sábado, 3 de dezembro de 2011

Ligação Entre Rio e Niterói Pode Nunca Ser Feita

O Governador Sérgio Cabral quando eleito pela primeira vez prometeu tirar a Linha 3 do papel. Sua promessa era construir o primeiro trecho da Linha 3 ligando Niterói à São Gonçalo. Os dois outros trechos entre São Gonçalo e Itaboraí; e entre Rio e Niterói ficariam para outros governos. O tempo passo, o Tribunal de Contas da União encontrou irregularidades no projeto da obra e ela não pôde começar, apesar do Governo Federal ter repassado ao Governo Estadual uma pequena parte da verba.

Sérgio Cabral foi reeleito e suas promessas para a Linha 3 continuaram. Para atender ao TCU ele modificou o projeto de sua obra e faria apenas uma parte do trecho entre Niterói e São Gonçalo. Como Itaboraí ganhou importância estratégica por causa do COMPERJ, a Petrobrás apareceu prometendo injetar R$ 400 milhões na obra (um terço do orçamento para o metrô Niterói - Itaboraí).

Mas um detalhe tem passado despercebido por especialistas, autoridades e a imprensa. Desde que prometeu construir a Linha 3, Cabral prometeu fazer da Estação Praça Araribóia uma estação multi-modal, que interligaria metrô, ônibus e barcas. O que ele não divulgou é que a estação do jeito que ele prometeu construir poderá nunca receber o metrô vindo do Rio de Janeiro.

Explicamos: O metrô que chegaria à Niterói sairia da Estação Carioca. O metrô passa ali há 40-50 metros abaixo do solo. Seu túnel sob a Baía de Guanabara precisa ser construído com esta mesma profundidade e ele chegaria à Niterói também nesta distância da superfície. Só que o Governo pretende fazer a Estação Praça Araribóia em elevado, no mesmo nível do solo, impossibilitando o metrô de descer sob as águas. Sérgio Cabral decidiu mudar a Estação Praça Araribóia de lugar para transformá-la em estação multi-modal.

A primeira imagem mostra o traçado original em azul e o traçado do atual governo em vermelho. Em elevado, não haveria distância suficiente para o metrô descer sob o solo. No projeto original, o metrô poderia até vir em elevado mas ele precisaria descer abaixo do solo e chegar à estação Praça Araribóia já a 40-50m do solo.

A segunda imagem mostra o projeto da estação multi-modal. Repare no metrô ao fundo chegando pela superfície. Não haveria como ele chegar ao Rio de Janeiro, a não ser que uma nova ponte seja construída e ele deixaria de ser subterrâneo.

Agora, me diga quem vai contestar o projeto do escritório do Oscar Niemeyer? Talvez nem seja culpa do grande arquiteto e sim de quem insiste em fazer uma estação multi-modal.

33 comentários:

  1. Esse governo do Cabral simplesmente joga fora os projetos originais do metrô.Acho até que a ligação Rio -Niterói seja mais importante do que ligar Niterói-S.Gonçalo e Itaboraí.Eles deveriam se preocupar mais no trecho Carioca-Araraboia,as barcas já registraram aumento de mais de 20% no numero de passageiros,a ponte Rio Niterói é um inferno o transito .Tem dias que com engarrafamento se leva 1 hora ou mais para fazer a travessia,os ônibus nao estão dando conta .A prioridade deve ser a ligação Rio - Niterói .
    Alguma noticia da Linha 4 ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ligação subterrânea entre a estação Carioca do metro do Rio e a praça Araribóia deveria ser obra prioritária. São apenas 5km! Na praça ocorreria a interligação com o metro de superfície para S. Gonçalo e Itaborai. Considerando os municípios vizinhos a Niterói temos uma população de mais de dois milhões de habitantes que hoje sofrem com a mobilidade insatisfatória. As barcas, que são subsidiadas poderiam ser extintas e o tráfego na ponte Rio- Niterói seria consideravelmente reduzido. Em Niterói seria desnecessária estação intermodal pois não existiriam mais barcas e o número de ônibus seria sensivelmente reduzido.

      Excluir
    2. A ligação subterrânea entre a estação Carioca do metro do Rio e a praça Araribóia deveria ser obra prioritária. São apenas 5km! Na praça ocorreria a interligação com o metro de superfície para S. Gonçalo e Itaborai. Considerando os municípios vizinhos a Niterói temos uma população de mais de dois milhões de habitantes que hoje sofrem com a mobilidade insatisfatória. As barcas, que são subsidiadas poderiam ser extintas e o tráfego na ponte Rio- Niterói seria consideravelmente reduzido. Em Niterói seria desnecessária estação intermodal pois não existiriam mais barcas e o númer de ônibus seria muito reduzido.

      Excluir
    3. Deveria ser prioritária mas não é. Infelizmente.

      Excluir
  2. A ligaçao Niteroi - Itabora é sem sombra de duvida mais importante que a substituição das Barcas pelo metrô. Apesar de ser uma ligaçao logica a conexao entre rio e niteroi é cara e pessoalmente acho que pelas proximas 2-3 decadas há prioridades maiores e que um bom sistema de barcas tem capacidade para suprir a demanda durante esse tempo.

    ResponderExcluir
  3. As barcas nao seriam substituídas ,poderiam existir barcas e metrô .Alias as barcas deveriam ter mais linhas como a Pça XV-S.Gonçalo e acho que deveriam ir para outros lugares como Angra ,Parati e atender outras cidades .O governo falou que as obras da linha 3 iriam começar esse ano mas até agora nada .Ja é o terceiro ou quarto prazo que esse governo fala .

    ResponderExcluir
  4. Atilio. A questão é que uma ligação de Metrô Praça XV - Arariboia aposenta essa ligação de Barcas. Não há espaço para os dois modais ate porque o Metrô será bem mais rápido.

    Porem uma ligação dessas custa alguns bilhões de reais, e nessa conta é preciso pensar no custo oportunidade. Isso é, vale mais a pena (no quadro geral) eu gastar bilhões nessa ligação, ou gastar esses bilhões em outra obra de infra estrutura de transportes.

    ResponderExcluir
  5. Pode ser, Jan. O Rio deveria ter muito mais linhas de barcas, como por exemplo, Barra-Centro; Centro-São Gonçalo, etc.

    ResponderExcluir
  6. Eu acho que a curto prazo a solução é mais linhas de barcas e novas embarcações. No entanto, as obras do metrô Linha 3 deveriam começar também, pelo menos no sentido Itaboraí-São Gonçalo-Niterói.

    ResponderExcluir
  7. Miguel. Barcas pequenas em Mar Aberto não são uma solução confiável e tão pouco confortáveis. A ideia de ligar a Barra ao Centro por barcas deve ter surgido de alguém que nunca andou de barco em mar aberto na vida.

    Já Centro - São Gonçalo tem dois problemas. Primeiro é quanto a dragagem da região, há bastante sedimentação de material na região. Segundo é novamente quanto a Linha 3 ate as Barcas. L3 + Barcas pode ser mais interessante que Barcas direto.

    Acho que mais vale a penas fazer menos, mas direito, que tentar fazer tudo meia boca. Ou seja, sistema de barcas com maior capacidade e mais velocidade entre Rio e Niteroi, e L3 do Metrô de Niteroi ate COMPERJ.

    ResponderExcluir
  8. Jan, eu gosto da idéia da despoluição da Baía de Guanabara e sua drenagem. Talvez a curto prazo não seja viável mas a despoluição da Guanabara poderia ser feita num segundo momento.

    Apenas para lembrar: a despoluição da Baía de Guanabara foi prometida para Pan 2007 e não saiu do papel.

    ResponderExcluir
  9. Na verdade não seria nenhuma loucura ter metro e barca fazendo o mesmo percurso tendo em vista que a demanda é muito alta, em Nova Iorque acontece exatamente isso, há barcas e metro ligando a ilha de Manhattan a outros lugares como Queens, Brooklin e até a New Jersey! E tb acho que seria muito válido ter linhas de barcas ligando outros municípios da Baía de Guanabara como por exemplo, São Gonçalo, Magé e outros! Se pararem de jogar lixo na Baía de Guanabara hj ela se auto despolui em 10 anos!!!

    ResponderExcluir
  10. O fato do investimento ser caro, da possibilidade de várias linhas por barcas, ou da necessidade de investimento em outros lugares, não tira o fato que o GERJ tá propositalmente MATANDO O FUTURO DA LIGAÇÃO.
    E esse é o assunto.

    Alias, não vejo por que o túnel sob a baia seria tão mais caro que um trecho semelhante escavado com um Shield em "terra firme".

    E outra. O problema de sedimentação não tem nada a ver com poluição. A sedimentação é característica natural da baia (de quase todas, na verdade), principalmente nos fundos. A profundidade perto das bordas normalmente não chega a 2metros, e olhe lá. No geral, a baia é muito mais rasa do que a gente imagina. 30 metros deve ser uma profundidade grande.
    Ou seja, realmente seria necessário a dragagem constante pra manter o serviço funcionando direito.

    Outro fator que complica as Barcas nos fundos da baia é o tempo de viagem. Leva-se 12min no trajeto Rio-Niterói... poderiam ser 40/50 min até SG. Mais de 1hora até Magé.
    A menos que mudem pra embarcações mais rápidas... o que levaria a passagens bem mais caras. Pra Charitas, que nem é tão longe (bem mais perto que SG), já está em mais de 10 reais, se não me engano...

    Se deve existir uma ligação decente entre o Rio e o Leste Fluminense, essa deve ser de metrô.
    As pessoas tendem a pensar nessa obra como uma coisa de outro mundo, faraônica...
    Olhem pra Ponte. Ela é MUITO MAIS gigantesca, difícil, faraônica e cara. E foi feita há décadas...


    Eu acho que o GERJ tá esperando manter as pessoas no esquema TRANSPORTE+BARCAS+TRANSPORTE
    No caso, com Araribóia do jeito que querem fazer, é fazer as pessoas descerem do metrô, pegarem barca, e terem que pegar outro transporte. Talvez até o metrô na Carioca, o que seria PATÉTICO.
    Ou seja, o GERJ quer é manter as barcas lá do jeito que estão.

    ResponderExcluir
  11. O preço das passagens das concessionárias é abusivo. O metrô do Rio é um dos mais caros do mundo. O que o São Gonçalense não pode mais fazer é pegar um ônibus até Niterói e ali pegar Barcas. Ou pega Barcas direto ou pega Metrô direto. Nada de transporte rodoviário.

    ResponderExcluir
  12. A ligação do metrô (Araribóia-Carioca) é imprescindível para o desenvolvimento de Niterói e adjacências (e do Rio de Janeiro!). Em Niterói só se constroem mais e mais prédios residenciais, com inúmeros apartamentos e de duas a três vagas por apto. O governo federal continua a diminuir impostos incentivando a compra de automóveis para "passar pela crise" ao custo dos fluxos nas cidades. O governo federal desse modo acaba incentivando um movimento contrário ao que se vê em outras cidades, onde a sustentabilidade tanto ambiental como estrutural abarca o transporte público coletivo e bicicletas/caminhadas. Todos esses novos carros em circulação, e investimentos desprezíveis no transporte e vias públicas por parte do governo. Niterói já tem quse um carro por habitante (sem contar os que estão registrados em outros municípios e circulam por aqui), e o que mais se vê é uma pessoa dentro de cada carro no caminho para a ponte todos os dias. As barcas são lentas, exaustivas para os passageiros que precisam suportar filas em pé após o dia todo no transito e no trabalho. Niterói precisa dessa ligação metroviária. Não é possível que na cidade com maior proporção de habitantes classes A e B do país não consiga captar recursos para uma obra extremamente necessária como essa. A gestão da Reigão Metropolitana do Rio de Janeiro não pode mais ser realizada deste modo. Os fluxos não respeitam os limites administrativos dos municípios. Não se pode pensar Niterói, São Gonçalo e Rio de Janeiro independentemente, todas estão conectadas, e nesse caso o Governo do Estado do Rio de Janeiro só faz destruir qualquer chance de um futuro com maior qualidade de vida para seus habitantes. Ah se o Sérgio Cabral, Jorge Roberto e Eduardo Paes, bem como os Secretários de Transporte tivessem que aturar 2 ou mais trocas intermodais (onibus+barca+onibus ou metrô)e de 3 a 4 horas por dia só no trânsito... Esses projetos são de uma crueldade inacreditável.

    Se tivéssemos governantes sérios, já teríamos obras para uma linha 3-B ou coisa do tipo, pois a densidade de Icaraí, Jardim Icaraí, Santa Rosa e Fonseca já não comporta outro transporte que não o de massa, e boa parte da população de Niterói trabalha e estuda no Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  13. Rbrenelli: Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e adjacências precisam se mobilizar e protestar contra esta Estação Praça Araribóia que o Niemeyer projetou.

    ResponderExcluir
  14. Enquanto o Gov.Cabral anda só de helicopteros,sabemos que transitar sobre trilhos é mais rapido do que de barcas.É inaceitavel os dois maiores grandes centros do Rio não ter ligação metroviaria. Implicancia do governo Dilma com São Paulo com o cartel do metrô,é porque lá o Estado está construindo quatro linhas e para iniciar mais duas;total SEIS linhas de metrô(incluindo duas de monotrilho)O DESgoverno PT tem seis capitais brasileiras para fazer obra de metrô e não fez nenhuma.Só propaganda.
    A cidade de San Francisco, USA ensinou como fazer um metrô submarino e o governo de São Paulo quer fazer e veja a ligação Santos -Guaruja´.O projeto pode ser adaptado para o Rio.Acesse;
    http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=233281&c=6&q=tunel-santos-guaruju-reduziru-tempo-de-travessia-para-1-minuto-e-42-segundos
    Marcos Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom! Marcos, você precisa se juntar o Movimento Linha 3 Eu Quero e defender o metrô, contra o monotrilho do Cabral.

      Excluir
  15. por que eles não criam balças para travesia de veiculos entre rio e niteroi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não haveria demanda, pois seria muito, muito mais rápido atravessar a ponte.

      Excluir
  16. Algumas dúvidas:
    1) A distância da estação Araribóia até o ponto onde o túnel Rio-Niterói do metrô emergeria, no terreno da UFF a beira-mar, não seria suficiente para os trilhos mudarem do nível da estação até o nível do chão?
    2) O trecho Praça XV - Araribóia sob a baía seria parte da linha 2 ou da linha 3?
    3) No projeto original (dos anos 60 e 70) isso tudo não era a linha 2 que iria da Pavuna a São Gonçalo?
    4) Considerando que a ponte Rio - Niterói está saturada, seria uma alternativa mais viável construir uma 2a ponte entre as cidades, só que rodo-ferroviária por onde correriam trilhos de metrô? Algumas das pontes em NY, Londres e Paris são assim, embora muito mais curtas.

    ResponderExcluir
  17. Acho que esse projeto de túnel submerso poderia contemplar trem e metrô, devido a importantes cidades do leste do estado como Rio Bonito, Campos dos Goytacazes e Macaé. Pelo que vi em sites aqui da internet não passam mais trens nesse antigo ramal da Leopoldina que, claro, precisaria ser revitalizado, com colocação de trilhos modernos, maiores... Conectando a capital brasileira do petróleo e Campos dos Goytacazes ao centro do Rio de Janeiro. Metrô para a região metropolitana; trens confortáveis para o interior...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente, não há planos no momento nem para a revitalização da Leopoldina, nem para a expansão da malha ferroviária intermunicipal.

      Excluir
  18. Com essa crise que afetou a construção do COMPERJ, a ligação metroviária Niterói-Itaboraí voltou a ser engavetada (aliás, sempre esteve). Pelo visto, será substituído por uma linha de BRT (http://correiodacidadeonline.com.br/brt-que-ligara-niteroi-sao-goncalo-e-itaborai-devera-ficar-pronto-em-2018/).

    Espero que pelo menos a extensão da Linha 2 até a Praça Arariboia, passando pela Carioca, saia finalmente do papel (http://correiodacidadeonline.com.br/brt-que-ligara-niteroi-sao-goncalo-e-itaborai-devera-ficar-pronto-em-2018/). O que deve ocorrer graças à Linha 4, que decerto irá sobrecarregar a Linha 1. Por conseguinte, inviabilizará a gambiarra da Linha 1-A. Com a extensão, as Linhas 1 e 2 voltando a ser independentes, será possível o aumento do número de vagões e redução dos intervalos entre trens.

    ResponderExcluir
  19. A estação multi-modal só tem sentido sem metro. Se houver metro o fluxo de barcas e ônibus praticamente deixaria de existir. As barcas deveriam ser extintas, como ocorreu com as balsas para veículos quando da construção da ponte. Persistiriam apenas os ônibus urbanos e para isto o atual terminal seria mais do que suficiente. Derrubá-lo e construir outro seria jogar dinheiro fora. O Niemeyer, se vivo, certamente aprovaria esta solução. A atual estação das barcas poderia ser modificada para atender ao metro.

    ResponderExcluir
  20. Não podemos colocar o futuro de Niterói em risco. A linha Estácio Praça XV do Metro do Rio deve ser projetada prevendo a ligação Praça XV Niterói (Praça Araribóia).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos aguardar a divulgação do estudo da Linha 2.

      Excluir