terça-feira, 3 de setembro de 2013

Um Papo com César Maia

O economista César Maia foi Prefeito do Rio de Janeiro de 1993 a 1996; de 2001 a 2008. No cargo, foi o responsável pelos projetos do Rio Cidade, Favela Bairro, Linha Amarela, Cidade do Samba, o Velódromo Municipal, o Engenhão, entre outros.

1) Se o senhor fosse eleito hoje o Governador do Estado do Rio de Janeiro, qual seria sua primeira medida para os transportes do estado?
CM - Certamente investiria no transporte sobre trilhos que é de responsabilidade estadual.

2) A Linha 2 se transformou no grande gargalo do Metrô fluminense e piorou ainda mais quando o atual governo colocou os trens da Linha 2 para circular na Linha 1. O projeto original desta linha, feita pela Rio Trilhos, não previa que sua estação terminal fosse a Estácio. Deveriam ter sido construídas as estações Catumbi, Praça da Cruz Vermelha e Carioca - que aliás está feita e nunca foi aberta ao público. Hoje, especialistas em transportes e engenheiros de trânsito defendem que esta linha deveria ir além, para a Praça XV e ao Aeroporto Santos Dumont. O que o senhor pensa desta questão envolvendo a Linha 2? O senhor tem uma idéia de seu orçamento e de quanto tempo esta obra levaria para ficar pronta?
CM - A perfuração já está parcialmente feita. Esse trecho vai evitar o caos em mais 5 anos. Na avaliação do investimento deve-se incluir a economia de tempo das pessoas, de combustíveis, defesa do meio ambiente .... tornam irrelevante um investimento de 1 bilhão de reais.

3) A Linha 3 do Metrô (Itaboraí - São Gonçalo - Niterói - Rio) não sai do papel. Seu projeto original foi desenhado em 2002. Por que a Linha 3 não é construída? Seria melhor construir uma estação de barcas em São Gonçalo do que fazer a Linha 3?
CM - Há estudos que mostram que o atracamento das barcas em São Gonçalo é muito complexo pela dragagem exigida. O trecho Itaboraí-São Gonçalo-Niterói é plano, de superfície, barato. O mergulho Niterói-Rio é a parte mais cara, mas ao mesmo tempo também fácil com as técnicas de engenharia existentes.

4) Outros planos para o metrô?
CM - Além da linha São Gonçalo-Niterói-Rio, iniciaria a metrolização - inicialmente - do trecho Deodoro-Central usando os corredores da hoje, Supervia.

5) E quanto a trens de passageiros? É possível refazermos o trem Rio - Petrópolis? Fora os trens que ligam a Central do Brasil a alguns pontos do subúrbio carioca e ao Grande Rio, o estado não tem linhas de trens de passageiros. Neste quesito, o Rio andou para trás, pois no Brasil Império havia trens ligando o Rio a Petrópolis, por exemplo. É possível construir linhas de trens de passageiros novamente e que sejam rentáveis ao estado? Talvez partindo da abandonada Leopoldina para Petrópolis, Teresópolis, Angra dos Reis...
CM - Certissimamente. Se fala no trem-bala. Por que não voltar modernizado com as linhas em direção a São Paulo e Belo Horizonte? Quanto ao Rio-Petrópolis, sim, mas desde que a duplicação rodoviária tão esperada seja feita.

6) Barcas, metrô e trens passaram a ser administrados por concessionárias mas o serviço não melhorou. Ao contrário, piorou. Como o Governo Estadual deveria estar lidando com estas empresas que ferem seus contratos de serviços? É possível cancelar as concessões?
CM - A agência reguladora que foi criada foi ocupada politicamente e não tecnicamente e esse é o problema.

14 comentários:

  1. Primeiro, prometer é fácil, quero ver é cumprir. Segundo, se a perfuração já está parcialmente feita, só não completam por falta de vontade, e é crucial que o metrô seja estendido para a Praça XV, viabilizando a integração com as barcas e também para o Aeroporto Santos Dumont, o que já deveria ter sido feito desde quando se pensou em realizar eventos como Copa do Mundo no Brasil e Olimpíadas na cidade do Rio. Cidades desenvolvidas e em desenvolvimento no mundo inteiro já têm esse sistema, só o Rio que não, já passou a hora de ter. Terceiro, se a linha 3 é tão fácil de ser construída, assim como o túnel embaixo da Baía de Guanabara, já era pra estarem construindo logo esse metrô, e não ficarem com essa palhaçada de bondes e monotrilhos. Quarto, a metrolização dos trens já podia estar sendo feita, com a criação de linhas onde se localizam os ramais Deodoro e Saracuruna, vide o espaço desocupado que se possui nas linhas entre Saracuruna e a possibilidade da construção de uma linha elevada no ramal Deodoro. Quinto, a ferrovia Rio Petrópolis deve ser restabelecida sim, até porque, não só facilitando o transporte, favoreceria o turismo no Estado. E por último, sobre as medíocres concessões, o governo que se vire, pois esses problemas que estão acontecendo agora, são por culpa única e inteiramente dele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As concessões todas deveriam ser revistas e os projetos das Linhas 2 e 3 na minha opinião deveriam ter sido feitos antes de qualquer obra da Linha 4.

      Excluir
    2. Exatamente, Ipanema, Leblon, São Conrado, Gávea nem muito menos Jardim Oceânico precisam urgentemente de metrô. O interesse é simplesmente beneficiar os moradores da privilegiada Zona Sul, como sempre foi e sempre será. O término da Linha 2, a extensão para o Santos Dummont e a construção da Linha 3 são cruciais.

      Excluir
    3. Augusto, não é verdade dizer que a Zona Sul é privilegiada em relação ao metrô. Basta você ver que a Zona Norte e o Centro têm mais estações que a Zona Sul.

      Excluir
    4. Concordo com o Augusto, é vdd sim q a ZS é privilegiada, pois já é mto bem servida em transporte e ainda querem fazer mais uma linha passando por Laranjeiras e adjacencias(bairro minúsculo em relação a outros e já é mto bem atendido pelo "metro de superfície" através da Est. Lgo Machado) pode ver q o governo só faz metro na ZS, pq ñ fazer onde + precisa q é a ZO(que até hj ñ tem nem 1 km de linha) e ZN? vão é transformar a Carioca em uma Central do Brasil, o que seria um caos,pois a Carioca ñ deve receber a linha 4 só a linha 2(o que é + importante), a linha 4 deveria ir só até Botafogo como o projeto original e tbm seria mto melhor se fizessem pelo menos parte da linha 6 q seria a única transversal a cidade partindo de JPA até a ligação com a linha 2, pois assim teríamos intregraçºao em Madureira tbm com os trens dA Supervia(o q já atenderia em tese os ramais de Stª Cruz,Japeri e Deodoro).

      Excluir
    5. Fábio, desculpa mas você está errado. A Zona Norte tem muito mais estações que a Zona Sul. Uma linha que não cruza com outra não faz o menor sentido. Sei que todas os bairros e zonas precisam do metrô mas o mais importante é terminar a Linha 1, circular unindo as Zona Sul, Norte e Central, e a Linha 2.

      Excluir
    6. Claro e é de ser esperar q tenha mto mais estações na ZN q na ZS, pq a ZN é mto maior uqe a ZS, mais só pq a ZN tem + estações q a ZS isso ñ quer dizer nada, já que a linha 2 é mto + importante que a linha 1, ja que é a q transporta e arrecada mto + receitas para o metro. No que diz a respeito terminar a linha 1 e 2 isso sim eu concordo, pois assim teria uma melhor divisão, um melhor dimensionamento de passageiros, mas fazer mais uma linha de metro na ZS nesse momento não faz sentido, faria sentido sim se a futura linha 4 fosse até a Alvorada e fosse feita até Botafogo, ñ emendar a linha 1 com a 4.
      Ah e claro, acabar com a tal ligação da L2 com a L1, s chamada 1A q depois disso piorou mto o metro, sem falar nos intervalos maior entre ums composição e outra.

      Excluir
    7. Fábio, como vc mesmo diz, a ZN é muito maior que a ZS e é muito melhor atendida pelo metrô. Cabral prometeu concluir a Linha 2, 3 e 4 quando foi eleito a primeira vez. Quando foi reeleito, já tinha feito a Linha 1A, a Linha 3 não tinha saído do papel e a Linha 4 tinha sido bruscamente alterada. Lembro o que você disse: A ZN é muito maior, tem muito mais gente, e ajudou a reeleger o Cabral.

      Aqui neste blog defendemos sempre a conclusão da Linha 1 circular, a Linha 2 (Belford Roxo - Praça XV), a Linha 3 (Itaboraí - Carioca) e Linha 4 (Alvorada - Carioca).

      Excluir
  2. Todos os políticos possuem defeitos e projetos polêmicos, mas é inegável que César Maia entende de urbanismo bem mais que a média. Um sonho distante, praticamente impossível, seria Cabral deixar de lado as diferenças políticas e ouvir CM, gerando compromissos. Seria até melhor para sua desgastadíssima imagem.

    Parabéns, Miguel, pela entrevista. Espero que consiga trazer outros políticos de destaque para o debate.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Celso, sim eu gostaria muito que outros políticos falassem com o blog. Vou seguir tentando.

      Excluir
    2. A iniciativa foi ótima mesmo, tá de parabéns Celso.

      Excluir
  3. Não sei se fico feliz ou não com as respostas do CM. Ele sempre falou muito bem, com argumentação lógica, porém (sempre tem um porém), não devemos nos esquecer que ele sempre foi o "rei dos factóides". É pra se ouvir, filtrar, dar um desconto e tentar descobrir até onde o que ele disse é real e sincero e onde começa o sonho (ou a vontade de engabelar o interlocutor).
    Mas gostei da iniciativa. Parabéns!
    Talvez fosse interessante tentar saber a opinião de urbanistas do IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil).

    ResponderExcluir