sábado, 17 de setembro de 2022

Blog Metrô do Rio Defende Conclusão Das Linhas 1, 2, 3 e 4 nos Próximos 10 Anos

Não custa sonhar, não é? Como já fizemos no passado, voltamos a defender os projetos originais das Linhas 1, 2 e 4 do Metrô do Rio de Janeiro - lembrando sempre que a Linha 3 para Niterói e São Gonçalo não é mais do que a continuação da Linha 2.

Acreditamos que com um investimento sério, lembrando que dispomos de um tatuzão parado, esta rede metroviária poderia já estar operando em dez anos.


O que Falta ser Construído?

Linha 1

A Linha 1 é a mais avançada em termos de obras. Sendo circular, ela é importantíssima para distribuir a população entre as outras linhas. É preciso concluir a Estação Gávea e a Estação Morro de São João. Duas novas estações precisariam ser construídas na Tijuca: a Estação Muda e a Estação Usina.

Linha 2

A Linha 2 termina na Estação Estácio mas parte do túnel que ligaria esta estação à Estação Catumbi está pronta. Parte das fundações da Estação da Praça da Cruz Vermelha também foi feita. A plataforma da Linha 2 na Estação Carioca está pronta e é carinhosamente conhecida como "plataforma fantasma". Faltaria constuir a Estação Praça XV para a integração com as Barcas. Uma vez feito isso, poderia se expandir a Linha 2 da Estação Pavuna à Estação Belford Roxo. Da Estação Praça XV, um túnel subterrâneo ligaria o Rio de Janeiro à Niterói na Estação Praça Araribóia. A partir daí a Linha 2 seguiria seu caminho para São Gonçalo e Itaboraí. Linha 2 e Linha 3 são a mesma coisa.

Linha 4

A Linha 4 não é esta que construíram para os Jogos Olímpicos. Uma nova plataforma para a Linha 4 precisa ser construída na Estação Carioca. De lá, ela cortaria bairros que não são atendidos pelo metrô, como Lapa e Laranjeiras. Ela passaria pela Estação Botafogo, que precisa de uma segunda plataforma em seu subterrâneo. Ela continuaría pela Estação Dona Marta, Estação Humaitá, Estação Jardim Botânico e se juntaria novamente à Linha 1 na Estação Gávea. Dali sim, ela iria em direção à Zona Oeste passando pela Estação São Conrado e a Estação Jardim Oceânico, que já estão em operação. 


quarta-feira, 31 de agosto de 2022

As Propostas dos Candidatos para o Metrô do Rio de Janeiro

O que os candidatos do Rio de Janeiro propõem para o metrô do Rio de Janeiro?

Como sempre, a Linha 3, a conclusão da Linha 2 e os futuros traçados do metrô para a Baixada Fluminense são sempre lembrados na campanha eleitoral. No entanto, quando assumem o poder, os Governadores não fazem ou fazem muito pouco pelo metrô.

O projeto metroviário do Grande Rio de Janeiro é basicamente o mesmo desde os anos 1920 e até hoje sequer a Linha 1 foi concluída. Pior, sem estudarem nada, os candidatos divergem de como vão fazer cada linha. É cada projeto faraônico sem pé, nem cabeça...mas fica bonito nas entrevistas, na televisão e nos palanques falar de "metrô para você, metrô para lá, metrô para cá, tudo será maravilhoso..."

O atual mandatário fluminense poderia ter tentado algo, já que a Estação Gávea, a Estação Morro de São João e a plataforma da Linha 2 na Estação Carioca estão em fase de construção respectivamente, há anos, décadas, séculos!


Resumo das Propostas dos Candidatos para o Metrô do Rio de Janeiro

  • Cláudio Castro (PL): Metrô na Baixada com um Metroleve, Linha 3 entre Praça XV e Gonçalo e levar a Linha 2 entre Estácio e Praça XV.
  • Cyro Garcia (PSTU): Ampliação do metrô. Sem detalhes.
  • Eduardo Serra (PCB): Investimentos no metrô. Sem detalhes.
  • Juliete Pantoja (UP): Expansão do metrô para a Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo.
  • Marcelo Freixo (PSB): Linha 3 entre São Gonçalo e Niterói; VLT na Ilha do Governador e Baixada Fluminense; construir nove estações de barcas na Baía de Guanabara.
  • Paulo Ganime (Novo): Terminar a Estação Gávea.
  • Rodrigo Neves (PDT): Modernizar sistema metroviário.
  • Wilson Witzel (PMB): Terminar a Estação Gávea, Linha 3 entre Niterói e São Gonçalo e barcas para São Gonçalo, Magé e Barra da Tijuca.

sábado, 26 de março de 2022

Disse Me Disse da Estação Gávea

Resolvi fazer uma nova publicação no blog. afinal a última postagem data de março de 2021. Alguns leitores reclamam da falta de notícias no blog. Eu pergunto: que notícias? Não há nada novo. Não há nenhuma obra em andamento ou estudo sendo realizado. O sistema metroviário fluminense é o mesmo desde 2016.


As Últimas Notícias da Estação Gávea

Risco de Catástrofe no Bairro da Gávea

Em abril de 2021, um estudo apontou que o buraco da Estação Gávea tem risco de afundamento. É porque a água dentro do buraco serve como medida temporária - não definitiva - para ase manter o buraco. Quem não ouviu a expressão "água mole em pedra dura bate tanto até que fura". É mais ou menos isso. A Água pode escapar pelo solo arenoso do local e também por qualquer estrutura de concreto construída ali para segurar as paredes do buraco. Se esta água vazar, prédios da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e edifícios residencias e comerciais nos arredores do terreno da estação correm risco de desabamento.

Moradores se Unem pela Obra da Estação Gávea

Em maio de 2021, três associações de moradores unifram forças para exigir das autoridares a conclusão da obra da Estação Gávea que beneficiaria os passgeiros das Linhas 1 e 4. O Movimento Metrô Que o Rio Precisa, que reunia diversas associações de moradores da Zona Sul, praticamente deixou de existir após os Jogos Olímpicos de 2016. O novo movimento popular, chamado "Anda Metrô Gávea", reúne as associações de moradores da Gávea, Alto Rebouças e São Conrado.

Fracassa Licitação do Estado pela Conclusão da Obra da Estação Gávea

O estado do Rio de Janeiro bem que tentou. Em setembro de 2021 porém, não apareceram interessados em construir o que falta da Estação Gávea. Tampouco apareceram interessados em projetar a estabilização do buraco. Com estes resultados, tudo ficou na mesma. Um buraco gigantesco com água e nenhuma obra acontecendo.

Fundo Árabe Compra Metrô do Rio

Em novembro de 2021,o fundo árabe Mubadala, de Abu Dhabi (Emirados Árabes) investiu cerca de R$ 2,6 bilhões para comprar da INVEPAR a concessão da operação do metrô Rio. O dinheiro será todo utilizado para que a antiga concessionária pague dívidas com o estado e com as construtoras de obras antigas do metrô. O Mubadala detém 51,5% das ações do Metrô Rio.

Tribunal de Contas Pede Ressarcimento

O Tribunal de Contas do Rio de Janeiro pediu o ressarcimento de R$ 2,5 bilhões e a conclusão das obras da Estação Gávea. Esta notícia é de dezembro de 2021 e traduz o resultado de três meses antes, quando não houve interessados para a conclusão da obra da estação. É o último recurso que o estao do Rio tem para fazer com que as empresas contratadas para a Linha 4 concluam a obra. Vale lembrar que a obra da Linha 4, que deveria ter sido toda ela inaugurada em 2016, custou mais do que o dobro do inicialmente previso e muito dinheiro foi desviado por corrupção.

Estado Quer Que Concessionária Rio-Barra Faça as Obras da Estação Gávea

Também em dezembro de 2021, os principais jornais do Rio de Janeiro publicaram esta notícia. O estado não tem dinheiro, a concessionária - agora árabe - não tem a obrigação de investir e a licitação não atraiu investidores. O que restou? A Rio-Barra, um dos consórcios responsáveis pela obra da Linha 4 e que deveria ter entregue toda a obra, o que incluia a Estação Gávea, para Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016.

sexta-feira, 5 de março de 2021

Rede Planejada para o Metrô em 1986

 O planejamento metroviário para o Grande Rio de Janeiro até os anos 80 era levado a sério.

O "Caderno 7 Anos de Operação do Metrô" mostra como o metrô planejava o futuro da cidade. A redução de automóveis e ônibus na superfície seria brutal se as obras fossem tiradas do papel.

O documento é de 1986 e traz um mapa das expansões previstas.

Nele, é possível ver a Linha 1 circular.

A Linha 2, no Centro, ganharia a expansão da Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha e Estação Carioca.

As demais linhas do mapa mostram a Linha 4 (Zona Sul - Zona Oeste), a Linha 5 em direção à Ilha do Governador e a Linha 6 que corta a Zona Oeste e termina na Estação Irajá (com integração com a Linha 2). 

A segunda imagem mostra a Estação Morro de São João, da Linha 1, que neste mapa é chamada de Estação Belford Roxo. É que uma das entradas à esta estação seria feita em Copacabana onde há a rua Belford Roxo. Sua entrada ficaria ao lado do Colégio Estadual Infante Dom Henrique.




sábado, 31 de outubro de 2020

Metrô Rio Leiloa Trens do Pré-Metrô

A concessionária Metrô Rio, responsável pela administração do metrô do Rio de Janeiro (Linhas 1, 2 e 4) decidiu vender os 26 trens articulados COBRASMA que estão desativados. Eles foram utilizados na Linha 2 nos anos 80, 90 e 2000 e estão apodrecendo desde 2004, quando deixaram de circular.

Cada composição tem capacidade para 218 passageiros (59 sentados e 159 em pé). Os vagões possuem sistema de ar condicionado, 25,5 metros de comprimento, 2,7 metros de largura e alcançam até 80 km/h.

Estes trens podem ser vistos por quem passa pela Linha 1-A por dentro do Centro de Manutenção do metrõ. Os trens estão estacionados sujeitos à chuva, sol, ventos e ação do tempo.

O pregão será realizado no Superbid Marketplace. A companhia agrupou todas as composições em um lote único, que pode ser arrematado até o dia 09 de novembro de 2020, exclusivamente por meio de lances eletrônicos. O lance inicial é de R$ 520 mil.

Os trens estão disponíveis para visitação mediante agendamento prévio, respeitando todas as normas dos órgãos sanitários.




sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Aduelas Apodrecem na Leopoldina

As aduelas que deveriam reforçar as paredes do túnel entre a Estação Antero de Quental e a Estação Gávea da Linha 1 do Rio de Janeiro apodrecem.

Quem passa de trem por perto da Estação Leopoldina ou de carro pela Linha Vermelha pode ver o estado de decomposição das placas de cimento. Como as fotos bem mostram já é possível ver o mato crecendo dentro delas.

As aduelas estão expostas ao sol e à chuva desde que foram fabricadas em 2015 e 2016.
Além das aduelas, lembramos também do tatuzão que está parado dentro do túnel do Leblon e cuja manutenção custa cerca de R$ 30 milhões por mês.





sexta-feira, 3 de julho de 2020

Plano Diretor Metroviário Previa Rede Gigantesca até 2045

No papel tudo é muito bonito. A Rio Trilhos junto com outros órgãos que cuidam do transporte no estado do Rio de Janeiro elaboraram em 2016 o plano diretor metroviário.

Como as imagens mostram, a rede metroviária estadual deveria ser gigante em 2045. Seria possível viajar entre as Zonas Norte e Oeste, Sul e Norte e Sul e Oeste diretamente por baixo de terra.

As viagens intermunicipais também estavam previstas interligando o Grande Rio e cidades dormitórias, como Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, etc.

A realidade é bem diferente. O Metrô das Olimpíadas não ficou pronto, pois a Estação Gávea não foi construída.

O buraco é mais embaixo. A Estação Morro de São João dos anos 90 continua sem conclusão, assim como a Linha 2, prevista para ser inaugurada até a Estação Carioca em 1979.

Já se passaram quatro anos desde os Jogos Olímpicos e a expansão do metrô não passa de um sonho.

As figuras mostram o plano diretor metroviário completo, as linhas 1, 2 e 4 na parte principal da cidade e o que seria da Linha 4 com sua conclusão até o Recreio dos Bandeirantes.

domingo, 15 de março de 2020

TCE: "Concessão das Linhas 1 e 2 Foram Feitas de Forma Irregular"

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro vai querer ouvir explicações do ex-governador Sérgio Cabral, dos secretários de transportes do estado e da Agetransp. O TCE e o povo querem saber como uma concessão pôde trazer prejuízo aos cofres públicos. Se fosse para perder dinheiro, era melhor não ter licitação e o Estado mesmo manter a administração metroviária.

Todo mundo já sabia

A concessão do metrô do Rio de Janeiro já foi denunciada várias vezes pela oposição, mídia especializada e até a grande mídia como algo que não interessa à população.

O metrô era limpo antes da concessão, agora é sujo. O metrô era confortável, agora é super lotado. O estado financiava expansões e recuperava o dinheiro com a venda de passagens e publicidade. Hoje, o estado faz as obras e a receita fica com a concessionária. Quem investe no material rodante? O estado. Quem mantém o tatuzão parado? O estado.

Três Strikes contra a empresa

Vale lembrar que a Metrô Rio é composta das empresas INVEPAR (Investimentos e Participações em Infra-Estrutura SA), LAMSA (Linha Amarela SA), CART (Concessionária Auto Raposo Tavares) e CLN (Concessionária Litoral Norte).

O estudo foi feito na concessão entre 1998 e 2009, antes da renovação do contrato.

As irregularidades

  • Desequilíbrio contratual, o que foi observado na renovação do mesmo quando não houve revisão periódica, nem análise econômica-financeira da proposta vencedora da licitação.
  • Pagamentos irregulares a título de outorga.
  • Omissão da Agetransp no cumprimento de suas atribuições legais.

Estado cobra R$ 200 milhões

Há um nítido desequilíbrio no contrato de concessão e, por isso, o Estado cobra na justiça R$ 200 milhões.

O preço da passagem deveria ser mais barato do que o valor cobrado pela concessionária, que chegará a R$ 5,00 no próximo dia 02. Este é outro fator que penaliza a população do Rio de Janeiro e aumenta o lucro da empresa.

Os envolvidos também terão de explicar o nascimento e a concretização da Linha 1-A no lugar de expandir a Linha 2, como se previa no contrato de renovação.

Outro fato que consta no contrato e que nunca foi cobrado ou discutido é que a concessionária tem o direito (não a obrigação) de concluir as obras da Estação Morro de São João, estação da Linha 1, localizada em Botafogo.

Todos os envolvidos terão 120 dias para apresentar suas explicações.

Sugerimos a leitura detalhada no link abaixo:
https://diariodotransporte.com.br/2020/03/13/tce-do-rio-aponta-irregularidades-na-concessao-das-linhas-1-e-2-do-metro-que-deveriam-ter-tarifa-reduzida/

sábado, 14 de março de 2020

Passagem Chega a R$ 5,00

Já publicado no Diário Oficial do Estado, a passagem do metrô do Rio de Janeiro custará R$ 5,00 a partir de 02 de abril. O aumento será de R$ 0,40, já que atualmente, o preço de andar de metrô está em R$ 4,60.

Último aumento

O último aumento aconteceu no ano passado. Também em 02 de abril, o preço da passagem subiu de R$ 4,30 para R$ 4,60.

Sem passes de metrô

Diferente de vários metrôs do mundo inteiro, o Metrô Rio não oferece descontos para quem compra mais de uma passagem. Tampouco existem passes mensais ou anuais, dificultando a vida do turista e do trabalhador.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Dinheiro da CEDAE Pode Parar no Metrô

É isso mesmo! O dinheiro da privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE) pode parar nos trilhos do metrô. Este pelo menos é o plano do atual governador Wilson Witzel.

Segundo as últimas informações, o Governo do Rio de Janeiro pretende vender 60% das ações da CEDAE na Bolsa de Valores em 2021. Os demais 40% continuariam nas mãos do Estado.

Estes 60% gerariam R$ 11 bilhões em caixa para o estado investir em diversas áreas, além de pagar dúvidas.

Cerca de R$ 1 bilhão deste montante seria investidos no metrô.

O que seria feito então com o $ da CEDAE?

Maiores informações não foram divulgadas. Porém, praticamente metade deste dinheiro seria usado para concluir a Estação Gávea. Esta estação receberá trens tanto da Linha 1, quanto da Linha 4. Lembro que a conclusão desta obra está autorizada desde 2019.

A outra metade seria destinada para o início das obras da Linha 3. "A pedra fundamental", segundo ele. O que seria isso? Ninguém sabe.

Vale sempre recordar que a Linha 3 (São Gonçalo - Niterói) não existe. O que existe é a Linha 2 Belford Roxo - Visconde de Itaboraí, que também abrigaria os municípios de São Gonçalo e Niterói. Este título de "linha 3" foi dado erradamente pela Governadora Rosinha Garotinho, mas, pelo visto, ele ficou.

Lote 29 2 Descartado

Muitos perguntam porque não se coloca esta grana para terminar o trecho Centro da Linha 2 com a Estação Catumbi, Estçaão Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.

Sem muitos dados, projetos ou informação, por enquanto, o carioca e o fluminense ficará aguardando. Sempre na esperança...

terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Autorizada a Estação Gávea

Desde nosso post de setembro de 2019 informando que a Estação Gávea seria aterrada, houve muito disse-me-disse. O Governo voltou atrás, a justiça chegou a proibir a obra e a liberou semanas depois, ... uma grande confusão! Episódios assim explicam porque temos uma linha metroviária tão raquítica.

Em novembro, uma decisão da 16ª Vara de Fazenda Pública revogou a liminar que impedia o Governo de investir novos recursos na construção da Estação Gávea, que é tão importante tanto para a Linha 1, quanto para a Linha 4.

Vale lembrar que cerca de R$ 3 bilhões foram superfaturados ou desviados da Linha 4 visando os Jogos Olímpicos de 2016.

Vamos torcer para que a Linha 4 saia do papel e que a expansão metroviária seja contínua, pois tanto a Linha 1, quanto a Linha 4, continuarão incompletas mesmo com a eventual inauguração da Linha 4.

domingo, 8 de setembro de 2019

Expansão Metroviária Parada

A expansão metroviária para o estado do Rio de Janeiro sofre com a incompetência dos políticos que conseguiram levar o Estado à falência e também com a irresponsabilidade do contrato de concessão da operação do metrô, que desobriga a concessionária a fazer qualquer investimento na malha.

Assim sendo, temos as obras da Linha 2 no trecho Centro paralisadas desde os anos 80. Com a previsão inicial de inauguração em 1979, a plataforma da Linha 2 na Estação Carioca está toda concretada (foto), mas o túnel do metrô não foi escavado desde a Estação Estácio. Na verdade, apenas 80 metros foram perfurados.

Nada foi feito no local previsto para a Estação Catumbi. A Estação Praça da Cruz Vermelha teve suas obras iniciadas (segunda foto) mas ela nunca foi concluída.



A Estação Gávea, que deveria receber a Linha 1 e a Linha 4 tampouco foi concluída. Decidiram aterrar o buraco já escavado. O túnel viário tampouco chega no bairro vindo do Leblon, mas o túnel da direção São Conrado está praticamente concluído.


Também vale a pena lembrar da Estação Morro de São João da Linha 1. O metrô passa por ali, a caverna da estação na direção Estação Botafogo está pronta mas não foi feito o andar da plataforma na direção Copacabana. A foto abaixo é provavelmente do túnel de serviço. Esta estação de metrô seria importantíssima para aliviar o centro comercial Rio Sul, que atrai diariamente milhares de automóveis e ônibus.


Se as obras iniciadas estão paralisadas, não há qualquer esperanças de se discutir novas expansões e as construções das Linhas 3, 5, 6 e 7 projetadas décadas atrás.

sábado, 7 de setembro de 2019

Estação Gávea Será Aterrada

O sonho de uma rede metroviária será adiado (ou aterrado) novamente. O buraco da Estação Gávea, atualmete inundado com 36 milhões de metros cúbicos de água, será fechado. A água será retirada, pois ela começa a forçar seu caminho em estruturas próximas à estação de metrô, e em seu lugar será colocada terra.

O estado do Rio de Janeiro alega não ter cerca de R$ 1 bilhão para concluir a obra e todo o dinheiro que entra nos cofres públicos tem destinos mais importantes.

Essa é mais uma rasteira de mais um governador, que promete coisas durante a campanha e não cumpre quando assume o poder.

A Estação Gávea se junta a outras três estações ou plataformas inacabadas na história do metrô do Rio de Janeiro:

A lista de dúvidas sobre o futuro do trânsito no bairro da Gávea é preocupante. A Estação Gávea foi planejada dentro do estacionamento da PUC, uma das principais universidades da cidade. Seu estacionamento não dá vazão para a quantidade de carros e alunos. Além do mais, o acanhado bairro tem dois centros comerciais, além da tradicional vida bohêmia com bares e restaurantes. Como "se beber não dirija" se não há transporte público de qualidade na cidade?

Para quem não frequenta a Gávea, há outras perguntas que surgem. O que fazer com o tatuzão, que consome R$ 3 milhões por mês? Para que se comprou o tatuzão se ele não será utilizado? Qual o futuro da expansão do metrô?

A Estação Gávea era importantíssima - assim como a Estação Carioca - para separar as linhas de metrô. A Linha 1 seguiria seu projeto circular de unir as Zonas Sul, Norte e Centro da Cidade. Da Estação Gávea, ela deveria seguir em direção à Estação Uruguai (através da Estação Muda?). Já a Linha 4 viria da Estação São Conrado para a Estação Gávea e, dali, em direção à futura Estação Jockey Club Brasileiro.

Outras estações foram abandonadas com o passar dos anos, como a Estação Marquês de Abrantes. Outras, com pressa para a inauguração para atender ao Regime Militar foram entregues sem todas as saídas, como a Estação Largo do Machado.

Ainda há esperança. Lembro que Nova York esperou 100 anos para que a sua linha por baixo da 2nd Avenue ficasse pronta.

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Engarrafamento e Perigo Mudam de Lugar no Metrô do Rio

O embaralhamento das linhas 1, 2 e 4 no metrô do Rio de Janeiro parece não ter fim.

Com os trens da Linha 2 indo até a Estação General Osório, eles se entrelaçam com os trens da Linha 1. O que acontecia na Estação Botafogo mudou de local.

Os trens da Linha 2 estacionam na chamada Estação General Osório 1, aquela que foi construída no local errado por Sérgio Cabral. Já divulgamos o projeto original da estação.

Os trens das Linhas 1 e 4 utilizam o a chamada "Estação General Osório 2", que foi construída como "Linha 4" para os Jogos Olímpicos de 2016.

Logicamente, como só há um trilho para se chegar à Estação Cantagalo, uma das duas composições precisar deixar a outra passar. Caso contrário, teremos um choque.

Lembro que a sinalização automática e outros dispositivos de segurança que deveriam ter sido instalados para os Jogos Olímpicos não foram feitos.

O nó de linhas precisa se desatar. Infelizmente, as obras da Linha 2 no trecho Centro continuam paradas. As obras da Estação Gávea tamém estão paralisadas, assim como a conclusão da Estação Morro de São João, da Linha 1.

Não dá nem para sonhar com futuras expansões e novas linhas!

segunda-feira, 24 de junho de 2019

O que Fazer com a Estação Gávea?

O grande circo místico em torno das obras do metrô continua. Na próxima quarta-feira, haverá uma audiência pública sobre a Estação Gávea, obra que deveria ter sido concluída em 2015, segundo o cronograma original.

A discussão nem contempla outras obras paralisadas, como a plataforma da Linha 2 da Estação Carioca e a Estação Morro de São João.

As opções para a Estação Gávea são as seguintes:

1) Deixar tudo como está já que o Estado alegar não ter dinheiro: o departamento ge engenharia da PUC já alertou para riscos nas estruturas dos prédios da universidade, devido à enorme quantidade de água alcalinizada encontrada no buraco da estação.

2) Retirar a água e colocar terra para fechar o buraco seria um tiro no pé. Estipula-se que a retirada completa da água levará três meses e há um custo grande nisso. Isso sem falar na colocação de terra no buraco. Os cariocas já pagaram pela retirada desta terra. Tapar o buraco significa o fim das obras.

3) Concluir a obra seria a melhor opção. Retira-se a água, conclui-se a estrutura, os trabalhos de acabamento e coloca-se o tatuzão para funcionar novamente. Uma vez concluída, outros bairros poderão sonhar com a chegada do metrô. como o Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras (Linha 4) e Muda (Linha 1), sem falar na conclusão da linha 1 circular entre Estação Gávea - Estação Muda - Estação Uruguai, encurtando de uma vez o tempo de deslocamento entre as zonas norte e sul.

segunda-feira, 18 de março de 2019

Metrô Rio 40 Anos: De Esperança à Decepção

De esperança de um transporte limpo, rápido e eficiente nos anos 60 e 70, o Metrô Rio se transformou em mais uma das coisas que dão certo em todo lugar do mundo, menos no Brasil. 

Resumo dos fatos

De uma empresa pública respeitável, com vagões, plataformas e estações limpas e organizadas, a Companhia do Metropolitano se transformou em mais uma daquelas empresas privadas que ganham muito e prestam um péssimo serviço, com composições cheias, com uma linha passando por cima da outra e nenhum investimento de ampliação do sistema por parte da empresa.

A Linha 1, denominada na época como Linha Prioritária, foi inaugurada em 1979 com cinco estações. Quarenta anos depois, o metrô do Rio de Janeiro pode se orgulhar de ser o menor sistema metroviário do mundo quando comparado a qualquer outra grande metrópole do planeta.

Hoje, o Metrô Rio não concluiu nenhuma de suas linhas e colocou os trens das Linhas 2 sobre os trilhos das Linhas 1 e 4. O Centro de Manutenção não tem como atender à demanda, pois os CMs das novas linhas não foram feitos. Temos três estações parcialmente concluídas, mas nunca terminadas.

O curioso é que muitas melhorias e ampliações do metrô são temas frequentes das propagandas políticas de todos os candidatos a cada quatro anos. Infelizmente, quase nada é feito. As linhas 3, 5 e 6 não passam de promessas, assim como foi o Metrô do Pan 2007.

Tudo errado!

Cronologia:

1979 - Inauguração com cinco estações da Linha 1.
1980 - A Linha 1 ganha mais três estações.  A Linha 2 ganhou sua primeira estação (Estação Estácio).
1981 - A Linha 1 ganha mais cinco estações. A Linha 2 ganha mais duas estações.
1982 - A Linha 1 ganha mais três estações.
1983 - A Linha 2 ganha mais três estações.
1988 - A Linha 2 ganha mais uma estação.
1996 - A Linha 2 ganha mais duas estações.
1997 - Privatização da Companhia do Metropolitano.
1998 - A Linha 1 ganha mais uma estação. A Linha 2 ganha mais seis estações.
2003 - A Linha 1 ganha mais uma estação.
2007 - A Linha 1 ganha mais uma estação.
2009 - A Linha 1 ganha mais uma estação. A Linha 1A é criada.
2010 - A Linha 1A ganha sua única estação (Estação Cidade Nova).
2012 - Carros da Chanchung Railway Vehicles Co. entram na frota que era exclusiva da Mafersa.
2014 - A Linha 1 ganha mais uma estação.
2016 - A Linha 1 ganha três nvoas estações e a Linha 4 ganha suas duas primeiras estações.

Clique aqui para ler mais sobre:

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Custos da Ampliação do Metrô

Segundo Plano Diretor Metroviário publicado em Dezembro de 2017. Os valores incluem a compra de novo material rodante.

Estácio - Praça XV: R$ 4,3 bilhões, com 4 novas estações.
Praça XV - Arariboia: R$ 3,9 bilhões, com 2 novas estações.
Gávea - Carioca: R$ 6,3 bilhões, com 8 novas estações.
Alvorada - Recreio: R$ 9,0 bilhões, com 9 novas estações.
Arariboia - Região Oceânica: R$ 7,9 bilhões, com 3 novas estações.
Arariboia - Alcântara: R$ 6,5 bilhões, com 12 novas estações.
Deodoro - Presidente Vargas: R$ 20,0 bilhões, com 18 novas estações.
Alvorada - Cocotá: R$ 8,8 bilhões, com 20 novas estações.
Jardim Oceânico - Alvorada: R$ 4,4 bilhões, com 5 novas estações.
Uruguai - Del Castilho: R$ 6,2 bilhões, com 7 novas estações.
Gávea - Uruguai: R$ 3,2 bilhões, com 1 nova estação.

domingo, 4 de novembro de 2018

Hora de Cobrar de Wilson Witzel

E então? Quando começa? Qual o cronograma? Por onde começa?

Propostas de Wilson Witzel:
Linha 1 e Linha 4: fechamento do anel após a conclusão da Estação Gávea.
Linha 2: terminhar o trecho Centro com a conclusão da Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.
Linha 3: Construir o trecho entre São Gonçalo e Niterói.
Linha 6: Estudar a viabilidade do trecho entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão.

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Wilson Witzel Deseja Investir em Metrô; Paes em Ônibus

Que Wilson Witzel vença para ampliarmos nossa rede metroviária.

Propostas de Wilson Witzel:
Linha 1 e Linha 4: fechamento do anel após a conclusão da Estação Gávea.
Linha 2: terminhar o trecho Centro com a conclusão da Estação Catumbi, Estação Praça da Cruz Vermelha, Estação Carioca e Estação Praça XV.
Linha 3: Construir o trecho entre São Gonçalo e Niterói.
Linha 6: Estudar a viabilidade do trecho entre o Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão.

Propostas de Eduardo Paes:
Linha 1 e Linha 4: conclusão da Estação Gávea.
Linha 6: substituir o corredor de ônibus entre a Terminal Alvorada e o Aeroporto do Galeão.
Ônibus: expandir os corredores de ônibus pela cidade.
VLT: expandir o VLT para a Zona Sul.


terça-feira, 2 de outubro de 2018

Candidatos Chegaram a Debater a Linha 6

Todos sabem que construir os BRTs entre a Zona Oeste e a Ilha do Governador foi um erro.

O próprio Eduardo Paes (MDB), autor dos corredores de ônibus, Anthony Garotinho (PRP) e Tarcísio Motta (PSOL) falam em substituir gradualmente tal sistema pelo metroviário.

O candidato do PRP fala em unir as áreas da Alvorada, Penha e Ilha do Governador sem precisar detalhes. Eduardo Paes promete unir a Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional passando pela Freguesia e o Méier.

terça-feira, 25 de setembro de 2018

Lei 8074/18 Autoriza Expansão Metroviária

De autoria dos deputados André Ceciliano (PT), presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Luiz Martins (PDT) e da ex-deputada Rosangela Gomes, a lei 8074/18 autoriza o Estado do Rio de Janeiro a realizar um estudo de viabilidade técnica para a expansão do metrô na Baixada Fluminense e também a ligação entre a Estação Jardim Oceânico e o terminal da Alvorada.

O estudo de viabilidade de extensão da Linha 4 deverá ser divulgado na imprensa oficial e nos jornais de grande circulação 30 dias após sua realização.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Propostas dos Candidatos para o Metrô do Rio de Janeiro

Anthony Garotinho (PRP): Concluir a Linha 2 na direção norte: Estação Belford Roxo - Estação Coelho da Rocha - Estação Agostinho Porto - Estação Vila Rosali - Estação Pavuna.

Eduardo Paes (DEM): Concluir as obras da Estação Gávea (Linha 1 e Linha 4).

Índio da Costa (PSD): ----

Márcia Tiburi (PT): ----

Pedro Fernandes (PDT): ----

Romário (PODEMOS): Concluir as obras da Estação Gávea (Linha 1 e Linha 4).

Tarcísio Motta (PSOL): Concluir a Linha 2 na direção centro: Estação Estácio - Estação Catumbi - Estação Praça da Cruz Vermelha - Estação Carioca - Estação Praça XV.

Wilson Witzsel (PSC): ----

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Por uma Nova Licitação

Como pode a concessionária não investir nenhum centavo e ainda ser a única favorecida com tantos investimentos, sobretudo na Linha 4? Onde estão os documentos de precificação das passagens? Onde estão os projetos de expansão? Quanto custa manter fechadas as estações Carioca 2, Morro de São João e Estácio? Por que há tanto mistério no metrô fluminense?

Veja o link abaixo:

https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2018/08/03/mp-pede-nova-licitacao-do-metro-do-rio-por-monopolio-sobrepreco-e-sumico-de-documentos.ghtml

terça-feira, 6 de março de 2018

Metrô Rio Lucrou Acima do Permitido por Lei

Segundo reportagem do O Globo, a concessionária Metrô Rio lucrou R$ 236 milhões acima do permitido pelo contrato de concessão.

O Estado propôs que a prestadora do serviço de transportes metroviários assumisse a ampliação da Linha 2 em vez de devolver esta quantia ao Governo. A concessionária recusou e entrou na justiça para ficar com a grana.

Fonte: O Globo, 26 de fevereiro de 2018.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Expansão de 1979 a 1989

A Companhia do Metropolitano de São Paulo guarda outro tesouro em seus arquivos. Com as obras do metrô fluminense em andamento, já se dando conta dos atrasos nas Linhas 1 e 2, previu-se a expansão do sistema para os próximos dez anos.

A Linha 2 seria construída entre Niterói e São Gonçalo (ficaria faltando apenas a ligação com a capital do estado), a Linha 1 adentraria à Zona Sul e a Linha 6 (na época Linha 3) seria construída.