quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Governo Contratou Projeto Detalhado/Técnico da Linha 2

No Sábado, 14 de Novembro de 2015, o Secretário Estadual de Transportes, Carlos Osório, anunciou que o projeto detalhado/técnico da expansão da Linha 2 foi contratado pelo Governo do Estado à concessionária Metrô Rio por cerca de R$ 20 milhões.

O projeto detalhado/técnico deverá ficar pronto após os Jogos Olímpicos. As obras deverão começar após os Jogos Paralímpicos.

Ele confirmou que a Linha 2 ganhará mais quatro paradas: Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.

Também foram confirmadas suas localizações, que seguem as locais previstos e originais de 1968.

Carlos Osório também anunciou que a Estação Praça XV será construída em profundidade suficiente para uma futura ligação com a Estação Praça Araribóia, tal como previsto em 1968.

Também foi confirmado que o Estado vai substituir a sinalização manual da Linha 2 pela sinalização automática, como em grande parte da Linha 1.

Outra notícia interessante é que o Estado vai montar um segundo centro de manutenção num terreno em Maria da Graça.

Por fim, ele anunciou que será o tatuzão que fará a escavação. Isso é algo que deverá ser desaconselhado pelo projeto por alguns motivos: o trecho a ser escavado é muito curto e o tempo de montagem e desmontagem da máquina é grande; o tatuzão que o estado do Rio tem é enorme e o menor dos anos 80 já causou bastante estragos por ali nos anos 80.

Boas notícias!

26 comentários:

  1. Depois de tantos anos lendo reclamações na internet sobre o governo do Estado nunca ter tirado do papel o mítico Lote 29, que é meio estranho ver que ele está começando a tomar forma. Hahahahaha

    Mas o que você comentou no último parágrafo me deixou com algumas dúvidas. Conheço bem pouco sobre métodos de escavação de túneis, e como alternativa ao tatuzão, só conheço o cut-and-cover. Esse método seria viável na região? Acho que não. Então qual seria o outro método pra fazer o túnel? E o problema do uso do TBM ali seria só o seu tamanho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, o método mais viável naquela região será o cut & cover. O TBM vai ter problemas por seu tamanho. O tatuzão menor nos anos 80 rachou diversos edifícios.

      Excluir
  2. Muito legal, mas Miguel, e prazos???
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O único prazo divulgado é que este projeto ficará pronto e será divulgado em Agosto de 2016.

      Excluir
  3. Muito legal, Miguel, mas e prazos???
    Estácio e Carioca estão praticamente prontas, resta só "perfumaria". As outras três - Catumbi, Cruz Vermelha e Pça. XV - devem ser estações menores, o tatuzão não é aconselhável ali mesmo. Então seria uma obra de "tiro curto", de curta duração? Há algo oficial?
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não há nada oficial. O projeto técnico/detalhado que foi contratado definirá o método de escavação, tempo de duração da obra, orçamento, etc.

      Excluir
  4. Espero que seja realidade. Mas uma pergunta, e a promessa de expansão da minha 4 da Gávea até a Carioca? Ficou esquecida como promessa ou os estudos estão ainda em fase de andamento? Pergunto isso, porque a Carioca tem possibilidade de receber 2 linhas, com a linha 4 até carioca, não seria necessário a expansão de mais uma plataforma?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Clêi, leia este post sobre a Linha 4 na Carioca.
      http://metrodorio.blogspot.com.br/2014/06/estacao-carioca-linha-4.html

      Excluir
  5. O Secretário fala em composições de 8 carros, mas acho que para essa redução de intervalo e para a circulação de composições de 8 carros será necessária a compra de mais unidades, não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno, o projeto encomendado vai apontar isso. Imagino que o Estado precisará não só comprar mais composições, como também precisará de um novo Centro de Manutenção.

      Excluir
    2. Há lugar pra esse centro de manutenção? Alí naquele espaço depois de Maria da Graça dá pra fazer?

      Excluir
    3. É um terreno do estados nos arredores da Estação Maria da Graça.

      Excluir
  6. Depois do pátio de trens de maria da graça tem um terreno anexo consideravel com possibilidade de construção de condomínios. Atualmente existe oferta de imóveis na planta, mas com a crise no setor nada impede de ali se construa um pequeno centro de manutenção, tendo que nivelar ao nível dos trilhos do metrô que estão bem abaixo, fora isso tem o terreno da antiga GE, mas acho que é mais complicado ali porque tem que cruzar os trilhos da supervia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, estão estudando este terreno mesmo. Veja bem, os planos iniciais previam um terreno para o CM da Linha 4 (virou Cidade da Música), para a Linha 2 (virou favela) e agora estão falando neste terreno em Maria da Graça.

      Excluir
    2. Me permita uma pequena correção: o terreno virou um conjunto habitacional nos governos Garotinho. Não é favela (embora haja ocupações na ponte que seria ferroviária que daria acesso ao terreno).

      Excluir
    3. Nighto. É em Maria da Graça que estava falando, sobre o prolongamento de um pátio de trens. Onde realmente deveria ser, tem terreno maior virou conjunto habitacional e ficava em Acari.

      Excluir
    4. Era o terreno do Centro de Manutenção da Linha 2.

      Excluir
  7. O maior risco que o lote 29 corre é o de não ficar pronto antes do início da futura linha 5, pois a plataforma inferior da estação Carioca pode ser ocupada e impedirá a conclusão da linha 2, com isso será necessário a construção da terceira plataforma, a qual passará por inúmeros impasses políticos até sair do papel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Linha 5 está muito longe de sair do papel.

      Excluir
  8. Tomara que o governo já de o pontapé inicial para a construção do túnel Rio - Niterói.

    ResponderExcluir
  9. Mais do que o tempo de montagem e desmontagem: o problema maior de utilizar TBM no trecho até a Praça XV é que ele implica não utilizar / destruir a estação atual da Carioca 2. O mais sensato seria, de fato, fechar a Almirante Barroso (mantendo apenas acesso em uma faixa se possível, ou no limite somente as calçadas) e fazer cut and cover no trecho final.

    Acho que o mais sensato seria manter o TBM na Gávea e utilizá-lo para a futura expansão da L1, fechando o anel e partindo da Uruguai em qualquer direção que seja, ou da futura expansão da L4 / "L5".

    ResponderExcluir
  10. Robierto Fernandez (LOJ)3 de dezembro de 2015 10:24

    Sr. Miguel, sou engenheiro e tenho acompanhado seu blog. Parabéns pelo maravilhoso trabalho. Tenho uma dúvida sobre o trecho Cruz Vermelha Carioca. Lembro que quando pequeno acompanhei ama grande obra na Avenida Chile. Chegaram a abrir algum túnel no local? Outra dúvida. O método cut-and-cover seria viável no trecho entre Estácio e Praça cruz vermelha? Teria área para escavação sem que se cause transtornos aos moradores dos edifícios, pois são só 3 faixas de rolamento, seria suficiente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Robierto, as informações que tenho são de que nenhum túnel foi aberto entre Cruz Vermelha e Carioca. Quanto ao método cut-and-cover ele é possível. No entanto, transtornos sempre vão existir, pois terão de fechar ruas, mesmo que parcialmente.

      Excluir