir