terça-feira, 31 de dezembro de 2019

Autorizada a Estação Gávea

Desde nosso post de setembro de 2019 informando que a Estação Gávea seria aterrada, houve muito disse-me-disse. O Governo voltou atrás, a justiça chegou a proibir a obra e a liberou semanas depois, ... uma grande confusão! Episódios assim explicam porque temos uma linha metroviária tão raquítica.

Em novembro, uma decisão da 16ª Vara de Fazenda Pública revogou a liminar que impedia o Governo de investir novos recursos na construção da Estação Gávea, que é tão importante tanto para a Linha 1, quanto para a Linha 4.

Vale lembrar que cerca de R$ 3 bilhões foram superfaturados ou desviados da Linha 4 visando os Jogos Olímpicos de 2016.

Vamos torcer para que a Linha 4 saia do papel e que a expansão metroviária seja contínua, pois tanto a Linha 1, quanto a Linha 4, continuarão incompletas mesmo com a eventual inauguração da Linha 4.

domingo, 8 de setembro de 2019

Expansão Metroviária Parada

A expansão metroviária para o estado do Rio de Janeiro sofre com a incompetência dos políticos que conseguiram levar o Estado à falência e também com a irresponsabilidade do contrato de concessão da operação do metrô, que desobriga a concessionária a fazer qualquer investimento na malha.

Assim sendo, temos as obras da Linha 2 no trecho Centro paralisadas desde os anos 80. Com a previsão inicial de inauguração em 1979, a plataforma da Linha 2 na Estação Carioca está toda concretada (foto), mas o túnel do metrô não foi escavado desde a Estação Estácio. Na verdade, apenas 80 metros foram perfurados.

Nada foi feito no local previsto para a Estação Catumbi. A Estação Praça da Cruz Vermelha teve suas obras iniciadas (segunda foto) mas ela nunca foi concluída.



A Estação Gávea, que deveria receber a Linha 1 e a Linha 4 tampouco foi concluída. Decidiram aterrar o buraco já escavado. O túnel viário tampouco chega no bairro vindo do Leblon, mas o túnel da direção São Conrado está praticamente concluído.


Também vale a pena lembrar da Estação Morro de São João da Linha 1. O metrô passa por ali, a caverna da estação na direção Estação Botafogo está pronta mas não foi feito o andar da plataforma na direção Copacabana. A foto abaixo é provavelmente do túnel de serviço. Esta estação de metrô seria importantíssima para aliviar o centro comercial Rio Sul, que atrai diariamente milhares de automóveis e ônibus.


Se as obras iniciadas estão paralisadas, não há qualquer esperanças de se discutir novas expansões e as construções das Linhas 3, 5, 6 e 7 projetadas décadas atrás.

sábado, 7 de setembro de 2019

Estação Gávea Será Aterrada

O sonho de uma rede metroviária será adiado (ou aterrado) novamente. O buraco da Estação Gávea, atualmete inundado com 36 milhões de metros cúbicos de água, será fechado. A água será retirada, pois ela começa a forçar seu caminho em estruturas próximas à estação de metrô, e em seu lugar será colocada terra.

O estado do Rio de Janeiro alega não ter cerca de R$ 1 bilhão para concluir a obra e todo o dinheiro que entra nos cofres públicos tem destinos mais importantes.

Essa é mais uma rasteira de mais um governador, que promete coisas durante a campanha e não cumpre quando assume o poder.

A Estação Gávea se junta a outras três estações ou plataformas inacabadas na história do metrô do Rio de Janeiro:

A lista de dúvidas sobre o futuro do trânsito no bairro da Gávea é preocupante. A Estação Gávea foi planejada dentro do estacionamento da PUC, uma das principais universidades da cidade. Seu estacionamento não dá vazão para a quantidade de carros e alunos. Além do mais, o acanhado bairro tem dois centros comerciais, além da tradicional vida bohêmia com bares e restaurantes. Como "se beber não dirija" se não há transporte público de qualidade na cidade?

Para quem não frequenta a Gávea, há outras perguntas que surgem. O que fazer com o tatuzão, que consome R$ 3 milhões por mês? Para que se comprou o tatuzão se ele não será utilizado? Qual o futuro da expansão do metrô?

A Estação Gávea era importantíssima - assim como a Estação Carioca - para separar as linhas de metrô. A Linha 1 seguiria seu projeto circular de unir as Zonas Sul, Norte e Centro da Cidade. Da Estação Gávea, ela deveria seguir em direção à Estação Uruguai (através da Estação Muda?). Já a Linha 4 viria da Estação São Conrado para a Estação Gávea e, dali, em direção à futura Estação Jockey Club Brasileiro.

Outras estações foram abandonadas com o passar dos anos, como a Estação Marquês de Abrantes. Outras, com pressa para a inauguração para atender ao Regime Militar foram entregues sem todas as saídas, como a Estação Largo do Machado.

Ainda há esperança. Lembro que Nova York esperou 100 anos para que a sua linha por baixo da 2nd Avenue ficasse pronta.

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Engarrafamento e Perigo Mudam de Lugar no Metrô do Rio

O embaralhamento das linhas 1, 2 e 4 no metrô do Rio de Janeiro parece não ter fim.

Com os trens da Linha 2 indo até a Estação General Osório, eles se entrelaçam com os trens da Linha 1. O que acontecia na Estação Botafogo mudou de local.

Os trens da Linha 2 estacionam na chamada Estação General Osório 1, aquela que foi construída no local errado por Sérgio Cabral. Já divulgamos o projeto original da estação.

Os trens das Linhas 1 e 4 utilizam o a chamada "Estação General Osório 2", que foi construída como "Linha 4" para os Jogos Olímpicos de 2016.

Logicamente, como só há um trilho para se chegar à Estação Cantagalo, uma das duas composições precisar deixar a outra passar. Caso contrário, teremos um choque.

Lembro que a sinalização automática e outros dispositivos de segurança que deveriam ter sido instalados para os Jogos Olímpicos não foram feitos.

O nó de linhas precisa se desatar. Infelizmente, as obras da Linha 2 no trecho Centro continuam paradas. As obras da Estação Gávea tamém estão paralisadas, assim como a conclusão da Estação Morro de São João, da Linha 1.

Não dá nem para sonhar com futuras expansões e novas linhas!

segunda-feira, 24 de junho de 2019

O que Fazer com a Estação Gávea?

O grande circo místico em torno das obras do metrô continua. Na próxima quarta-feira, haverá uma audiência pública sobre a Estação Gávea, obra que deveria ter sido concluída em 2015, segundo o cronograma original.

A discussão nem contempla outras obras paralisadas, como a plataforma da Linha 2 da Estação Carioca e a Estação Morro de São João.

As opções para a Estação Gávea são as seguintes:

1) Deixar tudo como está já que o Estado alegar não ter dinheiro: o departamento ge engenharia da PUC já alertou para riscos nas estruturas dos prédios da universidade, devido à enorme quantidade de água alcalinizada encontrada no buraco da estação.

2) Retirar a água e colocar terra para fechar o buraco seria um tiro no pé. Estipula-se que a retirada completa da água levará três meses e há um custo grande nisso. Isso sem falar na colocação de terra no buraco. Os cariocas já pagaram pela retirada desta terra. Tapar o buraco significa o fim das obras.

3) Concluir a obra seria a melhor opção. Retira-se a água, conclui-se a estrutura, os trabalhos de acabamento e coloca-se o tatuzão para funcionar novamente. Uma vez concluída, outros bairros poderão sonhar com a chegada do metrô. como o Jardim Botânico, Humaitá e Laranjeiras (Linha 4) e Muda (Linha 1), sem falar na conclusão da linha 1 circular entre Estação Gávea - Estação Muda - Estação Uruguai, encurtando de uma vez o tempo de deslocamento entre as zonas norte e sul.

segunda-feira, 18 de março de 2019

Metrô Rio 40 Anos: De Esperança à Decepção

De esperança de um transporte limpo, rápido e eficiente nos anos 60 e 70, o Metrô Rio se transformou em mais uma das coisas que dão certo em todo lugar do mundo, menos no Brasil. 

Resumo dos fatos

De uma empresa pública respeitável, com vagões, plataformas e estações limpas e organizadas, a Companhia do Metropolitano se transformou em mais uma daquelas empresas privadas que ganham muito e prestam um péssimo serviço, com composições cheias, com uma linha passando por cima da outra e nenhum investimento de ampliação do sistema por parte da empresa.

A Linha 1, denominada na época como Linha Prioritária, foi inaugurada em 1979 com cinco estações. Quarenta anos depois, o metrô do Rio de Janeiro pode se orgulhar de ser o menor sistema metroviário do mundo quando comparado a qualquer outra grande metrópole do planeta.

Hoje, o Metrô Rio não concluiu nenhuma de suas linhas e colocou os trens das Linhas 2 sobre os trilhos das Linhas 1 e 4. O Centro de Manutenção não tem como atender à demanda, pois os CMs das novas linhas não foram feitos. Temos três estações parcialmente concluídas, mas nunca terminadas.

O curioso é que muitas melhorias e ampliações do metrô são temas frequentes das propagandas políticas de todos os candidatos a cada quatro anos. Infelizmente, quase nada é feito. As linhas 3, 5 e 6 não passam de promessas, assim como foi o Metrô do Pan 2007.

Tudo errado!

Cronologia:

1979 - Inauguração com cinco estações da Linha 1.
1980 - A Linha 1 ganha mais três estações.  A Linha 2 ganhou sua primeira estação (Estação Estácio).
1981 - A Linha 1 ganha mais cinco estações. A Linha 2 ganha mais duas estações.
1982 - A Linha 1 ganha mais três estações.
1983 - A Linha 2 ganha mais três estações.
1988 - A Linha 2 ganha mais uma estação.
1996 - A Linha 2 ganha mais duas estações.
1997 - Privatização da Companhia do Metropolitano.
1998 - A Linha 1 ganha mais uma estação. A Linha 2 ganha mais seis estações.
2003 - A Linha 1 ganha mais uma estação.
2007 - A Linha 1 ganha mais uma estação.
2009 - A Linha 1 ganha mais uma estação. A Linha 1A é criada.
2010 - A Linha 1A ganha sua única estação (Estação Cidade Nova).
2012 - Carros da Chanchung Railway Vehicles Co. entram na frota que era exclusiva da Mafersa.
2014 - A Linha 1 ganha mais uma estação.
2016 - A Linha 1 ganha três nvoas estações e a Linha 4 ganha suas duas primeiras estações.

Clique aqui para ler mais sobre: